Guia da Semana

10 curiosidades sobre Kandinsky que você precisa saber

Conheça mais sobre o artista antes de visitar sua mostra no Centro Cultural Banco do Brasil

A partir do dia 8 de julho, os paulistas poderão entrar em contato com a arte do russo Wassily Kandinsky. A exposição em sua homenagem - Kandinsky: tudo começa num ponto - acontece no Centro Cultural Banco do Brasil e reúne mais de cem obras e objetos do artista.

Entretanto, para que sua visita seja ainda mais proveitosa, o Guia da Semana lista algumas curiosidades que você precisa saber sobre a vida e obra de Kandinsky. Confira:

ORIGENS

Kandinsky nasceu em Moscou e passou grande parte da infância em Odessa, mas foi em Munique que iniciou seus primeiros estudos de pintura. Mudou de nacionalidade duas vezes: após deixar a Rússia e fixar-se em Munique, solicitou a cidadania alemã. Anos depois, com os nazistas ao poder, mudou-se para Paris, onde trocou de nacionalidade pela segunda vez, tornando-se cidadão francês.

VIDA ACADÊMICA

Formou-se em direito e economia na Universidade de Moscou. Chegou a diplomar-se em Direito aos 30 anos de idade, mas logo desistiu da carreira e de ambas as profissões.

PRIMEIRAS RELAÇÕES COM A ARTE

O primeiro contato com a arte aconteceu através da música, que posteriormente refletiu em seu trabalho como pintor, pois lhe deu noção de harmonia e evolução. Entretanto, foi quando apaixonou-se por uma tela de Monet que decidiu seguir o caminho das artes visuais, desistindo de tudo o que havia feito antes.

PRIMEIROS ESTUDOS

Em Munique, considerada um centro artístico da época, começou a estudar pintura. Entretanto, ficou desencantado com a prática, pois preferia pintar paisagens coloridas ao ar livre, em vez de modelos inexpressivos e geralmente destituídos de caráter.

Seus primeiros trabalhos foram influenciados pelo pontilhismo e pelo fauvismo. Refletiam também um toque musical e expressavam temas do folclore russo. Após alguns anos, já completamente imerso no mundo das artes, fundou a Sociedade Artística Phalanx e decidiu que a melhor forma de aprender arte era ensinando. Assim, passou a lecionar na escola fundada pouco tempo depois pela sociedade - prática que seguiu até o fim de sua vida.

IMAGINAÇÃO E CORES 

Kandinsky costumava colocar em suas obras imagens reais misturadas com sua imaginação e contos de fadas. Esse método de pintar permitiu que, pouco a pouco, adquirisse grande liberdade no uso de cores intensas, contornos arrojados e sombras brutas. Nas suas obras, ocasionalmente misturava areia para dar a textura de granulado aos quadros.

ELEMENTOS GEOMÉTRICOS

Após passar alguns anos na Rússia, voltou à Alemanha para ensinar na Bauhaus. Continuou suas obras com a forte influência das cores, mas introduziu elementos geométricos em sua pintura, como círculos, triângulos, figuras em forma de flechas e retas. E esse foi seu período de produção mais intensa. 

RELAÇÃO COM O OBSERVADOR

No trabalho de Kandinsky, algumas características são óbvias, enquanto certos toques são mais discretos e velados; isto servia para dizer que eles se revelavam só progressivamente àqueles que fazem um esforço para aprofundar a sua conexão com o seu trabalho. Pretendeu que as suas formas fossem subtilmente harmonizadas e colocadas para ressoar com a própria alma do observador.

TRAÇOS DO INCONSCIENTE 

Kandinsky definiu suas improvisações como "especialmente inconscientes, na maior parte despertando, de repente, expressões de eventos de um carater interior e, portanto, impressões da natureza interna". 

PINTURA SOB O VIDRO

Quando estudante, mergulhou nos costumes e crenças dos camponeses e aprendeu, em Murnau, a arte folclórica da Baviera de pintar paisagens e cenas religiosas simples com cores fortes sobre o vidro. Essa técnica, aliada à xilogravura, foi importante no desenvolvimento de seu estilo expressionista. 

ABSTRACIONISMO

Kandinsky passou por um período bem isolado na França - onde viveu num pequeno apartamento e criou seu trabalho num estúdio construído na sua sala de estar - devido ao fato de que sua pintura abstrata não foi reconhecida, tendo rejeição da crítica. 

Na época, muitos consideraram que aquele amontoado de linhas, cores e formas sem significado era obra de doido ou de quem criava sob efeito de drogas. Mais tarde, o artista disse que havia compreendido de forma mais precisa o poder da arte abstrata quando entrou em seu ateliê e não reconheceu uma de suas obras, que estava de cabeça para baixo.

 

SERVIÇO:
Exposição Kandinsky: Tudo começa de um ponto
Data: De 8 de julho a 28 de setembro de 2015
Horário: De quarta a segunda, das 9h às 21h
Preço: Grátis

 

Atualizado em 17 Jun 2015.

Por Nathália Tourais
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças