Guia da Semana

Com gosto de infância

Gero Camilo e Caco Ciocler estrelam o espetáculo Aldeotas, em cartaz no TUCA

Camilo e Ciocler: o corpo como instrumento
Foto: Divulgação

Um tapete branco, um calhamaço de folhas e um impressionante trabalho de expressão corporal: são só destes três elementos que os atores Gero Camilo e Caco Ciocler precisam para encenar o espetáculo Aldeotas, em cartaz no TUCA.

A peça conta a história de Levi e Elias, dois amigos de infância que, ao completarem 50 anos, se reencontram na pequena cidade fictícia de Coti das Fuças para reviverem os dramas, alegrias e descobertas do passado. O encontro, porém, só acontece no imaginário de um deles.

Foto: Divulgação
Não é a primeira vez que o texto do ator, cantor e poeta Gero Camilo é encenado. Dirigido por Cristiane Paoli-Quito, Aldeotas fez temporadas no Rio de Janeiro e São Paulo e ganhou o Prêmio Shell 2004 de melhor direção com elenco formado pelo autor e por Marat Descartes, vencedor do prêmio Shell 2006 de melhor ator por Primeiro Amor.

Com a saída de Marat do elenco e o fim da novela Páginas da Vida, onde Ciocler vivia o fotógrafo Renato, Gero convidou o amigo e contemporâneo da EAD - Escola de Artes Dramáticas da USP - para interpretar o sofrido Elias. "Além da EAD, atuamos juntos no filme Bicho de Sete Cabeças. O convite veio em um momento excelente. Ensaiei e entrei em cartaz em duas semanas" , conta Ciocler.

Embora não seja um espetáculo autobiográfico, Camilo reviveu histórias de sua própria infância em uma viagem que fez a Fortaleza, sua terra natal. "É um texto que leva os espectadores a entrarem em contato com suas recordações, a relembrarem sua própria infância" , comenta.

A dupla em cena: pouco cenário, muita interpretação
Foto: Divulgação

Na trama, o autor vive Levi, um menino que tem uma vontade de viver e descobrir o mundo desproporcional ao provincianismo da pequena cidade onde vive. Na adolescência, Levi arquiteta um plano para fugir de lá com seu inseparável companheiro Elias, que acaba desistindo na hora da partida.

O texto, poético e visual, ganha um colorido especial com a sólida interpretação e o competente trabalho de expressão corporal de Gero Camilo, que se mostra mais uma vez como um ator que merece o adjetivo de completo e deve surpreender o público que ainda não conhece seu trabalho.

Já Ciocler, que apesar de rejeitar o rótulo de galã global deve justamente por isso atrair uma pequena multidão de fãs ao TUCA, cumpre de maneira correta o papel de escada. O resultado é um espetáculo que impressiona por sua beleza e simplicidade e que merece ser conferido com atenção, apesar do aumento de impressionantes 150% no preço do ingresso desde a mudança no elenco.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Obras do MASP agora podem ser vistas em plataforma on-line gratuita

Museu integra a partir de hoje o acervo do Google Arts & Culture

Museu do Café, em Santos, inaugura exposição gratuita sobre propaganda da bebida

A partir de 28 de dezembro, os visitantes poderão conhecer as estratégias das marcas de café de 1900 a 1959

Especial férias: MASP abre ao público em todas as segundas-feiras de Janeiro

Programação de férias disponibiliza cinco dias a mais para visitar o Museu

5 motivos para assistir ao documentário "O começo da vida" na Netflix

O filme mostra a importância dos primeiros anos de vida sob a ótica dos quatro cantos do mundo

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA