Guia da Semana

Reverência à Lapa

Grupo jovem da noite carioca, a banda Casuarina lança seu primeiro DVD ao vivo, resgata a Lapa do passado e assume o samba de raiz

Foto: divulgação



No repertório, a releitura dos sambistas clássicos do século passado junto com canções autorais, descartando o preconceito para mostrar que não são só os afrodescendentes que têm lugar nas rodas de samba. Foi através da efervescente Lapa carioca que Daniel Montes (violão), Gabriel Azevedo (voz e percussão), João Cavalcanti (voz e percussão), João Fernando (bandolim e vocais) e Rafael Freire (cavaquinho e vocais) começaram a apresentar uma mistura ousada de samba e chor e hoje aparecem como uma das grandes revelações da nova geração, figurando, inclusive, na lista de candidatos do VMB 2009 e participando da Festa da Saideira do Boteco Bohemia, em 8 de dezembro, São Paulo.

Origem

Foi através de um informal reencontro com os amigos na universidade que a banda surgiu, há oito anos. Os ensaios logo começaram a acontecer na rua Casuarina (nome provisório que virou definitivo para o grupo), no bairro do Humaitá, Rio de Janeiro. Nessa época, a banda começou a se apresentar nas poucas casas voltadas para o samba que existiam na Lapa, uma região até então abandonada. "Ela é um caldeirão de cultura, mas permanece com estacionamentos deficientes, sem vias de chegada e saída. As coisas foram se desenrolando muito caoticamente, e talvez essa seja a grande virtude democrática e o grande defeito estrutural dela", aponta João Cavalcanti, um dos integrantes e filho do cantor Lenini.

Foto: divulgação/ Boteco Bohemia


Com o tempo, os artistas foram aderindo, empresários abriram mais casas e o público percebeu os atrativos do espaço. Logo, a Lapa se transformou em uma meca democrática para todas as tribos e gêneros musicais. Cavalcanti revela que a banda acompanhou o ressurgimento do bairro, que culminou em pelo menos 40 casas tocando música ao vivo, todos os dias da semana, sempre com muito público.

Como a proposta é resgatar o samba clássico, o Casuarina trabalha com diversas referências que fizeram sucesso décadas atrás, como Nelson Cavaquinho, Cartola, Zé Ketti, Noel Rosa. Suas criações acompanham esse nível, apresentando um cuidado especial com as letras, o que tornou um diferencial em relação a outros grupos. "Estamos fazendo uma ponte entre a grande tradição e o grande público que passava ao lado dela, principalmente fora do Rio. O nosso orgulho é de tentar ajudar a aproximar a geração de samba que vem depois da gente com a que veio antes, para preencher essa lacuna que ficou nos anos 90", enfatiza João.

Pé na estrada

Foto: divulgação/ Boteco Bohemia

Apresentação no segundo dia de shows da Festa da Saideira, Boteco Bohemia, 8 de novembro, São Paulo


Com um som tipicamente brasileiro, o grupo lançou em setembro o seu terceiro CD e o primeiro DVD - Casuarina: MTV Apresenta - um registro ao vivo que aconteceu na casa Fundição Progresso, Rio de Janeiro. Nesse mesmo espaço, a banda se apresentou durante três anos, em formato de roda de samba e com convidados de peso, como Monarco, Alcione, Arlindo Cruz, Beth Carvalho, Pedro Luis, entre outros. "No repertório, tentamos criar uma personalidade que diz respeito ao que a gente já ouviu: rock, funk, soul, músicas latino-americanas como um todo. Temos sido bem sucedido com isso, mas sempre respeitando a instrumentação e a tradição do samba", afirma João Cavalcanti.

Seguindo essa linha, o mais recente trabalho revira o baú de sambas de João Nogueira e Wilson Moreira, traz o roqueiro Frejat para interpretar a música Já Fui Uma Brasa, de Adoniran Barbosa, e rememora com o grupo Moinho a canção Rosa Morena, de João Gilberto, além de composições de Chico Buarque, Vinicius de Moraes, Paulinho da Viola. Seguindo a rota contrária da convencional, a banda que fez sucesso com os shows, conquistou o público e posteriormente o mercado fonográfico. Agora sai em turnê para apresentar seu trabalho pelo Brasil.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças