Guia da Semana

Arte sem celebridades

Mesmo sem a participação de estrelas do horário nobre. o espetáculo As Mona Lisas perpetua o sucesso no palco. Ator e autor falam sobre a peça e a carreira

Por Thiago Kaczuroski


A comédia As Mona Lisas, que fica em cartaz de 13 de janeiro a 26 de março no Teatro Eva Wilma, foi escrita em 2001 pelo bailarino, figurinista, cenógrafo e autor Wilson Coca. Ele e o ator Cacá de Lima conversaram com o Guia da Semana e falaram sobre a carreira e a preparação do espetáculo.

Autor de cerca de 30 peças, Wilson Coca disse que a idéia de fazer As Mona Lisas surgiu em 2001. Ele afirma que seu processo de produção é diferente a cada espetáculo: " Peças por encomenda são mais difíceis de fazer. Prefiro criar minhas histórias, meus personagens. Mas também faço adaptações: recentemente adaptei Aladin, Cinderela, Bela Adormecida e A Gata Borralheira para espetáculos infantis". Coca diz que prefere escrever comédias, embora já tenha feito dramas, como Favela Tostão. " Tenho uma amiga que diz que até no drama eu sou engraçado. Mas, no fundo, tudo tem seu lado cômico, como por exemplo, até quando uma pessoa tropeça na nossa frente, antes mesmo de oferecer ajuda, rimos... ".

A peça Um Certo Machão, também de autoria de Coca, foi escrita em dois dias. " Gosto de escrever a lápis em folhas soltas de papel. Depois, uma pessoa passa o texto para o computador. Prefiro criar assim", conta o autor, que no momento está trabalhando em um texto ainda sem nome, sobre duas fantasmas que voltam para assombrar uma casa. " Mais pra frente pretendo lançar um livro com todas as peças, ou pelo menos umas 20 comédias juntas".

O autor diz que suas comédias procuram nunca cair no chulo, ou na apelação. " As Mona Lisas é um espetáculo com três personagens gays, mas em momento algum, faço apologia ao homossexualismo, apesar de respeitar a opção de cada um.". Coca afirma que tenta até mesmo excluir os palavrões das peças. " As Mona Lisas não tem palavrão. Alguns textos acabam tendo um ou outro para ser fiel ao ambiente em que o personagem vive". Ele conta que costuma acompanhar as peças de sua autoria, já que também faz a cenografia e os figurinos da maioria delas.

Em um ponto, tanto Coca quanto Cacá de Lima concordam: o público se surpreende quando vai a um espetáculo que não tem atores famosos, e gosta do que vê. " Uma das melhores críticas que já recebemos foi no interior paulista, onde um jornal colocou que a peça não precisou de atores globais para fazer sucesso, já que em cidades menores as pessoas vão ver o espetáculo muito mais por causa de quem está no elenco, do que pela história", afirma o ator, que nasceu em Fortaleza, mas começou a vida teatral em Brasília.

Cacá, que vinha fazendo o espetáculo As Filhas da Mãe, teve cerca de duas semanas para decorar o papel de Haroldo em As Mona Lisas. " Já havia substituído o Eduardo Moreno no papel de Kaká. Na verdade decorei os três papéis, e agora entro definitivamente no elenco com o papel do figurinista Haroldo. Tenho usado os amigos da televisão como modelo. Acabo fazendo um laboratório com eles".

Ele havia ficado dois anos afastado dos palcos trabalhando em peças empresariais e atividades na noite, como telegramas animados, tem como planos a continuidade no elenco da peça e uma leitura dramática, ainda em negociação. " Tenho também o convite para voltar ao Filhas da Mãe e fiz recentemente um teste para a nova novela do SBT" afirma o ator, que já fez um filme de média-metragem, mas diz preferir o teatro. " Sou um ator com formação de teatro mesmo. No palco as emoções são maiores, tudo é muito grande. Outros meios como a TV e o cinema têm essa diferença: as emoções são mais contidas".

Veja aqui a resenha de As Mona Lisas.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças