Guia da Semana

O Fantasma da Ópera

Musical chega pela primeira vez ao Brasil com investimentos superiores a 10 milhões de dólares

Por Humberto Baraldi




O suspense domina todo o cenário. A sensação é a de estar na Ópera de Paris, no fim do século 19, a espera do fantasma. Estes sentimentos vão tomar conta do espectador no musical O Fantasma da Ópera.

Os números são assustadores. Com um investimento superior a 10 milhões de dólares, a peça ainda inédita no país, conta com um elenco totalmente brasileiro, formado por 17 músicos e 38 atores. Foram produzidas mais de 160 perucas, 100 chapéus e 187 figurinos, além das 21 telas de 19 cenas diferentes.

O espetáculo chegou ao Brasil após ter feito escalas em mais de 20 países. "Em cada lugar que passamos, as roupas e os cenários são os mesmos. Em cada viagem temos que transportá-los e reajustá-los de acordo com o porte físico dos atores", explica Simon Marlow, diretor técnico.

Toda a equipe atuante, escolhida em uma semana, é formada no papel principal por Saulo Vasconcelos, que vive o fastama da ópera. "O papel é muito complicado. Exige muito preparo físico". O ator, que já foi o protagonista do clássico A Bela e a Fera, conta ainda que se inspirou em atuações do fantasma feitas em outros países. É a segunda vez que Saulo faz o personagem, a última foi no México, em 1999.

Sara Sarres e Kiara Sasso interpretam Christine Daaé. "Para fazer este papel, tivemos que ensaiar mais de 12 horas por dia. Mas, o resultado é satisfatório", declara Kiara, que trabalhou como Bela em "A Bela e a Fera". Nando Prado faz o papel do ex-namorado Raoul.

Atualmente, também em cartaz em Nova York, Londres, Shangai, Budapeste e África do Sul, o musical conta a história de um desfigurado e transtornado gênio da música que assombra as dependências da Ópera de Paris, até apaixonar-se pela corista Christine e decidir transformá-la em uma das maiores estrelas do local. Os problemas aparecem quando ele encontra o namorado de infância de Chris, Raoul.

O espetáculo foi inspirado no romance de Gaston Leroux, publicado na França em 1911. Para muitos críticos o mais importante no livro é a atmosfera sinistra situada na Ópera. Já o musical carrega um ritmo repleto por melodias e romances. A peça está em cartaz há 19 anos na capital britânica, cidade de origem.

Serviço

Local: Teatro Abril
Preço(s): De quarta a sexta-feira - platéia VIP R$ 180,00; platéia A R$ 135,00; camarote R$ 135,00; platéia B R$ 95,00 e balcão R$ 65,00. Sábados e domingos - platéia VIP R$ 200,00; platéia A R$ 150,00; camarote R$ 150,00; platéia B R$ 110,00 e balcão R$ 75,00. Meia entrada é válida com a presentação das carteirinhas.
Data(s): a partir de 21 de abril.
Horário(s): De quarta a sexta-feira, às 21h. Sábado, às 17h e 21h. Domingo, às 16h e 20h.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças