Guia da Semana

Humor em alta

Trio Barbixas é responsável pelos vídeos brasileiros mais acessados na internet

Foto: Divulgação

Elidio, Daniel e Anderson são os integrantes da Cia. Barbixas de Humor

Com mais de 130 milhões de acessos no site YouTube, os comediantes paulistanos estão entre os 100 nomes mais pesquisados na internet, ao lado de Madonna, Barak Obama e Universal Music. Os responsáveis por todo esse sucesso são Anderson Bizzocchi, Daniel Nascimento e Elidio Sanna. Eles compõem a tríade de humoristas chamada Cia. Barbixas de Humor, formada há seis anos. Em pouco tempo de carreira, eles conquistaram seu espaço: já apresentaram cinco espetáculos, foram elenco de dois programas de humor na TV e estão em cartaz com o espetáculo Improvável, que rendeu a famosa websérie. Devido à grande procura do público, a temporada do show em São Paulo foi prorrogada até 28 de outubro.

O diferencial dos Barbixas é que eles seguem a linha do teatro-esporte, que são os jogos de improvisação e nada têm a ver com as comédias do estilo stand up. Com o sucesso batendo na porta, eles não param por aí. Os humoristas planejam voltar com um outro espetáculo, que teve muito sucesso em 2007, Em Breves, e almejam um novo programa na televisão com o mesmo formato de esquetes. Quem contou ao Guia da Semana um pouco da história dos Barbixas e sobre outros projetos do grupo foi o integrante Daniel Nascimento.

Guia da Semana: Como surgiu o grupo Cia. Barbixas de Humor?
Daniel: Tudo começou nos palcos mesmo, só que em outra situação. Eu e o Andy (Anderson Bizzocchi) trabalhávamos com música, como backing vocals. Fizemos shows até com o Oswaldo Montenegro. Nos intervalos dos ensaios e das apresentações, fazíamos brincadeiras no palco para a galera. Era muito divertido, mas nunca imaginamos que isso um dia viraria coisa séria. Resolvemos estudar com o Elidio, que foi, e ainda é, nosso professor de improviso. Ele tinha acabado de voltar do Canadá, onde concluiu um curso de theater sports (teatro-esporte), na Loose Moose. Nos treinos, a coisa sempre fluía bem entre os três, daí decidimos montar o grupo.
 
Guia da Semana: Vocês já apresentaram cinco espetáculos, todos com muito sucesso e apresentados em teatros renomados. Qual a fórmula desse sucesso?
Daniel: O que mais nos ajudou foi a internet, especialmente o (site) YouTube. Colocamos na rede os vídeos da estreia, enviamos para os produtores e donos de teatro para conseguir apoio. Eu acho que eles nem abriram os links, porque todas as respostas foram negativas. No entanto, um dia o  YouTube nos colocou como destaque por algumas horas na página inicial. Foi assim que a "coisa" não parou mais e, hoje, temos milhões de acessos em nosso site  devido à websérie de maior sucesso no Brasil. É o boca a boca moderno, a 'viralização' em favor do teatro.

Guia da Semana: Como funciona o mecanismo do teatro-esporte, que permeia as regras do espetáculo em cartaz, o Improvável?
Daniel: O teatro-esporte é baseado nos jogos de improviso, que seguem princípios simples de atuação e ajudam no raciocínio e no treinamento dos atores. O jogo  Só Perguntas, por exemplo, é um mecanismo criado para mostrar aos jogadores o quanto é ruim ficar fazendo perguntas numa cena de improviso, pois ela não avança.

Guia da Semana: Como vocês se preparam para os espetáculos, já que tudo gira em torno do improviso?
Daniel: Não existe nenhum roteiro nesse tipo de jogo. Nós nos preparamos treinando e com muita vitamina. (risos)

Guia da Semana: Em todos esses espetáculos, o público tem participação ativa, ditando o rumo das cenas. Nesse ínterim, já passaram por alguma saia-justa?
Daniel: O público é quem escreve o espetáculo junto com a gente, sempre nos colocam numa saia-justa! Os temas propostos pela plateia são desafios que enfrentamos a todo momento e, de fato, não temos ideia do que vai sair. A sensação em cena é de que estamos mais expostos do que pessoas peladas.

Foto: Divulgação

Cena do espetáculo Improvável, com a participação de Marcelo Tas e Rafinha Bastos

Guia da Semana: Há sempre um ator-jogador convidado para participar do espetáculo, que ocupa o papel do Mestre de Cerimônia, conhecido como MC. Como vocês os escolhem?
Daniel: No formato do Improvável, sempre temos dois convidados. Normalmente, um é jogador e outro é o MC. Mas em alguns casos já chamamos dois jogadores e um dos Barbixas foi intermediar. O critério de escolha do convidado varia bastante, porém, o mais importante é que ele tenha algum tempo para treinar com o grupo. Assim, podemos sentir como ele 'atua' e pensamos em jogos específicos para alguma habilidade que o ator tenha.

Guia da Semana: Quais são as principais diferenças entre o teatro-esporte e a comédia estilo stand up?
Daniel: Todas. Usando uma metáfora: se um fosse um abacaxi o outro seria um martelo.
É uma confusão atual chamar tudo que é humor de stand up. Espero que isso mude com o tempo e que os meios de comunicação ajudem a solucionar esse ruído.

Guia da Semana: Como surgiu o convite para participar do programa Quinta Categoria, da MTV?
Daniel: O (Marcos) Mion ligou para mim e me chamou para comer um sushi... (risos) Eu adoro sushi! Aceitei o que ele propôs sem pensar. É a vida. Acabamos fazendo o programa por um ano.

Guia da Semana: O que mais diferencia o Quinta Categoria do Improvável, já que ambos são jogos de improviso?
Daniel: Os formatos são bem diferentes. No Improvável nós é que atuamos, dirigimos, editamos e colocamos na internet. O produto é 100% nosso. Deixamos as piadas que nós achamos boas e colocamos o improviso em primeiro lugar. Na TV é tudo mais complicado, pois não tínhamos acesso à edição e, em alguns casos, nem decidíamos se um certo jogo iria ou não ao ar. O pensamento da TV é outro e não costuma colocar o improvisador em primeiro plano. É outra mídia e tem outros objetivos.

Guia da Semana: Após a passagem pela MTV, os Barbixas estiveram no elenco do É Tudo Improviso, na Band. Como foi a participação?
Daniel: O convite surgiu através do Marcio (Ballas), enquanto estávamos no ar com o Quinta, na MTV. Fizemos apenas a primeira temporada e fomos chamados para fazer alguns na segunda.
 
Guia da Semana: O que mudou na carreira de vocês após as participações nos programas de TV?
Daniel: Fama, dinheiro, mansões, mulheres, viagens, mulheres, alguns homens, iates, mais mulheres, convites para posar nu... Aí, eu acordei. (risos)
 
Guia da Semana: Quais são os projetos futuros dos Barbixas?
Daniel: Continuamos com a websérie do Improvável, no YouTube, e vamos fazer outras com cenas não improvisadas. Estamos procurando espaço na TV para fazer um outro projeto, com o mesmo esquema de esquetes. No final do ano, vamos voltar com o nosso espetáculo Em Breves.


Atualizado em 1 Dez 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças