Guia da Semana

Mais loira e mais mulher

Lançando seu sétimo álbum, a cantora fala sobre perspectivas, mudanças e sonhos

Foto: Marcus Oliveira


Em busca do que define ser uma nova fase em sua vida e com a intenção de dar uma repaginada na carreira e no visual, Wanessa Camargo, ou simplesmente Wanessa, acredita ter encontrado seu verdadeiro eu. Lançando o álbum Meu Momento, a cantora fez parcerias com artistas do naipe de Ja Rule, com o qual divide os vocais na canção Fly/Meu Momento (gravada em inglês e português), e Rita Lee, na regravação do sucesso Coisas da Vida.

Deixando de lado o estilo teen em seu sétimo álbum, a filha de Zezé Di Camargo quer quebrar o rótulo de garotinha e mostrar a que veio, sem deixar de lado suas origens. Batemos um papo com Wanessa sobre o novo trabalho, a carreira e o futuro. Confira!

Guia da Semana: Como surgiu a ideia de gravar a música com o Ja Rule?
Wanessa Camargo: Começou quando eu estava com uma ideia de trazer uma sonoridade nova ao meu público, uma coisa mais pop. Então, veio a primeira música, Meu Momento, com o DJ Deeplick, que é o produtor do CD, e assim começamos. Eu passei a minha história, que é praticamente do que fala a música, parece um raio-x da minha alma, fala tudo por mim. E entre reuniões e conversas surgiu a intenção de trazer um rapper, e o Marcos Buaiz, meu marido, sugeriu o Ja Rule, pois já haviam trabalhado juntos. Todo mundo aprovou, até por ele já ter gravado com outras cantoras. Fizemos o convite, ele aceitou, e durante os ensaios, se identificou muito com a música. Ele volta para participar de alguns shows fechados, mas ainda não estão confirmadas as datas.

Guia da Semana: Como foi a integração durante as gravações do clipe?
Wanessa: Gravamos em São Paulo, no Royal, um lugar que tem tudo a ver com balada, dança e com a cidade também. E o terraço de lá tem uma vista para a cidade inteira. Então, fizemos com ele de dia e à noite comigo, sentada em um sofá num clima que tem tudo a ver comigo, com São Paulo. Além de ter a ver com as fotos do CD, que foram feitas em pontos diferentes da cidade.

Foto: Divulgação


Guia da Semana: Você pensa em entrar para o mercado internacional?
Wanessa: Não. A música em inglês é muito aceita aqui no Brasil, a gente pode ver pela quantidade de sons internacionais que tocam nas rádios. E foi sem pretensão nenhuma mesmo, apenas para esse trabalho com o Ja Rule. Queríamos colocar como um bônus track, e acabou que as rádios gostaram e veicularam a versão em inglês, e a em português virou o bônus track.

Guia da Semana: De onde surgiu o nome para o álbum Meu Momento?
Wanessa: Eu pensei por muito tempo em um nome. Esse momento que eu estou vivendo e essa palavra ficaram muito presentes na música. E como ela, em especial, traduz tudo que eu vivo e todo o meu CD, além de trazer uma mensagem minha como ser humano, como busca da minha carreira. Mostrar que eu sou capaz de seguir os meus sonhos e enfrentar qualquer barreira. A música traduz isso que eu estou vivendo. Então, não poderia ser outro nome.

Guia da Semana: Como foi a participação da Rita Lee no CD?
Wanessa: Foi um sonho. Sempre fui muito fã da Rita e tinha vontade de gravar essa música, que é muito especial na minha vida. E eu sabia que um dia iria gravar. Então, gravamos primeiro, depois combinamos de mostrar para ela, que foi uma fofa. Resolveu dar essa benção na música. Afinal, uma artista do porte dela gravar com uma menina nova, que ainda está batalhando por espaço, foi muito legal da parte dela.

Guia da Semana: No álbum, você mescla ritmos como batidas eletrônicas e até alguma coisa com rock, diferente de outros trabalhos com uma pegada mais romântica. Como acha que o seu público irá receber o novo estilo?
Wanessa: È música pop. Hoje, a música pop é uma mistura, não exatamente uma raiz, uma coisa única. Na minha música eu vejo isso. Uma coisa que vem de referências do que eu ouvi a vida inteira. Você enxerga uma coisa, e não sabe bem de onde vem, mas sabe que quer na sua música. Meu público recebeu tudo isso muito bem. Eles entenderam que, como eu, eles também cresceram e acompanharam isso tudo que eu estou vivendo. Pelo menos é o que eu vejo nas comunidades, no meu site, nas mensagens que eu recebo. Eu estou muito feliz com isso. Afinal, é um trabalho que eu faço com a minha identidade e que as pessoas curtem também. Além de eu ter conquistado um público diferente, que nasceu por conta desse novo trabalho. Pessoas que não pediam minhas músicas em rádios, que não tocavam minha música, e isso é muito gratificante.  

Foto: Divulgação


Guia da Semana: O seu clipe teve, em pouco menos de um mês, um milhão de acessos no YouTube, em média. Você acredita que a internet ajuda a promover o artista?
Wanessa: A internet, hoje, é algo que precisa ser pensado com prioridade, assim como a TV e o rádio na hora de divulgar um trabalho. São instrumentos importantes. E, com certeza, pessoas que não conhecem seu trabalho podem conhecer a partir de um clipe no YouTube, por exemplo. É um mundo diferente e quem não se atentar a isso fica de fora. Existem sites que fazem a coisa certa, mas existem os errados também, como em todo meio. Mas cabe a cada um ter consciência e saber fazer o certo.

Guia da Semana: Quando foi o momento que você decidiu mudar o seu visual?
Wanessa: Existe uma coisa pessoal de querer estar nessa celebração, de querer mudar e, também, pelo fato da música se encaixar com esse visual. Aquela coisa de se olhar no espelho e não condizer com o que eu estava querendo transmitir, não tinha muita atitude. O novo cabelo já transmite essa força, por exemplo. Na verdade, o visual tem muito disso. Ele pode te deixar para baixo ou te fazer se sentir dona de si, forte e segura. E eu sou muito assim, de momento.

Guia da Semana: Porque você optou em se chamar apenas Wanessa e tirou o Camargo?
Wanessa: Eu não tirei. Apenas não coloquei na capa do CD. Os outros já estavam seguindo para isso, como o último, que se chamavam apenas Wanessa, ou o W. É uma coisa que não faz muita diferença, porque pode não estar no CD, mas eu sempre vou ser a Wanessa Camargo, e com muito orgulho. Tem um lance de desvinculação também. Afinal, existe um peso e uma história muito grande atrás do Carmargo e o Wanessa sou só eu, e uma história que estou construindo sozinha. Tenho muito orgulho de ter a família que eu tenho mas, hoje, eu sou Wanessa Godói Camargo Buaiz, é o meu nome e não minha identidade. Então, não precisa estar tão escancarado para as pessoas entenderem quem eu sou.   

Guia da Semana: Qual o maior amadurecimento que você enxerga com o lançamento do novo CD?
Wanessa: Eu acho que é saber o que você quer. Todo dia a gente aprende, e isso faz parte. Sei que hoje existe uma linha muito certa do que eu quero na minha vida e nada mais me tira disso. Uma das coisas que eu mais quero é cantar e ter essa carreira comigo. Ter um presente de receber o carinho das pessoas, gravar um CD, as pessoas me ouvirem. Tanta gente está aí tentando, e eu consegui. Na adolescência, a gente não dá valor para determinadas coisas e eu vejo, hoje, o valor que eu dou para isso.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças