Guia da Semana

Palco, telinha e mamadeira

Em papo exclusivo, Mel Lisboa conta como é viver na pele uma mulher alterada, dividida entre teatro, gravação da nova minissérie e a rotina de mãe de primeira viagem

Foto: Divulgação

Mel Lisboa, Daniele Valente e Luiza Tomé integram o elenco de Mulheres Alteradas

Ela garante que não se deixa influenciar pela personagem, mas admite que a dificuldade de conciliar os trabalhos de atriz no tablado e na televisão, além do dia a dia de mãe, esposa e mulher, a tem deixado para lá de alterada.

Na peça em cartaz no Procópio Ferreira, Mel Lisboa interpreta Lisa, divorciada e com um filho, que vive todas as já conhecidas neuras femininas, junto com as amigas Norma (Luiza Tomé) e Alice (Daniele Valente). Inspirada nos quadrinhos da argentina Maitena Burundarena, a adaptação para o teatro de Mulheres Alteradas tem direção de Andréa Maltarolli.

Em entrevista ao Guia da Semana, Mel Lisboa fala sobre a atuação nos palcos, os projetos fora da Rede Globo e a correria da vida pessoal. Confira!

Guia da Semana: A peça se baseia nas tirinhas da argentina Maitena, mas nos quadrinhos as personagens não têm nomes, diferente da peça. Quais foram suas referências para criar a Lisa, a sua mulher alterada?
Mel Lisboa: A referência eram os próprios quadrinhos da Maitena, mas as características da personagem foram surgindo conforme os ensaios. E na verdade, o quadrinho da Maitena é o tempo todo uma identificação imediata do que a gente vive diariamente, toda hora eu observava no dia-dia alguma coisa que tinha a ver com a peça.

Guia da Semana: E você já passou por alguma das situações das mulheres da peça?
Mel Lisboa: Claro, várias! Eu me identifico com bastante coisa, um pouquinho de cada personagem, um pouco da Lisa, um pouco da Alice, um pouco da Norma. A peça é muito atual, tanto que a identificação do público também é muito grande, porque todo mundo já passou ou passa por alguma daquelas alterações. Pode ser que não sejam todas as alterações, mas a grande maioria sim.

Foto: Divulgação

O trio mostra os dramas femininos em engraçadas situações

Guia da Semana: É muito abordada uma questão que preocupa muitas mulheres: os quilinhos a mais. Como você lidou com isso depois que teve filhos?
Mel Lisboa: Na verdade, depois de ter filhos isso foi uma coisa que melhorou bastante em mim. Parei de ter paranoia e dar importância para isso. Ah, não vou ficar me preocupando com dois quilos a mais, tenho coisa mais importante para me preocupar. Aí quando eu parei de me preocupar, foi quando parei de engordar também. Eu acho que eu acabava engordando porque ficava paranoica e hoje eu juro que não me preocupo mais, como o que eu quiser e não engordo.

Guia da Semana: Você acha que toda mulher é, no fundo, alterada?
Mel Lisboa: Acho que todas são um pouco, dadas as devidas proporções. Cada uma pega mais para um lado, umas pelas questões estéticas, outras por conta do trabalho, outras pelos filhos. Mas é impossível não ter algum tipo de alteração né?

Guia da Semana: E como lidar com essas situações de alteração?
Mel Lisboa: Eu acho que a experiência vai ajudando. Acho que você tem que ter calma, respirar fundo, e tentar se acalmar em momentos mais críticos. Mas acho que só o tempo dá sabedoria pra gente se controlar mais.

Foto: Divulgação

Satisfeita com o trabalho nos palcos, Mel Lisboa tem planos para continuar no teatro

Guia da Semana: Agora falando um pouco dos palcos, como está sendo trabalhar com comédia?
Mel Lisboa: Eu já tinha feito outras comédias, mas eu não sou comediante né, sou atriz. A gente vai aprendendo com o tempo, não tem jeito. E eu acho que eu estou aprendendo aos pouquinhos, a cada peça que faço aprendo um pouco mais. Mas eu acho maravilhoso, fazer comédia é muito gostoso, é muito divertido.

Guia da Semana: Ao mesmo tempo em que está com peça em cartaz, você também está gravando a minissérie Sansão e Dalila. Como você organiza sua rotina entre os dois trabalhos e a vida pessoal?
Mel Lisboa: Ai está difícil, viu! Isso é uma das coisas que me deixa bastante alterada! (risos) Não estou tendo muito tempo para nada, nem para mim, nem para organizar a casa, cuidar de filho, marido, trabalho. Tem dias que eu não consigo fazer a peça por causa da gravação, tem outros que saio correndo da gravação para chegar no teatro, é uma loucura! Mas eu tenho conseguido, até agora (risos), manter tudo ainda num certo grau de harmonia.

Guia da Semana: Quais são os próximos planos para sua carreira? Pretende continuar com TV e teatro?
Mel Lisboa: Nesse momento, estou terminando de gravar. Depois, espero tirar umas feriazinhas da TV, mas a peça prossegue em cartaz. Minha ideia é continuar no teatro e não parar com ele e, se for para parar, que seja por pouco tempo. Já a televisão quero esperar um pouquinho para voltar, porque é mais estressante, você trabalha muito! Aí, seria bom tirar uma folguinha e depois voltar.

Confira a resenha da peça Mulheres Alteradas

Confira matéria sobre o universo feminino no teatro brasileiro

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças