Guia da Semana

Perfil de Nair Bello

Atriz faleceu em 17 de abril depois de cinco meses de internação. Conheça sua trajetória profissional



Data de Nascimento:
28/4/31
Signo:
Touro
Local de Nascimento:
São Paulo, Brasil
BIOGRAFIA 
Conhecida principalmente pelos trabalhos humorísticos na TV, Nair Bello iniciou sua carreira no rádio, em 1949, quando tinha 18 anos. A Excelsior e a Record foram as emissoras pelas quais ela passou. Estreou nos cinemas dois anos depois, no longa Liana, A Pecadora. Nos palcos, debutou apenas em 1976, em Alegro Desbum, de Oduvaldo Vianna Filho. O último trabalho que fez na televisão foi o humorístico da Rede Globo Zorra Total, no qual interpretava Dona Santinha. O primeiro, por sua vez, foi a novela João Brasileiro, Bom Baiano (1978), da Tupi.

O extenso currículo da atriz estava em grande parte ligado às telenovelas. Alguns papéis interpretados por ela na TV marcaram sua carreira, como a Dona Gema, de Perigosas Peruas (1992), Dona Cininha, de A Viagem (1994) e Carlotinha, de Torre de Babel (1998), entre outros. Outra personagem que deixou lembranças em sua história foi Dona Santa (1982), da minissérie homônima da Bandeirantes.

Uma parada cardiorrespiratória em novembro de 2006 levou a atriz a uma internação na unidade de terapia intensiva (UTI), em São Paulo. Em março de 2007, deixou a UTI, permanecendo internada. Durante a breve recuperação, chegou a reconhecer familiares. No dia 30 do mesmo mês, uma arritmia cardíaca complicou seu quadro de saúde, voltando a um estado grave. Após cinco meses de hospitalização, faleceu em 17 de abril de 2007.

Foto: www.globo.com/Divulgação

CURIOSIDADES 
O nome de batismo da atriz era Nair Bello Souza Francisco. Entre suas grandes amigas estava a apresentadora Hebe Camargo. Estava escalada para o elenco da novela Pé na Jaca, mas, devido aos problemas de saúde que antecederam a sua morte, foi substituída por Arlete Salles.

TRABALHOS 
Novelas e minisséries:

2005 - Bang Bang - Dona Zorra (Leona Lake)- participação especial
2003 - Kubanacan - Dolores
2002 - O Quinto dos Infernos - Giovanna (Marquesa de Pesto)
2000 - Uga Uga - Pierina
1998 - Torre de Babel - Carlotinha Bimbatti
1998 - Era Uma Vez - Dona Santa
1996 - Vira-lata - Antonieta
1995 - Malhação - Olga Prata
1994 - A Viagem - Cininha
1993 - O Mapa da Mina - Zilda Machado
1992 - Perigosas Peruas - Dona Gema
1983 - Maçã do Amor (Bandeirantes) - Filomena
1982 - Dona Santa (Bandeirantes) - Dona Santa
1980 - Olhai os lírios do campo - Micaela
1978 - João Brasileiro, o Bom Baiano (Rede Tupi) - Pina

Teatro:

1976 - Alegre Desbum, de Oduvaldo Vianna Filho

Cinema:

1951 - Liana, a Pecadora, de Antonio Tibiriçá
1952 - Simão o Caolho, de Alberto Cavalcanti
1962 - Os Apavorados, de Ismar Porto
1971 - Tô na Tua, Ô Bicho, de Raul Araujo
1982 - Das Tripas Coração, de Ana Carolina
1988 - Fogo e Paixão, de Marcio Kogan e Isay Weinfeld


Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças