Guia da Semana

Cinco décadas nos palcos

Conheça um pouco mais sobre a vida e a carreira de Raul Cortez, um dos mais famosos atores do país

Por Thiago Kaczuroski



Em 2006, um dos mais atuantes e conhecidos atores brasileiros comemora 50 anos de carreira: Raul Christiano Machado Cortez, o Raul Cortez, que em agosto completa 74 anos. São 26 trabalhos na televisão, mais de 60 peças no teatro e quase 30 filmes no cinema.

Raul nasceu em 28 de agosto de 1932, no Bairro de Santo Amaro, em São Paulo. Filho do Sr. Rui e da Sra. Maria da Conceição, ele tem cinco irmãos: Rui Celso, Maria Lúcia, Pedro Augusto, José Eduardo e Regina, que foi uma das primeiras a incentivar a carreira do garoto, que desde cedo já mostrava interesse pelas artes. Quando estudava no tradicional colégio São Bento, Raul venceu um concurso de contos.

No final do colégio foi trabalhar no cartório do pai, que queria que o filho estudasse Direito. Porém um convite para integrar um grupo de teatro amador acabou afastando o jovem da advocacia, e aproximando-o cada vez mais dos palcos.

A estréia como profissional aconteceu em 1956, com a peça Eurídice, no Teatro Brasileiro de Comédia, onde interpretou um papel figurante em que contracenava com Cleyde Yaconis e Walmor Chagas. Já na década de 60, integrou Os Jograis de São Paulo. O sucesso da montagem lhe rendeu alguns prêmios, consolidando de vez sua carreira de ator.

Estreou no cinema em 1964 no filme Vereda da Salvação, de Anselmo Duarte, representando o Brasil no Festival de Berlim e Menção Honrosa de Júri, no Festival de Brasília. Estréia na televisão com a novela Ninguém Crê em mim, de Lauro César Muniz, sob direção de Dionísio Azevedo.

Em 1970, com Rapazes da Banda, recebeu seu primeiro Molière, o Prêmio Governador do Estado Da Guanabara e o Prêmio Embaixada Americana. Em Greta Garbo acabou no Irajá, em que interpretava um homossexual carioca, trabalho que lhe valeu o Prêmio Associação dos Críticos e Governador do Estado de São Paulo. Em 1976, com a peça A Noite dos Campeões, recebeu o seu segundo Molière e o Prêmio Associação dos Críticos de São Paulo. Em 1978 veio o terceiro Molière por Quem tem medo de Virgínia Woolf?.

A década de 80 foi marcante na televisão. Entre minisséries e novelas, destacam-se Baila Comigo, Jogo da Vida, Moinhos de Vento, Partido Alto, Brega e Chique e Mandala. Mas seu maior sucesso de público e crítica viria em 1996, com a novela O Rei do Gado, de Benedito Rui Barbosa, onde interpretava o imigrante Jeremias Berdinazi. Em 1999, viveu Francesco Magliano na novela Terra Nostra.

Raul foi casado por três vezes: com a atriz Célia Helena, com quem teve a primeira filha Lígia, também atriz, depois, nos anos 60, com a atriz francesa Simone Jacquey e com Tânia Caldas, mãe de sua segunda filha, Maria.

No final de 2004, Raul Cortez deu um susto nos fãs e familiares: após se queixar de dores abdominais, foi internado para a retirada de um tumor no aparelho gastrointestinal. Na época da internação, Raul estava na novela Senhora do Destino e estreava o filme Do Outro Lado da Rua, com Fernanda Montenegro. Atualmente, dá cursos e palestras sobre o ofício de ator, e não tem trabalhos programados para voltar aos palcos.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças