Guia da Semana

Mulheres e Maníacos

Novidades como Amy Winehouse e a volta do Manic Street Preachers pontuam bom momento musical

Foto: divulgação

Jazz, alcoolismo e uma mulher. Só faltou a Route 66, lendária estrada norte americana, para ser o roteiro de algum livro de Jack Kerouac (On The Road) em sua época beat, mas a "pancada" é outra e vem do outro lado do pacífico. Lá da Terra da Rainha.

Há tempos não escutava um disco tão bacana quanto Back to Black, da cantora Amy Winehouse (acima). Conforme as faixas vão se seguindo, a atmosfera criada por Kerouac em seus cabarés esfumaçados vai tomando forma. Parece envolver a ponto de poder ser tocada. Esta verdadeira forasteira num segmento dominado pelos negros norte americanos - Amy é inglesa e branca -, de cara remete a Billie Holiday com uma roupagem contemporânea. Atual.

Letras confessionais sobre seu problema com o alcoolismo dão a tônica e perpetua a tradição de jazzistas de exorcizarem seus demônios através da música.

Como Aretha Franklin gritando por Respect e Chet Baker morrendo ao vivo, soprando seus últimos fôlegos em seu trompete, Amy abre Back to Black com Rehab. Sobre amores, porres e a reluta em ser internada em uma clínica de reabilitação.

Segue em outros ótimos momentos do disco, como nas faixas Back to Black e Love is a Losing Game, percorrendo medos, criando texturas tão reais quanto as histórias que canta.

Aos vinte e três anos e em seu segundo álbum - Frank (2003) - e tendo como fãs confessos pesos como Paul Weller - ícone do movimento Mod à frente da banda The Jam -, Amy faz para adultos o que Joss Stone e Jamie Cullun faz para crianças, e rompe o estereotipo das cantoras de R&B do século 21, que inundam as rádios.

Outra boa notícia lá do outro lado do atlântico é a volta da banda galesa Manic Street Preachers. Depois de três anos desde seu ultimo lançamento ( Lifeblood, 2004), os galeses maníacos lançaram o single Your Love Alone Is Not Enough. A faixa ainda conta com a participação de Katie Pierson, do Cardingans, e é uma daquelas canções que conseguem melhorar seu dia. Vale a pena dar uma conferida no clipe no Youtube e esperar o álbum que já tem nome escolhido: Send Away The Tigers.

Dicas dadas, fico por aqui. Abraços e até a próxima.


Quem é o colunista: Tiago Archela
O que faz: é músico, jornalista e bancário. Não necessariamente nesta ordem. As funções se alteram conforme o dia e a hora.
Pecado gastronômico: feijoada.
Melhor lugar do Brasil: São Paulo, de preferência aqueles dois quilômetros entre a Consolação e o Paraíso.
Fale com ele: tiago.coluna@terra.com.br



Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças