Guia da Semana

Os Satyros em Vestido de Noiva


Em cartaz até 17 de fevereiro no teatro do Itaú Cultural em São Paulo, o espetáculo Vestido de Noiva é remontado pela Companhia de Teatro Os Satyros sob direção de Rodolfo García Vásquez. Os personagens principais do texto de Nelson Rodrigues são interpretados por Cléo de Páris (Alaíde), Ivam Cabral (Pedro), Nora Toledo (Lúcia) e a atriz convidada Norma Bengell (Madame Clessi).

O cenário vistoso, o jogo de luzes e os recursos tecnológicos não inovadores para o grupo, que já recorreu a isso em Inocência por exemplo, fazem o ambiente. Mas pára por aí. Toda pompa estética serve para tapear, porque falta interpretação. Projeção de vídeo e outros meios multimídias complementam o teatro contemporâneo, mas não substituem a exigência primordial para um bom espetáculo, que é um bom ator.



Uma personagem densa como Alaíde, que trabalha com três planos diferentes (Memória, Realidade e Alucinação), ainda que nessa montagem a intenção fosse transportar tudo para dentro da cabeça da protagonista, merecia alguém a altura. A atriz Cléo de Páris deixou muito a desejar. Sem timing, expressão, entonação e mostrando nítida marcação de cena, a personagem se perdeu.

Fiquei decepcionada quando soube que ela pegou o papel principal. Tinha visto seu desempenho em El Truco e não era nada suficiente para algo de peso como conduzir toda uma trama. Ainda mais por ter a Nora Toledo como coadjuvante, sendo que ela é uma das indicadas ao Prêmio Shell com Divinas Palavras. Era melhor ter invertido os papéis.

Outros dois pontos fracos da peça são a tentativa da quebra da quarta parede na cena da bola e o tom infeliz de humor em alguns momentos. Não há nada de engraçado no drama e eu não entendo porque ultimamente os atores recorrem a isso quando não se tem nada para rir em meio a tanta desgraça. Há maneiras e maneiras para dizer que é legal roubar o namorado da irmã. Mas em Vestido de Noiva não tem nada que soar cômico, mas desdenhoso.

De qualquer maneira, se estiver em São Paulo, vá ver e tire suas próprias conclusões. Só não se deixe levar pelo fato da peça ser de Os Satyros. Ainda que o grupo esteja em alta e tenha dado uma outra movimentação à Praça Roosevelt, nem sempre eles acertam 100%.

Até 17 de fevereiro. Diariamente, 19h30. Grátis. Os ingressos são distribuídos meia hora antes. Itaú Cultural (200 lugares). Avenida Paulista, 149, Estação Brigadeiro do Metrô. (11) 2168-1776. www.itaucultural.org.br


Fotos: Cia. da Foto

Quem é a colunista: Vanessa Carvalho, atriz em processo, adora uma boa maratona de filmes, jogos de vídeo game e um papo descomprometido em uma mesa de bar.

O que faz: Estudante de jornalismo e repórter da equipe do Guia da Semana.

Pecado gastronômico: Tudo menos doce.

Melhor lugar de São Paulo: Meu quarto, meu domínio.

Fale com ela: vanessacarvalho_f@hotmail.com

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Obras do MASP agora podem ser vistas em plataforma on-line gratuita

Museu integra a partir de hoje o acervo do Google Arts & Culture

Museu do Café, em Santos, inaugura exposição gratuita sobre propaganda da bebida

A partir de 28 de dezembro, os visitantes poderão conhecer as estratégias das marcas de café de 1900 a 1959

Especial férias: MASP abre ao público em todas as segundas-feiras de Janeiro

Programação de férias disponibiliza cinco dias a mais para visitar o Museu

5 motivos para assistir ao documentário "O começo da vida" na Netflix

O filme mostra a importância dos primeiros anos de vida sob a ótica dos quatro cantos do mundo

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA