Guia da Semana

"Bem-Vindo a Nova York" cria ficção em cima de caso verídico sobre política e abuso sexual

O escândulo de Dominique Strauss-Kahn é dissecado pelas lentes impiedosas de Abel Ferrara

Em meados de 2011, o mundo da política presenciou um dos mais polêmicos escândalos de sua história. Dominique Strauss-Kahn, então diretor do FMI e um dos favoritos à presidência da França, viu a sua carreira desmoronar após a acusação de abuso sexual por uma camareira de um hotel de luxo em Nova York. Durante as investigações, foram levantadas outras denúncias, colocando o diplomata em prisão domiciliar. Pouco tempo depois, por insuficiência de provas, o caso foi oficialmente encerrado e DSK, nunca punido.

Conhecido por uma filmografia permeada por temas como crimes, drogas e prostituição, o diretor americano Abel Ferrara usou o caso como inspiração para seu novo longa. Em "Bem-Vindo a Nova York", ele disseca o escândalo de DSK sem abrir mão, entretanto, de boas doses de imaginação - o que fica claro logo nos créditos iniciais. Com nomes e situações fictícias, Gérard Depardieu dá vida a um Strauss (ou Sr. Devereaux, como é chamado no filme) não só mulherengo, como um verdadeiro depravado sexual. A ocasião do suposto estupro é reconstituída, bem como cenas de completa libertinagem, das quais se encaixariam perfeitamente nas páginas de qualquer novela de Oscar Wilde.

Quem não gostou nada disso, é claro, foi o próprio DSK que, após a estreia oficial do filme, no Festival de Cannes deste ano, prometeu processar o diretor por calúnia e difamação. O assunto é delicado: por mais que o aspecto fictício do filme seja esclarecido, a personagem de Depardieu é claramente inspirada em Strauss, e as conjunturas das cenas, bem como o estupro em si, nunca foram provados. Polêmica à parte, é impossível não se deixar impressionar pelas ácidas lentes de Ferrara, que denunciam mais do que um caso isolado, e sim todo um cenário político permeado pela prostituição, hedonismo e jogos de poder.

A tensão construída durante as duas horas de exibição toma fôlego a cada segundo e prende o espectador, que inevitavelmente mergulha no imaginário de Ferrara. Sem poupar cenas de sexo explícito, as primeiras passagens dedicam-se a construir a imagem de um Sr. Devereaux lascivo e decadente, representando a falência de um sistema corrupto comandado pelo egoísmo e abuso de poder de suas autoridades. A partir do momento da acusação, o filme muda o tom, infiltrando-se nas redes de intriga e corrupção. À medida em que o fim se aproxima, Ferrara tenta analisar a faceta psicológica de sua personagem, surpreendendo mais uma vez, pela apatia e falta de pudor com que ela é construída.

"Bem-Vindo a Nova York" é mais que um filme sobre o evento que o inspirou, é uma denúncia corajosa aos contornos mais traiçoeiros da nossa sociedade. Com estreia prevista apenas para novembro, o filme integra a programação da Mostra Imovision, que fica em cartaz em São Paulo entre os dias 24 e 30 de julho.

ASSISTA SE VOCÊ:

- Gosta de filmes sobre escândalos políticos 
- É fã de Abel Ferrara ou Gérard Depardieu
- Aceita filmes que misturam realidade e ficção  

NÃO ASSISTA SE VOCÊ:

- Prefere filmes leves e despretensiosos
- Não gosta de cenas de sexo explícito 
- Preferem filmes documentais fiéis à realidade 

Atualizado em 3 Set 2014.

Por Ricardo Archilha
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Apresentadores erram e dão Oscar para o filme errado; confira os vencedores

“Moonlight” vence e mostra reação do Oscar às polêmicas de 2016 e a Trump

17 filmes para assistir no NOW durante o feriado de Carnaval

De terror a animação, confira filmes que vão te entreter nesse feriado

Logan: "filme definitivo" do Wolverine chega aos cinemas

Longa marca a despedida de Hugh Jackman do personagem que viveu por 17 anos

Um Limite Entre Nós: filme indicado ao Oscar chega ao Brasil em cima da hora

Longa traz Denzel Washington e Viola Davis em atuações singulares

13 filmes indicados ao Oscar que você pode assistir em casa agora mesmo

Do premiado “A Chegada” ao emocionante “Fogo no Mar”, veja quais são os filmes do Oscar para assistir no NOW

Confira os melhores momentos da passagem de Hugh Jackman pelo Brasil