Guia da Semana

Intrépida Trupe

Grupo carioca volta a São Paulo com o espetáculho Sonhos de Einstein


Por Thiago Kaczuroski


Depois de 12 anos sem apresentar uma temporada em São Paulo, o grupo carioca Intrépida Trupe volta à capital paulista com o espetáculo Sonhos de Einstein. O Guia da Semana conversou com o diretor da montagem, Cláudio Baltar e com uma das criadoras da companhia, Valéria Martins, que assina a direção de produção e figurinos.

O grupo trabalha com trapézios, balanços e armações, que fazem com que a dinâmica do espetáculo seja mais agitada e interativa que as peças tradicionais. Nas laterais do palco foram instaladas arquibancadas, as cadeiras centrais foram retiradas e o palco se prolonga pelo teatro. Mas a grande novidade fica por conta de balanços instalados bem perto do palco, de onde as pessoas poderão assistir ao espetáculo. Tudo pensado para o público ficar mais perto das cenas.

Os 14 atores que participam da montagem tem formação circense, e segundo Valéria Martins, a preparação para o espetáculo durou cerca de oito meses. Ela conta que o espetáculo foi pensado para ser apresentado na sede do grupo, no Rio de Janeiro, e que os diferentes teatros em que se apresentaram pelo Brasil acabaram mudando algumas coisas da peça. O diretor, Cláudio Baltar, afirma que o palco paulista, por ser maior e mais alto, dá mais impacto aos movimentos, que ganha na amplitude. Ambos contam que o espetáculo foi muito bem recebido por onde passou. " No nordeste, onde a estrutura do circo ainda é muito precária, as pessoas se emocionaram", conta Valéria.

A parte "científica" da peça, com os conceitos de física, surgiu a partir de uma conversa com um profissional da área. " Queremos mostrar como a física está presente no nosso dia-a-dia e nem percebemos. A voz do cientista que entra na peça como Einstein é de um físico de verdade, que nos falou sobre alguns conceitos e regras desta ciência".

Cláudio afirma que a demora para trazer um espetáculo a São Paulo foi por conta da grandeza da armação e de dificuldades de patrocínio. "A estrutura toda demora cerca de uma semana pra montar, e viajar sem patrocínio, realmente não dá". O grupo ensaia às sextas-feiras antes do espetáculo e depois do fim de semana volta para o Rio.

A Intrépida Trupe já participou algumas vezes dos desfiles do carnaval carioca como a comissão de frente de escolas como Estácio de Sá e Mocidade Independente de Padre Miguel. Valéria conta que a dinâmica desses trabalhos é bem diferente da de uma apresentação normal. " Há três anos não participamos do carnaval. A preparação é um pouco diferente, muito mais rápida, e tudo está voltado para uma apresentação única".

Depois da temporada paulista, a companhia começa a preparar o novo espetáculo, que segundo Valéria, que não revelou muitos detalhes, será uma partida de totó (ou pebolim, como é conhecido aqui em São Paulo) gigante.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças