Guia da Semana

Nas ondas do rádio

Falar que a vida de músico é difícil é chover no molhado. Ouvir a música de trabalho em uma FM, então, nem se fale. Diretores artísticos, programação, publicidade e espaços comprados estão no caminho do sucesso.

Foto: Divulgação

Agridoce, de Sonekka, foi lançado na web após gravação do show de estreia

Não adianta ter dinheiro, o som tem que rolar. Aparecer nas rádios e disputar os primeiros lugares entre os tops não é tarefa fácil. Além de boa música, a banda precisa ter a visão de uma empresa, cuidar da imagem e estar disposta a investir nela, se necessário. "É um plano de marketing como qualquer organização o faria para se colocar no mercado. Até pagar pelo espaço. É tudo um grande negócio, e todo mundo precisa sobreviver". A frase é do cantor e compositor Sonekka, artista independente que chegou a emplacar uma faixa, Ela Só Pensa em Beijar, na trilha sonora de Amor e Intrigas, novela de Rede Record.

Afinado com tendências de mercado, Sonekka, adepto de mídias alternativas e que já até lançou um álbum pela internet, explica a visão do músico independente, que pode obter verba por meio da Lei Rouanet para investir em publicidade e, se necessário, comprar horários para promoção. Segundo o cantor, algumas rádios até fornecem nota fiscal caso o artista peça, já que não há problema algum investir em publicidade em um veículo que é concessão pública. E completa: "Ainda mais se essa verba for limpa, oriunda dos mecanismos legais de incentivo à cultura". Para ele, as FMs são um meio de comunicação como qualquer outro e precisam sobreviver. Mas avisa que "vai chegar um momento em que o músico pode precisar abrir a carteira".

Como a maior fonte de renda das emissoras é a publicidade, a programação precisa chamar a atenção e tocar o que o público quer ouvir. Na visão do próprio músico, a função das emissoras mudou com a tecnologia e as formas de relacionamento que existem. "Hoje, todo mundo é artista, tem Myspace, faz remix e gravação em casa. O público não ouve rádio para conhecer coisas novas. Quem faz esse trabalho é a própria internet com compartilhamento de arquivos, YouTube e outras redes", analisa.

Da garagem para o ar

Quem desejar ser o próximo grande fenômeno da música nacional precisa ter um bom papo, qualidade e, essencialmente, paciência. Há algumas diferenças de atuação entre as emissoras: das quatro rádios de São Paulo procuradas pela reportagem, apenas uma admitiu não trabalhar com venda de espaço para tocar a canção de trabalho, a Nova Brasil FM, que informou todos os dados necessários para envio do material, para que fosse verificado se a banda "entra no perfil da rádio". Em todas elas, contudo, é necessária uma reunião com os diretores artístico, de programação e os donos da emissora.

A Jovem Pan adota prática semelhante. Como explica Di, diretor de programação, é necessário enviar o material para a sede para ser avaliado. Enquadrada na proposta da rádio, é marcada uma reunião com os diretores, mas, segundo Di, "não sei se nessa reunião é falado algo sobre valores ou compra de espaço. O que conta mesmo é a proposta da banda e a qualidade do trabalho. Tem que apresentar um algo a mais, pois hoje o mercado musical tem muita gente".

Foto: Getty Images


Na Metropolitana FM, o caminho foi um pouco diferente. Há a opção de submeter o trabalho aos diretores por meio de envio de mídia para o endereço da emissora, na Avenida Paulista, e agendar uma reunião. Ou, segundo sugestão da própria atendente, "posso te passar direto para o departamento comercial", abrindo o precedente para uma banda que tenha uma visão empresarial.

A Rádio Mix trabalha diretamente com departamento comercial. Indagada sobre emplacar uma nova música de trabalho de uma banda que busca se lançar no cenário, a atendente foi direta: "Envie um email para nosso departamento comercial que ela passará todas as opções, e marca com vocês e com a diretora artística". A direção artística da rádio, no entanto, afirmou que tal prática nao acontece, requisitando apenas o envio de material gravado e uma boa apresentação para avaliação.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças