Guia da Semana

Trechos de Dossiê Drummond


Qual é o grande medo de Carlos Drummond de Andrade aos oitenta e cinco anos?

Nenhum. Sinceramente, sou uma pessoa terrivelmente corajosa, porque não espero nada de coisa nenhuma. Não espero decepção nenhuma. O medo que tenho é de levar uma queda, me machucar, quebrar a cabeça, coisas assim, porque, na idade em que estou, a primeira coisa que acontece numa queda é a fratura do fêmur. Isso eu receio.
(...) o medo grande dos sertões, dos mares, dos desertos,
o medo dos soldados, o medo das mães, o medo das igrejas,
cantaremos o medo dos ditadores, o medo dos democratas,
cantaremos o medo da morte e o medo de depois da morte,
depois morreremos de medo
e sobre nossos túmulos nascerão flores amarelas e medrosas.
("Congresso internacional do medo" - trecho)

Mas medo, propriamente, não tenho, porque não tenho religião. Não tenho partido político. Vivo em paz com meu critério moral e minha consciência.

O fato de ser um intelectual e um escritor num país em que somente uma elite tem acesso aos livros é frustrante para o senhor?

Não. Pelo seguinte: nunca procurei ser profissionalmente um escritor. Eu, até certo ponto, sou um profissional da literatura porque publico livros e estes livros rendem direitos autorais. Mas eu não viveria só dos meus direitos autorais. Então, não posso me considerar um profissional cem por cento. Não acho frustrante. Não tive a pretensão de fazer carreira literária. Tive apenas o desejo de exprimir as minhas emoções. Eu sentia necessidade de que elas se soltassem; era um problema mais de ordem psicológica que de outra natureza. Consegui manifestar os meus sentimentos e as minhas emoções em determinadas ocasiões e me senti, por assim dizer, recompensado.

Obrigado, coisas fiéis!
Saber que ainda há florestas,
sinos, palavras; que a terra
prossegue seu giro,
e o tempo não murchou;
não nos diluímos!
Chupar o gosto do dia.
Clara manhã, obrigado,
o essencial é viver!
("Passagem da noite" - trecho)

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Obras do MASP agora podem ser vistas em plataforma on-line gratuita

Museu integra a partir de hoje o acervo do Google Arts & Culture

Museu do Café, em Santos, inaugura exposição gratuita sobre propaganda da bebida

A partir de 28 de dezembro, os visitantes poderão conhecer as estratégias das marcas de café de 1900 a 1959

Especial férias: MASP abre ao público em todas as segundas-feiras de Janeiro

Programação de férias disponibiliza cinco dias a mais para visitar o Museu

5 motivos para assistir ao documentário "O começo da vida" na Netflix

O filme mostra a importância dos primeiros anos de vida sob a ótica dos quatro cantos do mundo

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA