Guia da Semana

Coleção Yves Saint Lourent bate recorde de vendas

Publicação: quinta, 26 de fevereiro de 2009

Com dois dias de duração, o leilão da coleção das obras de Yves Saint Lourent superou todas as expectativas. O evento arrecadou 206 milhões de euros em vendas só na primeira sessão. No segundo dia, o leilão do século, como ficou conhecido, ultrapassou os 300 milhões de euros. A obra mais cara foi Les coucous, tapi bleu et rose, natureza morta pintada em 1911 por Henri Matisse.

Entre as obras à venda, estavam duas esculturas em bronze que foram roubadas do Palácio de Verão de Pequim pelas tropas francesas e britânicas por volta de 1860. O Governo chinês quis proibir o leilão das peças, mas a justiça de Paris considerou que os detentores legais das esculturas seriam mesmo Yves Saint Laurent e Pierre Bergé.

Segundo o Jornal britânico The Independent, Bergé cogitou devolver as peças ao governo chinês desde que o país se comprometesse a respeitar os direitos humanos e conceder liberdade ao Tibet. O governo chinês considerou as condições ridículas.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Obras do MASP agora podem ser vistas em plataforma on-line gratuita

Museu integra a partir de hoje o acervo do Google Arts & Culture

Museu do Café, em Santos, inaugura exposição gratuita sobre propaganda da bebida

A partir de 28 de dezembro, os visitantes poderão conhecer as estratégias das marcas de café de 1900 a 1959

Especial férias: MASP abre ao público em todas as segundas-feiras de Janeiro

Programação de férias disponibiliza cinco dias a mais para visitar o Museu

5 motivos para assistir ao documentário "O começo da vida" na Netflix

O filme mostra a importância dos primeiros anos de vida sob a ótica dos quatro cantos do mundo

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA