Guia da Semana

A vez do cantor

Estrela de musicais, Daniel Boaventura dá voz ao seu amor à música

Foto: Divulgação


Ele conhece bem o texto, não corre o risco de esquecer nenhuma parte. Sabe exatamente que posição tem que tomar no palco, mas mesmo assim se sente nervoso. Entre novelas e musicais, agora Daniel Boaventura, 39 anos, decora as letras das canções que interpreta em seu primeiro CD, Songs 4 U, lançado em maio de 2009.

Baiano radicado em São Paulo, quando criança morou por três anos nos Estados Unidos, onde tomou gosto pelas músicas norte-americanas. Nessa época também se interessou por instrumentos e começou a estudar trombone de vara, flauta e saxofone. Como ator, participou de renomadas montagens musicais como A Bela e a Fera, Vitor ou Vitória, Chicago e My Fair Lady, além de ter interpretado o simpático professor Adriano, em Malhação. Atualmente pode ser visto na pele do falso argentino Sólon, na novela Cama de Gato, exibida na Rede Globo.

Filho de pais com uma forte formação acadêmica - a mãe uma professora de francês e o pai um bacharel em direito - Daniel prestou vestibular para administração de empresas, passou por uma faculdade de publicidade e outra de relações públicas. Mas foi a música que o prendeu. Em uma conversa com o Guia da Semana, Daniel Boaventura fala sobre a ansiedade para a turnê do CD, conta como foi feita a escolha das 14 músicas e de como foi emocionante ter uma música cantada por ele na trilha sonora da novela das oito, Caminho das Índias.

Foto: Divulgação


Guia da Semana: Como você escolheu as canções para o CD?
Daniel Boaventura: Primeiro foram feitas várias listas de músicas (totalizando umas 700 canções). Eu adoro pesquisar obras musicais populares, eruditas, jazzísticas... Se me identifico com a melodia ou o arranjo, coloco na lista. Passada esta primeira fase começaram as triagens e reuniões que serviram para "afunilar" esta lista levando em consideração uma série de fatores, que vão desde a busca por temas que tinham a ver com a minha carreira em musicais,  até com quais canções o público poderia se identificar facilmente.

Guia da Semana: Porque as escolhas foram somente músicas americanas?
Daniel Boaventura: Por que é um idioma que eu adoro. Desde o início da minha carreira como cantor (há mais de 20 anos) canto em inglês. Morei nos EUA por três anos durante a minha infância e tive uma forte influência da cultura anglo-saxônica, então quis fazer um CD com a minha verdade. Quem ouvir, verá.

Guia da Semana: Alguma delas tem uma história para você?
Daniel Boaventura: Todas. Mas acho que agora importa mais o que cada música se tornou depois de entrar no CD. Durante a gravação,  testemunhei o talento e a sensibilidade do  produtor de Songs 4 U, Guto Graça Mello, ao me dirigir não apenas como vocalista, mas como intérprete. Mas respondendo a sua pergunta, acho que seria I'm In The Mood For Love. Nunca poderia imaginar que no meu primeiro CD teria a honra de ser convidado para cantar o tema do casal principal da novela vencedora do Emmy,  Caminho das Índias. E ainda por cima, tê-la no meu CD. E também Song For You porque foi a primeira vez que ouvi uma musica minha no rádio... E como poderia imaginar que se tornaria uma das mais tocadas?

Guia da Semana: Você tocava flauta doce, barroca e depois foi para o saxofone. Quando começou a tocar esses instrumentos e de onde veio à curiosidade em aprender?
Daniel Boaventura: Nos Estados Unidos fiz aulas de trombone. Flauta, estudei por dois anos (entre os 13 e 14). Saxofone, bem, neste caso imperou o autodidatismo. Meu pai comprou meu primeiro sax quando eu tinha 16 pra 17 anos. O que me estimulou a querer tocar sax tenor foi um CD do Dire Straits que eu ouvia ate furar. Era um show ao vivo que eles fizeram em 83 e tinha a participação de um saxofonista chamado Mel Collins. Quando ouvi a faixa Two Young Lovers pela primeira vez eu disse pra mim:   "É isso que eu quero".


Foto: TV Globo / Renato Rocha Miranda
 

Guia da Semana: Você já havia bancado um disco do próprio bolso quando tinha 25 anos. Foi uma atitude impulsiva de alguém que não era completamente maduro?
Daniel Boaventura: Não. Foi uma atitude de alguém que estava tentando algo bem intencionado só que no lugar errado, na hora errada e sem estar assessorado.

Guia da Semana: Você teve que adiar a turnê que faria em 2009 por causa da novela Cama de Gato? Está ansioso para começar os shows?
Daniel Boaventura: Muito. Mas o adiamento não foi somente por causa da novela. Esse tempo foi necessário para organizar melhor a turnê. Calendário, patrocínios, repertório. Esperar por 2010 foi também uma estratégia.

Guia da Semana: Você já participou de alguns musicais. Que coisa levou a outra? Os musicais te levaram a música ou o gosto pela música te levou aos musicais?
Daniel Boaventura: A música me levou aos musicais. Comecei como cantor, tocando em bandas. O teatro veio depois e mais tarde os musicais.

Guia da Semana: Pretende gravar um segundo CD? De músicas brasileiras?
Daniel Boaventura: O segundo CD esta nos planos, mas ainda não posso adiantar o repertório.

Foto: TV Globo / Alex Carvalho


Guia da Semana: Ficou com medo de não ser aceito como cantor, devido a seu trabalho de ator?
Daniel Boaventura: Não. Talvez por ter começado como cantor, esse medo não existiu. Fiquei mais preocupado quando comecei no teatro. Me sentia cantor e não ator. A segurança veio com o tempo.

Guia da Semana: Você pensa na reação das pessoas? O que você espera?
Daniel Boaventura: Claro que penso. Sou um artista e tenho minha dose de insegurança. Porém, a reação ao CD e aos shows tem sido fantástica. Minha expectativa é otimista, mas sempre com um friozinho na barriga.

Guia da Semana: O que tem te dado mais prazer: cantar ou atuar?
Daniel Boaventura: Difícil... Sempre acreditei que os dois prazeres poderiam coexistir e me levar a algum lugar. Pela primeira vez sinto que estou chegando onde eu quero.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças