Guia da Semana

7 filmes bíblicos que você precisa assistir

Produções bíblicas voltam com tudo aos cinemas este ano

Não é de hoje que filmes bíblicos fazem parte de pautas de sucesso nas telonas. Desde a década de 60, o gênero costuma ocupar as primeiras posições de bilheteria no cinema mundial, com filmes como Os Dez Mandamentos, de Cecil B. DeMille. Hoje, cada vez mais cheios de histórias dramáticas, intrigas e efeitos especiais, eles seguem atraindo milhões de espectadores aos cinemas.

Neste ano, além da super estreia de Noé, os cinemas receberão uma invasão de produções religiosas, como O Filho de Deus, O Céu é de Verdade, Êxodo. Confira, então, a lista do Guia da Semana de 7 filmes bíblicos que você não pode deixar de assistir:

Noé



Em Noé, filme que liderou as bilheterias americanas na sua estreia com US$ 44 milhões arrecadados, Noé (Russell Crowe) vive com a esposa Naameh (Jennifer Connelly) e os filhos Sem (Douglas Booth), Cam (Logan Lerman) e Jafé (Leo McHugh Carroll) em uma terra desolada, onde os homens perseguem e matam uns aos outros. Um dia, Noé recebe uma mensagem do Criador de que deve encontrar Matusalém (Anthony Hopkins). Ao encontrá-lo, Noé descobre que tem a tarefa de construir uma imensa arca, que abrigará os animais durante um dilúvio que vai acabar com a vida na Terra.

A Paixão de Cristo



Lançado em 2004, A Paixão de Cristo quebrou o recorde de bilheteria na época, com US$ 125,2 milhões arrecadados. O longa-metragem relata as últimas 12 horas da vida de Jesus de Nazaré (James Caviezel). No meio da noite, Jesus é traído por Judas (Luca Lionello) e é preso por soldados sob o comando de religiosos hebreus. Após ser severamente espancado, Jesus é entregue para o governador romano, Poncio Pilatos (Hristo Shopov), pois só ele poderia ordenar a pena de morte para Jesus.

Ben-Hur

Ganhador de 11 Oscar na década de 60, Ben-Hur conta a história de Judah Ben-Hur (Charlton Heston), um rico mercador judeu. Mas, com o retorno de Messala (Stephen Boyd), um amigo da juventude que agora é o chefe das legiões romanas na cidade, um desentendimento devido a visões políticas divergentes faz com que Messala condene Ben-Hur a viver como escravo, mesmo sabendo da inocência do ex-amigo. Mas o destino vai dar a Ben-Hur uma oportunidade de vingança que ninguém poderia imaginar.

A Última Tentação de Cristo

Indicado ao Oscar e ao Globo de Ouro em 1989, o filme de Martin Scorsese propõe uma diferente e polêmica releitura da vida de Jesus Cristo. O longa, que foi proibido em diversos países, retrata um Jesus mais humano, com inseguranças e medos. Baseado no romance de Nikos Kazantzakis, “A Última Tentação de Cristo” mostra os últimos anos da vida de Jesus, desde o começo de sua pregação até a morte na cruz, quando recebe uma visão do que teria sido sua vida caso se casasse com Maria Madalena e tivesse vivido uma existência totalmente humana.

Os Dez Mandamentos



Com um orçamento de 13 milhões de dólares para produzir o longa “Os Dez Mandamentos”, de 1956, o cineasta Cecil B. DeMille conquistou sete indicações ao Oscar, inclusive a de melhor filme, e levou para casa o prêmio de efeitos especiais. O filme retrata a épica vida de Moisés (Charlton Heston), desde recém-nascido, quando foi colocado nas águas em um cesto e acabou sendo adotado por uma princesa egípcia, até quando descobre sua real condição e decide liderar seu povo que, escravizado pelos egípcios, anseia pela liberdade.

Sansão e Dalila



Vencedor de dois Oscar, de melhor direção de arte e melhor figurino, "Sansão e Dalila" é uma superprodução dos anos 50. O filme conta a história do hebreu Sansão, famoso pela sua grande força e noivo de uma mulher filistéia chamada Semadar. Ela é morta logo depois do casamento pelos filisteus na tentativa de matar Sansão. A irmã de Semadar, Dalila tenta descobrir o segredo da força de Sansão em troca de pratas e riqueza. Após descobrir que a força está em seu cabelo, Dalila o corta e entrega Sansão aos filisteus. No final, a força de Sansão volta e ele acaba matando todos os filisteus em um templo onde ia ser chicoteado.

A Maior História de Todos os Tempos

Indicado a cinco Oscars e com um orçamento de US$ 20 milhões – uma fortuna para a época -. O filme “A Maior História de Todos os Tempos”, de George Stevens, é uma adaptação da história de Jesus Cristo e se concentra nos episódios mais conhecidos da história bíblica, incluindo nascimento de Cristo (Max von Sydow), a fuga para o Egito e o encontro com João Batista (Charlton Heston). O maior destaque fica por conta da Última Ceia, a traição de Judas (David McCallum), finalizando na Paixão, Crucificação e Ressurreição de Cristo.

Atualizado em 2 Abr 2014.

Por Renata Fernandes
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Sesc Santana exibe óperas europeias na tela de cinema

“A Flauta Mágica” e “Aida” têm exibições em janeiro

10 Filmes sul-coreanos que você precisa conhecer

Filmes como “A Criada” e “Invasão Zumbi” são exemplos do crescimento do cinema comercial no país

Michael Fassbender fala sobre a adaptação de “Assassin’s Creed” para os cinemas

Filme estreia no Brasil no dia 12 de janeiro

Natalie Portman encarna a Sra. Kennedy no pesado e surpreendente “Jackie”

Filme reconta o assassinato do presidente americano sob o ponto de vista da primeira-dama

Andrew Garfield fala sobre selinho em Ryan Reynolds no Globo de Ouro - e repete a dose em apresentador!

Ao falar sobre o assunto, Garfield beijou Stephen Colbert

“Moonlight” chega aos cinemas brasileiros às vésperas do Oscar 2017

Filme narra a história de um garoto negro que se descobre gay numa comunidade preconceituosa e violenta