Guia da Semana

Metaleiros na arquibancada

Conheça algumas das torcidas organizadas que trocaram a "Dança do Créu" pelas guitarras do Iron Maiden



Quem freqüenta estádio de futebol já conhece a cena: momentos antes dos times entrarem em campo, alto-falantes espalhados pelas arquibancadas aquecem os torcedores com indesejáveis sucessos do pagode e da axé music. É improvável, por exemplo, que o sistema de som do Morumbi deixe de executar os piores sucessos do Raça Negra, como dificilmente Sorte Grande, de Ivete Sangalo, passará batida pela massa em dia de Fla-Flu.

Saída das gerais e arquibancadas de grandes e pequenos times de todos os cantos do país, uma legião de metaleiros e fãs da tradição roqueira deixaram o anonimato formando novas torcidas organizadas. Com a idéia na cabeça de unir a paixão pelo futebol à devoção pelo heavy metal, um número cada vez maior de torcedores cria suas próprias facções ou ingressa em outras já existentes.

Formada nos arredores do Colégio Estadual Central, em Belo Horizonte, a Galö Metal não demorou a deixar o meio estudantil para ganhar as ruas da capital mineira. Arrebanhando torcedores atleticanos fanáticos pelo bom e velho rock and roll, a organizada cresceu e se tornou a segunda maior torcida do alvi-negro. "A relação dos torcedores com a música é bem intensa. Muitos integrantes têm bandas e são músicos profissionais. Alguns associados ilustres, como o pessoal do Sepultura, Tianastácia e Eminence, também fazem parte da organizada" afirma Marcelo Tripa, presidente e fundador da Galö Metal.

Estendidas no Mineirão, bandeiras e faixas da facção atleticana estampam lado a lado o escudo do Galo Mineiro e ícones do metal como Motörhead, Black Sabath e Cannibal Corpse. As predileções musicais de seus membros, entretanto, são mais abrangentes, abarcando dinossauros do rock como Rolling Stones, Pink Floyd, Led Zeppelin e Deep Purple.

Desde 1999, a Galö Metal organiza partidas beneficentes com astros dos gramados e dos palcos. O evento, que começou de maneira amadora, tomou proporções maiores, e hoje é transmitido pela TV para todo o estado. "A idéia é que o Jogo das Estrelas aconteça todo ano, mas como o Sepultura é uma banda muito ocupada, nós tentamos encaixar as datas para que tudo dê certo" explica Tripa.

Metal de norte a sul

Outra torcida conectada com o universo do heavy metal é a Força Jovem, do Vasco da Gama. Há quase duas décadas, a organizada adotou Eddie, o mascote do Iron Maiden, como seu principal símbolo. Das onipresentes bandeiras e faixas aos uniformes e acessórios de seus integrantes, a simpática caveira estampa todo material relacionado à facção vascaína. Em 2000, o baixista do grupo inglês, Steve Harris, e o guitarrista Janick Gers, a convite da Força Jovem, assistiram à decisão da copa João Havalange entre Vasco e São Caetano, no Maracanã.

Embora a Galö Metal e Força Jovem sejam as organizadas de metal de maior destaque no futebol brasileiro, dezenas de agremiações menores surgiram nos últimos anos sob a benção do rock. Em Bauru, interior de São Paulo, o Noroeste é apoiado pela Norusca Metal, enquanto o Avaí, de Santa Catarina, é empurrado pela Torcida Leão Metal. Já o Fortaleza, um dos clubes mais tradicionais do Nordeste, pode contar com a Torcida Metal Tricolor nos momentos mais difíceis. Na Vila Belmiro, casa do Santos, a Metal Santista procura seu espaço entre as organizadas da baixada.

Brigões do Hardcore

Se nos gramados do Brasil o heavy metal e o classic rock são os ritmos predominantes, quem dá as cartas na Europa é o movimento hardcore. Ligado principalmente aos hooligans alemães e do leste do Velho Continente, o gênero é o favorito entre os arruaceiros da região.




Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças