Guia da Semana

O Gato Branco

Com direção de João Fonseca, texto de Jô Bilac e Paloma Duarte no elenco, espetáculo se inspira no universo de Agatha Christie e Alfred Hitchcock

Foto: Paula Kossatz

No enredo, um corpo à deriva e todos os suspeitos pelo assassinato

Coloque uma colher cheia de suspense de Agatha Christie e outra de Alfred Hitchcock. Adicione uma xícara de atuações de Paloma Duarte, Camilo Bevilacqua, Fernanda Nobre e Bruno Ferrari. Para finalizar, mexa muito bem com mãos vencedoras do Prêmio Shell 2011: o diretor João Fonseca e autor Jô Bilac - respectivamente com Maria do Caritó e Savana Glacial. Essa é a receita do sucesso da peça O Gato Branco, que está em cartaz no Rio de Janeiro, no Espaço Cultural Sérgio Porto, e inaugura a parceria inédita dos premiados.

Um emblemático convite para um assassinato que chega misteriosamente a sete pessoas, que não possuem nenhum vínculo, dá início à trama. Mesmo intrigados, os convidados comparecem à festa inusitada, a bordo de uma embarcação antiga com cabines e salões. A recepção fica por conta de um comandante que desconhece a identidade de seu empregador e o real motivo do evento.

O grupo é surpreendido por um luxuoso jantar, aumentando ainda mais a curiosidade de saber quem seria o misterioso anfitrião. Ao aproximar-se das 22 horas, o horário do assassinato mencionado no convite, a atmosfera que era amena torna-se tensa - muito tensa. O relógio badala. Silêncio. Um cadáver à deriva instaura um clima de pânico e a pergunta no ar: quem é o assassino? Todos são suspeitos.

Apesar de a descrição remeter muito à Agatha Christie, o diretor João Fonseca conta que não é uma trama policial, já que não há a figura do detetive ou da polícia. Utilizando-se de referências das obras de Hitchcock, o espetáculo tem todas as características clássicas de um suspense, em primeiro plano. Mas, em segundo plano, provoca reflexão do expectador.

Foto: Paula Kossatz

No topo, à direita, Bruno Ferrari interpreta o advogado Michel

"De certa forma, quem é o culpado, quem é o assassino, quem é o gato branco, na verdade, não é o que mais importa. Mas sim, a culpa daquelas pessoas e como elas trabalham essa culpa", explica João Fonseca. O autor Jô Bilac complementa: "'Gato Branco, acima de tudo, discute o caráter humano e suas infinitas formas de manifestações".

Suspense no teatro

Trabalhar com suspense no teatro talvez não seja uma das experiências mais fáceis. Apesar de já ter feito uma versão teatral do livro "A Ratoeira", de Agatha Christie, João Fonseca ainda considera uma tarefa árdua. "É um gênero muito mais ligado ao cinema, em que é possível se aproveitar do close e da trilha sonora para manipular a plateia. No teatro, em plano geral e aberto, é mais difícil", diz.

Um dos grandes desafios foi a escolha das canções que integram a peça, que é feita basicamente de tangos compostos especialmente para o espetáculo. "Tentei não usar uma trilha sonora somente de suspense, porque isso já está tão visto no cinema que acaba tendo um resultado contrário. De tão clichê que é, tem um efeito cômico", justifica.

Elenco

Foto: Paula Kossatz

João Fonseca (ao centro) e os sete atores do espetáculo

Os astros Paloma Duarte e Camilo Bevilacqua foram convidados por João Fonseca, assim que ele assumiu a direção. "Já conheço a Paloma há muito tempo e sempre tive vontade de trabalhar com ela. Sua participação é um presente pra mim, porque não é sempre que ela consegue fazer teatro", afirma.

A filha de Débora Duarte e neta de Lima Duarte interpreta Vicna, uma professora solteirona, extravagante e tagarela. No caso de Camilo Bevilacqua - que faz também Rudiji na novela global Insensato Coração -, a experiência bem-sucedida de palco juntos anteriormente fez com que o diretor não relutasse em chamá-lo para o papel do simpático e inteligente Doutor Arthur.

O texto foi trabalhado desde o começo pelo grupo formado pela dupla que estrelou na série adolescente Malhação, Fernanda Nobre e Bruno Ferrari. Na peça, ela interpreta a misteriosa e a atraente Letícia, enquanto ele faz o arrogante advogado Michel. Estão também desde o início, os atores Pablo Falcão, Leandro Almeida e Lucianna Magalhães. E, aos curiosos, todo esse elenco não sai de cena durante os 100 minutos de espetáculo.

Atualizado em 1 Dez 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças