Guia da Semana

Na flor da idade

Mulheres, programa feminino de maior duração da televisão brasileira, comemora 29 anos.

Fotos: Débora Gomes / TV Gazeta


São cerca de 14 pessoas envolvidas na produção do programa, que vai ao ar de segunda a sexta, das 14h às 18h. O clima no estúdio é descontraído. Enquanto a diretora Esli Costa não grita "No ar", Cátia Fonseca, 40 anos, apresentadora do Mulheres, da TV Gazeta, brinca com os câmeras e produtores.

No ar desde 23 de setembro de 1980, dez nomes já estiveram no comando do show. À frente da atração desde 2002, Cátia chega com antecedencia à emissora, por volta do meio dia, quando começa a ler o roteiro e pensar em pautas para o resto da semana. "O Mulheres que está no ar hoje é um pouco diferente do que quando entrei, os telespectadores vão mudando e suas exigências também", fala.



Voltado principalmente para o público feminino, o programa tem como base assuntos como culinária, artesanato e saúde. "A mulher tem múltiplas tarefas e quer também informar sua família". Segundo Cátia, as cobranças que elas enfrentam hoje são maiores e partem tanto delas mesmas, quanto da sociedade, por isso as atrações femininas têm que dar conta dessas carências.

Mudanças positivas

Há 29 anos no ar, muitas coisas mudaram no público e principalmente no Mulheres. Estas alterações acompanham as necessidades do telespectador e, para a apresentadora, é uma obrigação dos meios de comunicação suprirem as expectativas que aumentam a cada dia.

Assim como o programa, Cátia também amadureceu bastante. "Quando entrei no Mulheres, há 8 anos, era uma pessoa completamente diferente, amadureci tanto pessoalmente como profissionalmente", conta ela, que revela ter sido imatura em alguns aspectos e exigente demais em outros.



Para Cátia, o mesmo aconteceu com as telespectadoras que a acompanham e passaram por diversas fases na vida pessoal e profissional. "Por natureza a mulher se cobra e também se culpa muito e eu também passei por isso. Hoje vejo que sou mais feliz e tenho certeza que daqui a alguns anos terei mudado mais ainda".

Além das mudanças praticas, também rolam as visuais. O cenário da atração é alterado pelo menos uma vez por ano, como aconteceu em julho último. A apresentadora também passa por repaginação. Cátia já surgiu no ar de cabelos longos, lisos, enrolados, e agora adota o corte curto. "Sou vaidosa, mas com moderação. O que acontece é que quando eu mudo meu jeito de pensar, agir, enfim, de enxergar a vida, acabo mudando o visual", conta.

Haja assunto!

Com diversas atrações nas emissoras, variar em temas e pautas é o desafio para quem faz um programa diário e com grande tempo de duração. "Hoje temos que ficar atentas todos os dias, pois o público está mais exigente, ciente de que pode cobrar uma programação com mais qualidade".

Prova disso, segundo a apresentadora, é que conteúdo com apelo sexual, desgraças e ainda os que expõem a vida sofrida das pessoas já não têm a mesma audiência de antes. "Acho isso fabuloso! Isso mostra o quanto o brasileiro está descobrindo seu poder, o que vai também refletir em outros segmentos como na política".




 Curiosidades sobre o programa Mulheres

Desde 1980, já apresentaram o programa:

 

Ione Borges e Claudete Troiano (as primeiras que apresentaram juntas até 1997).

Ângela Rodrigues Alves

Leão Lobo

Drica Lopes

Liliane Moska

Márcia Goldschmidt

Clodovil Hernandez

Cristina Rocha

 

Horários

 

O programa já teve diversas mudanças de horário, mas sempre foi apresentado na parte da tarde.

 

Diretores

 

O primeiro diretor foi Silvio Alimari, que atualmente é Superintendente Geral da TV Gazeta. Hoje a diretora é Esli Costa.

 

Fofoca

 

Mamma Bruschetta, personagem vivida pelo ator Luís Henrique, chegou ao Mulheres junto com Clodovil Hernandeze. Hoje,ao lado de Cátia Fonseca, comenta os acontecimentos das novelas e da vida das celebridades.

 


Atualizado em 10 Abr 2012.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças