Guia da Semana

Onqotô

Com 30 anos de atividade, Grupo Corpo estréia nova coreografia e faz turnê mundial

TRILHA SONORA

Com 42 minutos de duração, a trilha composta por Caetano Veloso e José Miguel Wisnik para ONQOTÔ, e produzida por Alê Siqueira, estabelece uma sucessão de diálogos musicais e poéticos em torno das cenas de origem eleitas por seus criadores e do sentimento de desamparo inerente à condição humana, em virtude de sua inexorável pequeneza diante da infinitude do Universo.

Gravados em grande parte no estúdio montado por Carlinhos Brown no bairro do Candeal, em Salvador, e complementados no YB, na capital paulista, os nove temas que compõem a trilha combinam o vigor das percussões características do Candeal, com múltiplas vozes sobrepostas e intervenções de piano, guitarra elétrica, contrabaixo, acordeom, flautas e cordas, alternando momentos eminentemente rítmicos e/ou timbrísticos com canções melodiosas e impregnadas de lirismo.

A contraposição entre o rítmico e o melódico, que marca a identidade sonora da trilha, encontra sua mais perfeita tradução nas luxuosas e contrastantes participações do grupo Hip-Hop Roots, do Candeal, que atua na parte final, e da não-cantora Greice que sola com virtuosismo inato uma das canções.


LECUONA

Contrariando a tendência da música especialmente composta para seus espetáculos o Grupo Corpo monta Lecuona (2004) a partir de uma trilha musical recolhida da obra do cubano Ernesto Lecuona (1896-1963). O vigor e a expressividade das canções românticas do compositor mobilizaram, implacavelmente, a equipe de criação da companhia.

Lecuona, ao piano, e sua orquestra executam temas cantados por vários intérpretes e oferecem um repertório que se traduz em amor, desespero, alegria, ciúme, vingança e drama. Motivados por este contexto de paixão latina exagerada, um tanto machista, os bailarinos dançam um romantismo sensual, ardente, debochado e intenso. Apresentados seus episódios passionais particulares, os casais se encontram, ao final do espetáculo, e compartilham habilidades e vícios, fazendo da cena um grande salão de baile.

Ficha Técnica
Texto:
Angela de Almeida.
Coreografia: Rodrigo Pederneiras.
Música: Ernesto Lecuona.
Figurino: Freusa Zechmeister. Cenografia e Iluminação: Paulo Pederneiras

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças