Guia da Semana

Otelo

Diogo Vilela dirige e atua no clássico de Shakespeare

Este evento terminou

Otelo

Data 20 Set 2008-21 Set 2008
20 e 21 de setembro de 2008.

Preço(s) R$ 50,00 a R$ 60,00.

Horário(s) sábado, 21h; domingo, 19h

Avenida Afonso Pena, 1537, 30130-002

Telefone (31) 3236-7400

Otelo, considerada uma das peças mais importantes de William Shakespeare (1564 - 1616), ocupa o palco do Palácio das Artes em Belo Horizonte, tendo à frente do elenco Diogo Vilela. Além de dirigir a montagem ao lado de Marcus Alvisi, Diogo dá vida ao emblemático Iago.

O espetáculo conta a história de Otelo, um mouro negro, comandante do exército de Veneza na guerra contra os turcos pela posse da ilha de Chipre. Apesar de respeitado pelo seu valor como soldado, nas entrelinhas Otelo é tratado ainda como um escravo prestativo, mas, socialmente, ainda um escravo. A benevolência forjada do senador Brabântio (político influente em Veneza e pai da jovem Desdêmona para quem procura o melhor partido) faz com que Otelo seja aceito no alto escalão político da cidade. Otelo distrai os políticos ociosos com suas incríveis histórias de guerra, e Brabântio repara que sua filha o escuta atentamente, com os olhos marejados de lágrimas. Contrariando as convenções e o protocolo militar, Otelo e Desdêmona se apaixonam e se unem, enchendo Brabântio de desgosto.

Da insegurança de Otelo, devido à sua cor e origem, nasce a baixa auto-estima que o leva a perder-se em ciúmes, plantado em cena pela maldade de seu ajudante, o alferes Iago. Incapacitado como soldado, Iago se vê rebaixado à função de alferes do mouro, e fica atormentado com o fato de que ele, um veneziano legítimo, esteja a serviço de Otelo, um mouro negro, que além de tudo, ainda é casado com uma linda e nobre veneziana. Iago passa envenenar a cabeça de Otelo até um trágico fim.

O foco principal da direção de Diogo Vilela está no trabalho dos atores, de cujo preparo fazem parte as aulas com o professor de artes marciais Dani Hu, a preparação vocal com a professora russa Elena Konstantinovna e cerca de dez horas de ensaios diários. A tradução, de João Gabriel Carneiro e Leonardo Marona, ainda que preservando a poética do texto e sua estrutura em versos, privilegia a compreensão clara.

Ficha Técnica:
Texto: William Shakespeare
Direção: Diogo Vilela e Marcus Alvisi
Assistente de direção: Marco Aurélio Monteiro
Elenco: Diogo Vilela, Marcelo Escorel, Marcella Rica Reinaldo Gonzaga, Rubens de Araújo, Otto Jr., Alvise Camozze, Rose Abdallah, Marcos Damigo, Tatiana Cruz, Rafael Maia, Eduardo Muniz, Breno de Felippo, David Thami, Diogo Brandão e Salvatore Giuliano.
Tradução e adaptação: João Gabriel Carneiro e Leonardo Marona
Cenário: Ronald Teixeira
Figurinos: Pedro Sayad
Iluminação: Jorginho de Carvalho
Direção de ação: Dani Hu
Preparação vocal: Elena Konstantinovna
Trilha sonora: Diogo Vilela e Marcus Alvisi
Produção executiva: Denise Escudero e Letícia Ponzi

Compartilhe

Mapa do local

Powered by ParkMe

Comentários

Explore ao redor

Palácio das Artes

Palácio das Artes

Palácio das Artes

Palácio das Artes

Saiba mais sobre um dos mais importantes pontos turísticos em Minas Gerais

Conservatório da UFMG

Conservatório da UFMG

38m

Praça Do Papa

Praça Do Papa

68m

Igreja da Boa Viagem

Igreja da Boa Viagem

188m

Parque Municipal Américo Renné Giannetti

Parque Municipal Américo Renné Giannetti

198m Saiba mais sobre um dos mais belos parques de Belo Horizonte

Notícias recomendadas

Obras do MASP agora podem ser vistas em plataforma on-line gratuita

Museu integra a partir de hoje o acervo do Google Arts & Culture

Museu do Café, em Santos, inaugura exposição gratuita sobre propaganda da bebida

A partir de 28 de dezembro, os visitantes poderão conhecer as estratégias das marcas de café de 1900 a 1959

Especial férias: MASP abre ao público em todas as segundas-feiras de Janeiro

Programação de férias disponibiliza cinco dias a mais para visitar o Museu

5 motivos para assistir ao documentário "O começo da vida" na Netflix

O filme mostra a importância dos primeiros anos de vida sob a ótica dos quatro cantos do mundo

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA