Guia da Semana

Claudia Raia no Cabaret

Atriz vive a protagonista Sally Bowles no musical que cumpre temporada no Teatro Procópio Ferreira

De volta aos palcos e com nova roupagem, o espetáculo da Broadway Cabaret traz Claudia Raia como personagem principal, a marcante Sally Bowles. A atriz, que foi convidada para participar da primeira versão brasileira, de Jorge Takla, em 1989, não pode aceitar por estar comprometida com a novela Rainha da Sucata. Beth Goulart assumiu, então, o papel.

>> Saiba mais sobre a reestreia do musical
>> Veja entrevista com Jarbas Homem de Mello
>> Saiba quais são as peças que estreiam no teatro nesta semana
>> Veja o que é imperdível no teatro em SP
>> Confira outros musicais que vão agitam a cidade em 2012

O Musical

O contexto em que está inserido o espetáculo influenciou no texto forte e carregado de crítica. Berlim do período entre guerras, na década de 30, foi cenário de duas histórias de amor. A primeira é a de Sally e um escritor norte-americano que tenta ganhar a vida na Alemanha. A outra envolve um judeu e uma alemã, que têm seus destinos atravessados pela perseguição de um nazista.

A Versão Brasileira

Mais de vinte anos depois, após uma corrida pelos direitos autorais do musical e advogados nos Estados Unidos, Claudia finalmente tem a oportunidade de produzir e estrelar Cabaret. Apesar do longo caminho até aqui, ela considera o momento ideal para viver Sally, depois de grandes trabalhos como Sweet CharityA Chorus LineO Beijo da Mulher-Aranha e Pernas Pro Ar. E sobre a preparação ela conta: “Nunca usei esse corpo antes, nunca usei essa voz, nunca usei essa visão para fazer um personagem”. Esse é o décimo musical que protagoniza.

A atual adaptação brasileira tem a assinatura de Miguel Falabella, que apimentou e aproximou o texto de uma dramaturgia pesada e trágica, sem perder a sátira e o humor. Trouxe ainda maturidade à desvirtuada Sally, que é uma prostituta, em contraste à interpretação de Liza Minnelli na versão cinematográfica, em que atuava como uma cantora do cabaré. Sobre as canções, Claudia destaca: “As grandes versões do Miguel estão em Cabaret”. A direção do espetáculo ficou por conta de José Possi Neto.

Cenário e Figurino

Cenário e figurinos retomam formas de época e trazem uma sensualidade elegante. Mesas em cima do palco acomodam parte do público, que ajuda a construir o clima de cabaré. Nas duas escadarias laterais acontecem performances e cortinas de cristais percorrem o fundo do espaço. Quase escondida, aguçando a curiosidade da plateia, a banda de 14 músicos é regida em cena pela maestrina Beatriz de Luca.

 

Atualizado em 8 Ago 2012.

Por Camila Boehm
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças