Guia da Semana

Fernanda Takai fala sobre o novo álbum e a turnê

Vocalista do Pato Fu conversa com o Guia da Semana sobre novos projetos da banda mineira



O Pato Fu acaba de lançar seu nono álbum em 15 anos de carreira. Daqui pro Futuro foi gravado no estúdio particular da banda, em Belo Horizonte, e produzido pelo guitarrista John Ulhoa. A novidade fica por conta da distribuição independente, feita pela Tratore Records. A turnê, que começou no dia 7 de setembro no Rio de Janeiro, seguiu para São Paulo, onde teve quatro apresentações (uma somente para convidados) no teatro do Sesc Vila Mariana. "Prefiro tocar em teatros. A gente faz muito show em boates e feiras, onde muita gente não tá nem aí pra banda que toca. E os shows sempre começam muito tarde, é muito cansativo sair do hotel 1 da manhã... se não fossem meus shows eu nem iria! (risos) Aqui se toca num horário de gente [21 horas]. Sem contar que o público saiu de casa especialmente pra nos ver. A platéia interage muito mais", comenta a vocalista Fernanda Takai, minutos antes do show do dia 22.

De fato, a atmosfera das apresentações é bastante intimista. Com espaço para baladas e interferências agitadas, pelo menos quatro grandes sucessos da banda estão de fora: Pinga, Qualquer Bobagem, Antes Que Seja Tarde e Ando Meio Desligado. "É cada vez mais difícil montar um set list, porque tem muito disco. Dessa vez tiramos muita coisa emblemática. O dilema é o de fazer sempre o mesmo show ou então caracterizar a turnê com determinada fase", explica Fernanda. "Nosso disco novo tem muita coisa que merece ser ouvida, por isso estamos tocando sete músicas dele. É muita música nova. Tem fã que reclama das duas coisas: uns dizem que esse repertório é muito cheio de hit e que a gente tinha que tocar só lado B, enquanto outros acham que tem poucos hits!" O repertório contém clássicos como Sobre o Tempo, Depois, Eu, Made In Japan e Canção Pra Você Viver Mais.



Uma das apostas do Pato Fu é Tudo Vai Ficar Bem, faixa com participação da cantora colombiana Andrea Echeverri, do grupo Aterciopelados. "Desde 2002, a gente se corresponde por e-mail. Mandamos nossos discos pra eles, e eles nos mandam os deles. Viramos coleguinhas de internet", conta Fernanda. A amizade se consolidou ano passado, quando Hector (baixista do Aterciopelados) convidou a vocalista do Pato Fu a participar de seu disco solo, do qual também participam grandes nomes do pop latino, como a mexicana Julieta Venegas. Foi o momento certo para convidá-los a colaborar com o disco do Pato Fu. "Na semana que a gente mandou a música, o Hector tinha sido pai. Aí ele disse: ´puxa, não vou conseguir produzir nada pra faixa!´ A Andrea então, fez uma versão da música que a gente mandou, e o Hector só gravou. Ela seguiu o que eu cantei em português, e abriu uma outra voz. Daí me mandou um mp3 com a versão em espanhol. E eu segui o que ela fez! Foi tudo pela internet", revela Fernanda.

Daqui pro Futuro está sendo distribuído fora do Brasil, através de parcerias da Tratore com selos estrangeiros. Fernanda e John estiveram no Japão em agosto, onde fizeram quatro pockets, já que o disco foi lançado simultaneamente do outro lado do mundo. "Na verdade, fui me apresentar no Japão no desfile do Ronaldo Fraga, como aconteceu antes no São Paulo Fashion Week. Aí aproveitamos para fazer os pockets. A idéia é que no ano que vem, com o lançamento do disco na Europa, a gente faça alguns shows lá, durante o verão europeu". Em novembro deste ano, Fernanda Takai deve lançar seu primeiro CD solo, uma homenagem à Nara Leão, com versões de todas as suas fases. Produzido por John Ulhoa e com direção artística de Nelson Motta, o álbum ainda não tem título definido. "A gente não deve excursionar com esse projeto ainda em 2007, talvez façamos um ou dois shows apenas, como laboratório. Tô montando a banda ainda. Mas provavelmente rolem algumas apresentações em 2008", afirma a vocalista.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças