Guia da Semana

7 filmes bíblicos que você precisa assistir

Produções bíblicas voltam com tudo aos cinemas este ano

Não é de hoje que filmes bíblicos fazem parte de pautas de sucesso nas telonas. Desde a década de 60, o gênero costuma ocupar as primeiras posições de bilheteria no cinema mundial, com filmes como Os Dez Mandamentos, de Cecil B. DeMille. Hoje, cada vez mais cheios de histórias dramáticas, intrigas e efeitos especiais, eles seguem atraindo milhões de espectadores aos cinemas.

Neste ano, além da super estreia de Noé, os cinemas receberão uma invasão de produções religiosas, como O Filho de Deus, O Céu é de Verdade, Êxodo. Confira, então, a lista do Guia da Semana de 7 filmes bíblicos que você não pode deixar de assistir:

Noé



Em Noé, filme que liderou as bilheterias americanas na sua estreia com US$ 44 milhões arrecadados, Noé (Russell Crowe) vive com a esposa Naameh (Jennifer Connelly) e os filhos Sem (Douglas Booth), Cam (Logan Lerman) e Jafé (Leo McHugh Carroll) em uma terra desolada, onde os homens perseguem e matam uns aos outros. Um dia, Noé recebe uma mensagem do Criador de que deve encontrar Matusalém (Anthony Hopkins). Ao encontrá-lo, Noé descobre que tem a tarefa de construir uma imensa arca, que abrigará os animais durante um dilúvio que vai acabar com a vida na Terra.

A Paixão de Cristo



Lançado em 2004, A Paixão de Cristo quebrou o recorde de bilheteria na época, com US$ 125,2 milhões arrecadados. O longa-metragem relata as últimas 12 horas da vida de Jesus de Nazaré (James Caviezel). No meio da noite, Jesus é traído por Judas (Luca Lionello) e é preso por soldados sob o comando de religiosos hebreus. Após ser severamente espancado, Jesus é entregue para o governador romano, Poncio Pilatos (Hristo Shopov), pois só ele poderia ordenar a pena de morte para Jesus.

Ben-Hur

Ganhador de 11 Oscar na década de 60, Ben-Hur conta a história de Judah Ben-Hur (Charlton Heston), um rico mercador judeu. Mas, com o retorno de Messala (Stephen Boyd), um amigo da juventude que agora é o chefe das legiões romanas na cidade, um desentendimento devido a visões políticas divergentes faz com que Messala condene Ben-Hur a viver como escravo, mesmo sabendo da inocência do ex-amigo. Mas o destino vai dar a Ben-Hur uma oportunidade de vingança que ninguém poderia imaginar.

A Última Tentação de Cristo

Indicado ao Oscar e ao Globo de Ouro em 1989, o filme de Martin Scorsese propõe uma diferente e polêmica releitura da vida de Jesus Cristo. O longa, que foi proibido em diversos países, retrata um Jesus mais humano, com inseguranças e medos. Baseado no romance de Nikos Kazantzakis, “A Última Tentação de Cristo” mostra os últimos anos da vida de Jesus, desde o começo de sua pregação até a morte na cruz, quando recebe uma visão do que teria sido sua vida caso se casasse com Maria Madalena e tivesse vivido uma existência totalmente humana.

Os Dez Mandamentos



Com um orçamento de 13 milhões de dólares para produzir o longa “Os Dez Mandamentos”, de 1956, o cineasta Cecil B. DeMille conquistou sete indicações ao Oscar, inclusive a de melhor filme, e levou para casa o prêmio de efeitos especiais. O filme retrata a épica vida de Moisés (Charlton Heston), desde recém-nascido, quando foi colocado nas águas em um cesto e acabou sendo adotado por uma princesa egípcia, até quando descobre sua real condição e decide liderar seu povo que, escravizado pelos egípcios, anseia pela liberdade.

Sansão e Dalila



Vencedor de dois Oscar, de melhor direção de arte e melhor figurino, "Sansão e Dalila" é uma superprodução dos anos 50. O filme conta a história do hebreu Sansão, famoso pela sua grande força e noivo de uma mulher filistéia chamada Semadar. Ela é morta logo depois do casamento pelos filisteus na tentativa de matar Sansão. A irmã de Semadar, Dalila tenta descobrir o segredo da força de Sansão em troca de pratas e riqueza. Após descobrir que a força está em seu cabelo, Dalila o corta e entrega Sansão aos filisteus. No final, a força de Sansão volta e ele acaba matando todos os filisteus em um templo onde ia ser chicoteado.

A Maior História de Todos os Tempos

Indicado a cinco Oscars e com um orçamento de US$ 20 milhões – uma fortuna para a época -. O filme “A Maior História de Todos os Tempos”, de George Stevens, é uma adaptação da história de Jesus Cristo e se concentra nos episódios mais conhecidos da história bíblica, incluindo nascimento de Cristo (Max von Sydow), a fuga para o Egito e o encontro com João Batista (Charlton Heston). O maior destaque fica por conta da Última Ceia, a traição de Judas (David McCallum), finalizando na Paixão, Crucificação e Ressurreição de Cristo.

Atualizado em 2 Abr 2014.

Por Renata Fernandes
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Após polêmica, Bernardo Bertolucci desmente estupro em "Último Tango em Paris"

Diretor julgou repercussão como um "mal-entendido ridículo"

"Guardiões da Galáxia Vol. 2" tem o trailer mais assistido da história da Marvel

Continuação do longa de 2014 chega aos cinemas em abril de 2017

"Sully - O Herói do Rio Hudson" ganha nova data de estreia no Brasil

Filme em que Tom Hanks evita acidente aéreo teve lançamento adiado após tragédia com Chapecoense

Apresentador Jimmy Kimmel comandará o Oscar 2017

Notícia foi confirmada pela revista Variety

Assista à nova prévia de "Tamo Junto", comédia estrelada por Sophie Charlotte

Longa apresenta humor repleto de referências da cultura pop

Bertolucci revela que houve estupro em cena de "Último Tango em Paris" e revolta Hollywood

"Queria sua reação como garota, não como atriz", disse o diretor