Guia da Semana

O que ver na Bienal

O Guia da Semana RS selecionou os principais destaques da 8ª Bienal do Mercosul para quem ainda não visitou o famoso evento de artes visuais

Porto Alegre é mais uma vez cenário de um dos grandes eventos de artes visuais da América Latina. Desde o dia 10 de setembro, a cidade está sediando a 8ª edição da Bienal do Mercosul e uma série de espaços do Centro da Capital estão ocupados por mostras e atividades. Com o tema Ensaios de Geopoética, o projeto aborda temas como território, mapeamento, colonização e fronteira.

No dia 15 de novembro será o encerramento do evento, e o Guia da Semana RS não quer deixar ninguém perdido por aí, sem saber por onde começar a conhecer a Bienal. Como o tempo é curto, selecionamos os principais destaques da programação. Confira nossas dicas e não deixe de visitar algumas das dezenas de atrações.

1) Mostra de Eugenio Dittborn, no Santander Cultural

O artista plástico chileno é referência na América Latina e é o homenageado desta edição da Bienal do Mercosul. Sua obra questiona a relação entre centro e periferia e é baseada na transterritorialidade, no nomadismo e nas estratégias para subverter fronteiras.

A exposição, montada no Santander Cultural, conta com trabalhos da série Pinturas Aeropostais - um conjunto composto por 15 obras de grande porte e três vídeos - que o artista desenvolve desde os anos 1980, misturando desenho, costura, pintura e colagem. A mostra é itinerante e, antes de chegar a Porto Alegre, passou por cidades como Caxias do Sul, Pelotas e Bagé.

 

2) Mostra Além Fronteiras, no Margs

Um dos principais componentes da 8ª Bienal, a mostra coletiva Além Fronteiras é composta por trabalhos inéditos de nove artistas. As obras foram produzidas ao longo de expedições por diferentes paisagens geográficas e culturais do Rio Grande do Sul, como as regiões dos pampas, das missões e dos cânions. Os trabalhos propõem uma reflexão sobre as delimitações políticas entre nações, que nem sempre correspondem a uma autonomia cultural.

Lucia Koch, Carlos Vergara, Marina Camargo, Carlos Pasquetti (obra abaixo), Cao Guimarães, Felipe Cohen, Irene Kopelman, José Alejandro Restrepo e Gal Weinstein são os artistas que participam da mostra. Como um contraponto, estão expostos 34 itens históricos de artistas gaúchos consagrados e mantidos por acervos locais que dialogam com as obras dos artistas convidados.

 

3) Mostra Geopoéticas, no Cais do Porto

A mostra central do Cais do Porto explora diferentes aspectos das ideias de Estado e Nação, suas retóricas visuais (mapas, bandeiras, escudos, hinos, passaportes, exércitos) e suas estratégias de autoafirmação e consolidação de identidade. A coletiva é composta por obras de 59 artistas de diferentes países e produzidas a partir de técnicas como pintura, desenho, instalação e fotografia.

A exposição Geopoéticas ocupa três armazéns do Cais do Porto e é a maior desta Bienal. Entre os destaques está o vídeo da artista Cristina Lucas (foto abaixo), que "encena" um célebre quadro de Delacroix abordando a questão do poder - religioso, político ou patriarcal - sob diversas perspectivas.

 

4) Casa M

Um dos projetos-chave da 8ª Bienal do Mercosul, a Casa M fica localizada na Rua Fernando Machado, no Centro da cidade. O espaço funciona como um espaço de convivência para a comunidade artística e pessoas interessadas em arte e cultura, com diversas atrações, como exibição de vídeos, exposições, shows e debates.

Após o encerramento do evento, a Casa M seguirá oferecendo à comunidade uma programação de residências curatoriais, pequenas mostras, bate-papos, oficinas e outras atividades.

 

5) Intervenção de Tatzu Nishi

Durante a Bienal, nove pontos históricos de Porto Alegre - como o Viaduto Otávio Rocha, a escadaria da Rua João Manoel e a chaminé da Usina do Gasômetro - recebem o projeto Cidade Não Vista, conjunto de intervenções de artistas participantes do evento. A ideia é atrair o público para espaços que não são usualmente considerados interessantes.

Um dos destaques deste componente é a intervenção do artista japonês Tatzu Nishi. Conhecido por criar novos ambientes e produzir contextos em que monumentos históricos se aproximam do campo privado, o artista montou salas e quartos a partir de fragmentos da fachada do prédio histórico da prefeitura de Porto Alegre.

 

8ª BIENAL DO MERCOSUL - ENSAIOS DE GEOPOÉTICA
De 10 de setembro a 15 de novembro de 2011
Diariamente, das 9h às 21h
Entrada Franca
Mais informações no site oficial da Bienal 

Atualizado em 10 Abr 2012.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças