Guia da Semana

Escrito à mão

Sandy acaba de estrear a turnê do álbum Manuscrito, lançado em maio, e totalmente autoral

Foto: Divulgação

Olhos fechados e leves movimentos com os braços são algumas marcas atuais de Sandy ao cantar

Eclético, mas com traços personalizados; romântico, mas com batidas fortes; intimista, mas com direito a multidões: são algumas das impressões que o público terá ao assistir aos shows da turnê Manuscrito de Sandy Leah Lima. Aos 27 anos, e há três fora dos palcos, a cantora estreou sua turnê solo no último dia 19, na capital paranaense, e mostrou que ainda faz muito bem o que aprendeu em seus 17 anos de carreira ao lado do irmão Júnior: emocionar seus fãs.

O público não se restringe ao mesmo que a seguia no passado. Ele tornou-se muito mais abrangente, variado e conseguiu conquistar adolescentes, jovens e pessoas da terceira idade. Ao Guia da Semana, Sandy revelou que está vendo muita gente da época antiga - que costumava seguir a dupla - nos espetáculos que tem feito.

"São aquelas pessoas que continuam se identificando com a música e isso é muito legal. Mas também há muitos fãs novos", conta. Ela completa que tem visto muitos casais na plateia e que a maioria parece ter mais de 25 anos. Os fãs de São Paulo e Porto Alegre também já puderam conferir o show da turnê Manuscrito e, no dia 12, são os cariocas quem vão receber a cantora, no Vivo Rio.

Foto: Divulgação

O show de estreia da turnê Manuscrito foi no Teatro Positivo, em Curitiba, e estava com os ingressos esgotados semanas antes do espetáculo, assim como tem acontecido nas outras capitais

Novos frutos

Assim como seu público, Sandy também mudou e não é a mais a mesma que ficou eternizada com as músicas Maria Chiquinha, Vamo Pulá e Quando Você Passa. A cantora amadureceu seu gosto musical no novo trabalho e optou por seguir o estilo que mais lhe agrada, interpretando melodias que vão do pop romântico à consagrada MPB, que também são os ritmos que embalam o dia a dia da cantora. "O que mais escuto, atualmente, é pop rock britânico, MPB, folk norte-americano. É bem variado", explica.

Durante a turnê Manuscrito, ela também aparece nos palcos como instrumentista, a frente do piano, tocando pandeiro meia lua e percursão, entre outros. Sua participação enriquece ainda mais a qualidade da banda, formada por Adelino Costa na bateria, Eloá Gonçalves no piano e nos teclados, André Caccia Bava e Maurício Caruso nas guitarras e violões, e Alex Heinrich nos baixos elétricos e acústicos. Quanto ao repertório dos shows, Sandy priorizou as músicas do álbum Manuscrito - que já fazem coro durante as apresentações, principalmente na hora de Pés Cansados (veja o clipe abaixo) - com 13 faixas.  

"Toco o trabalho novo, alguns covers e outras da dupla também, atendendo a pedidos, pois o público queria muito. Também fizemos vários arranjos novos", comenta. Os fãs da cantora realmente vão se surpreender nos shows com a nova roupagem que ela produziu para suas antigas músicas e para as que homenageia grandes nomes da música nacional e internacional, como Marisa Monte, Lenine, Corinne Bailey Rae e Oasis.

Foto: Divulgação

Ao longo do show, Sandy revela seu lado instrumentista e acompanha sua banda com instrumentos variados, como percussão e piano

Transição para o solo

De acordo com a cantora, nessa nova fase tudo se torna um desafio. "Passei 17 anos com o meu irmão e, agora, tenho que liderar tudo sozinha. Tenho a responsabilidade do show, toda a parte prática, além de só eu dar entrevistas. Antes eu dividia tudo. No entanto, o que mais me desafia é escolher tudo sem contar com a opinião dele", revela. Sandy explica que ainda recebe bastante apoio de Júnior, porém, é inegável que sua responsabilidade aumentou.

Ela completa que continuam existindo 'mil olhos' em cima dela, na expectativa para saber o que está fazendo. "Mas eu gosto disso, estou super feliz. O público tem me recebido muito bem", destaca. As treze músicas que compõem o álbum Manuscrito são autorais, inéditas e predominam mais os sons acústicos e suaves.

Um dos grandes destaques do disco é a participação da cantora Nerina Pallot na música Dias Iguais. Sandy, que sempre admirou o trabalho da artista britânica, foi até Londres para gravar essa canção no estúdio próprio de Nerina. A londrina foi a responsável pela exímia interpretação de piano na música e ainda dividiu a autoria com Sandy.



Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças