Guia da Semana

Eternamente jovem

Diretora e ator de O Retrato de Dorian Gray falam sobre a montagem


Por Thiago Kaczuroski


Um texto escrito em 1890, que até hoje interessa pessoas das mais diversas idades, principalmente jovens. O Retrato de Dorian Gray ganha uma nova adaptação, feita por Débora Dubois e Marcos Damigo, que fica em cartaz no Teatro Popular do Sesi de 22 de abril a 13 de agosto. O Guia da Semana conversou com ambos, que contaram como foi a preparação do espetáculo.

Débora, que dirige a peça, conta que a adaptação do texto aconteceu rapidamente. " Foram cerca de três meses de trabalho. No texto, especificamente, ficamos trabalhando uma semana" Marcos conta que o ritmo foi intenso: " fiquei uma semana, junto com a Lavínia Lorenzon e a Débora, e trabalhávamos doze, quatorze horas por dia ajeitando as falas, a dramaturgia, mas o texto ficou muito próximo do original".

A diretora conta que a idéia de adaptar o livro de Oscar Wilde surgiu depois de ver uma notícia. " Há alguns anos, dois jovens morreram ao usar anabolizante de gado. Essa busca pela beleza física a qualquer custo me fez reler o romance e perceber que ali as questões dessa beleza estavam muito vivas ainda. E o jovem tem muito disso". A peça foi montada visando principalmente este público, os adolescentes. " No Brasil temos peças adultas e infantis; este público adolescente tem muito poucas peças escritas e poucos grupos encenando".

Marcos afirma que o espetáculo tem uma preocupação especial com o público. " O primeiro cuidado é não subestimar o jovem, fazendo uma coisa rasa. Visitando fóruns na internet sobre o Dorian Gray, vi gente de 15, 16 anos com uma percepção, uma sensibilidade, que deixa muito ´adulto´ no chinelo". Marcelo diz que quer estabelecer uma relação não de "adulto para adolescente", mas de "gente para gente" com a peça.

Uma das coisas "jovens" do espetáculo é a trilha sonora, que vai da música clássica ao rock. " No palco teremos dois músicos, tocando piano e celo, e um DJ, que fará a sonoplastia da peça e a trilha sonora. Começa com um concerto de Rachmaninov e vai até a Björk, Metallica e Nirvana". Depois da temporada no Teatro Popular do Sesi, Débora quer levar a peça para outros lugares do país. " Pretendemos viajar, sim. Mas tudo depende de patrocínio. É uma peça grande, com cenários, aparelhagem, usamos quatro laptops em cena. É um espetáculo caro. Mas nossa vontade é levar para outras cidades".

Uma história de mais de 110 anos, sobre um jovem que não envelhece, mas sofre todas as frustrações e desvantagens de manter-se sempre com a mesma aparência. Uma história de um jovem, que não foi escrita exatamente para os jovens, e que interessa pessoas de várias idades há diversas gerações. O Retrato de Dorian Gray é uma coohance de conferir um dos clássicos da literatura mundial encenado em um local de fácil acesso e, melhor ainda, de graça!

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Museu do Café, em Santos, inaugura exposição gratuita sobre propaganda da bebida

A partir de 28 de dezembro, os visitantes poderão conhecer as estratégias das marcas de café de 1900 a 1959

Especial férias: MASP abre ao público em todas as segundas-feiras de Janeiro

Programação de férias disponibiliza cinco dias a mais para visitar o Museu

5 motivos para assistir ao documentário "O começo da vida" na Netflix

O filme mostra a importância dos primeiros anos de vida sob a ótica dos quatro cantos do mundo

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP