Guia da Semana

Claudia Raia no Cabaret

Atriz vive a protagonista Sally Bowles no musical que cumpre temporada no Teatro Procópio Ferreira

De volta aos palcos e com nova roupagem, o espetáculo da Broadway Cabaret traz Claudia Raia como personagem principal, a marcante Sally Bowles. A atriz, que foi convidada para participar da primeira versão brasileira, de Jorge Takla, em 1989, não pode aceitar por estar comprometida com a novela Rainha da Sucata. Beth Goulart assumiu, então, o papel.

>> Saiba mais sobre a reestreia do musical
>> Veja entrevista com Jarbas Homem de Mello
>> Saiba quais são as peças que estreiam no teatro nesta semana
>> Veja o que é imperdível no teatro em SP
>> Confira outros musicais que vão agitam a cidade em 2012

O Musical

O contexto em que está inserido o espetáculo influenciou no texto forte e carregado de crítica. Berlim do período entre guerras, na década de 30, foi cenário de duas histórias de amor. A primeira é a de Sally e um escritor norte-americano que tenta ganhar a vida na Alemanha. A outra envolve um judeu e uma alemã, que têm seus destinos atravessados pela perseguição de um nazista.

A Versão Brasileira

Mais de vinte anos depois, após uma corrida pelos direitos autorais do musical e advogados nos Estados Unidos, Claudia finalmente tem a oportunidade de produzir e estrelar Cabaret. Apesar do longo caminho até aqui, ela considera o momento ideal para viver Sally, depois de grandes trabalhos como Sweet CharityA Chorus LineO Beijo da Mulher-Aranha e Pernas Pro Ar. E sobre a preparação ela conta: “Nunca usei esse corpo antes, nunca usei essa voz, nunca usei essa visão para fazer um personagem”. Esse é o décimo musical que protagoniza.

A atual adaptação brasileira tem a assinatura de Miguel Falabella, que apimentou e aproximou o texto de uma dramaturgia pesada e trágica, sem perder a sátira e o humor. Trouxe ainda maturidade à desvirtuada Sally, que é uma prostituta, em contraste à interpretação de Liza Minnelli na versão cinematográfica, em que atuava como uma cantora do cabaré. Sobre as canções, Claudia destaca: “As grandes versões do Miguel estão em Cabaret”. A direção do espetáculo ficou por conta de José Possi Neto.

Cenário e Figurino

Cenário e figurinos retomam formas de época e trazem uma sensualidade elegante. Mesas em cima do palco acomodam parte do público, que ajuda a construir o clima de cabaré. Nas duas escadarias laterais acontecem performances e cortinas de cristais percorrem o fundo do espaço. Quase escondida, aguçando a curiosidade da plateia, a banda de 14 músicos é regida em cena pela maestrina Beatriz de Luca.

 

Atualizado em 8 Ago 2012.

Por Camila Boehm
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Artista recria obras e retratos famosos em plantação de milho

Salvador Dalí, Andy Warhol e outros já passaram pelas mãos de Will Sillin

Quase 90 anos após lançamento, primeiro livro de Tintin será publicado em versão colorida

A nova edição chega às livrarias em janeiro de 2017

Pinacoteca do Estado é avaliada como melhor museu do Brasil e América do Sul

Pesquisa foi divulgada pelo Trip Advisor; mais dois museus localizados em SP entraram para lista

8 passeios culturais para fazer na zona leste de SP

Espaços culturais, museus, SESCs e teatros fazem parte da programação

Inscrições para o 21º Cultura Inglesa Festival estão abertas

Interessados têm até o dia 1º de novembro para enviar projetos inspirados na cultura britânica em diversas áreas

Espetáculo "Vermelho" tem sessões especiais para deficientes auditivos e visuais

Antônio e Bruno Fagundes se apresentam com intérprete de Libras, audiodescrição e legendas