Guia da Semana

Cinema francês em alta

Stella mostra o despertar da puberdade feminina com a delicadeza e a seriedade do cinema francês



Para mim, falar de cinema francês é leve, simples e suave. Sou um grande apreciador e - não raro - eu me emociono com a delicadeza e a seriedade de temas tratados na maior parte desses filmes.

Stella, de Sylvie Verheyde, é um grande exemplo. Fortemente autobiográfico, a roteirista e diretora construiu uma terna e melancólica epopéia sobre o fim da infância e a entrada na adolescência. Essa linha tênue e invisível que divide as fases já foi tratada por outro francês com uma delicadeza impressionante: François Truffaut e seu belíssimo Os Incompreendidos (1959). Nele, o jovem Antoine Doinel (alter ego do diretor) enfrenta os percalços da (sempre) difícil passagem da infância para a fase adulta.

Em Stella, a personagem que dá título ao filme (e é interpretada por Leóra Barbara) é uma garota de 11 anos, que vive com os pais (Benjamin Biolay e Karole Rocher) em um bar na periferia de Paris, nos anos 70. Lá, circulam delinquentes, boêmios e desajustados que farão com que a menina lide de perto com assuntos como traição, sexo e violência.

Ela acaba de chegar a um colégio novo, considerado um dos melhores e mais caros de Paris. Tímida e desconfortável naquele ambiente, ainda sofre com a humilhação de professores e alunos, mas seu péssimo aproveitamento escolar e conflitos familiares são amenizados quando ela conhece Gladys (a doce Melissa Rodriguès).

Vencedor dos prêmios de Melhor Roteiro no Festival de Flandres e do Lina Mangiacapre no Festival de Veneza (ambos em 2008), Stella é um filme esperançoso que, apesar dos pesares, mantém seu resquício de prosperidade.

A puberdade, o amor às artes e às pessoas, as transgressões, estão todos ali. Uma ode às descobertas dessa fase e como sua protagonista as enfrenta. Seja no bar onde mora, no colégio, na casa da amiga rica ou nas férias no campo, Stella é uma personagem introspectiva e misteriosa, quase um enigma de si mesma.

A atriz iniciante Leóra Barbara está ótima em sua primeira aparição no cinema. Sua segurança em cena no papel principal demonstra uma maturidade fascinante e incômoda ao mesmo tempo. Um rosto infantil que pouco sorri, mas que, quando o faz, ilumina toda a ação, completada pelo carisma de Melissa Rodrigues, que interpreta sua melhor amiga Gladys.

Com uma câmera inquieta, o filme ganha maior força com a espetacular trilha sonora original da banda NousDeux The Band. Singelo e empolgante, torcemos pela pequena protagonista que está, aos poucos, sendo absorvida por aquele universo adulto enquanto sua infância vai embora cada vez mais rápido.

O conflito com (e entre) os pais, além do conflito interno com o qual lida, criam uma Stella melancólica, mas que não perde o lirismo que permeia todo o longa. Nesse ambiente, ela convive com Alain-Bernard (Guillaume Depardieu, filho de Gerárd Depardieu, que morreu logo após as filmagens). Nele, a garota encontra o amor, a amizade e a segurança que todo o mundo adulto que lhe rodeia nunca foi capaz de oferecer. Encontra nele o porto seguro para continuar a jornada de pureza e poesia em um mundo caótico e selvagem.

Uma pequena pérola que emociona e dá a certeza de que nem tudo está perdido quando, finalmente, nos encontramos.

Nota: destaque para a cena final dos créditos. Uma sequência simples, combinada com a ótima trilha, dão o toque poético derradeiro que Stella merecia. E bem ao estilo francês, o que o torna ainda mais delicioso.

Leia as colunas anteriores de Leonardo Freitas:

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

“Logan” e “A Bela e A Fera” são os filmes mais vistos nos cinemas em 2017; confira os números

Veja o balanço completo das bilheterias mundiais em 2017

15 Filmes que dão uma aula sobre preconceito racial

Títulos como “Moonlight” e “Estrelas Além do Tempo” têm colocado o tema no centro das atenções

Marvel Studios divulga pôsteres incríveis de "Guardiões Galáxia Vol 2"

Filme estreia nos EUA em 27 de abril

10 Filmes que você vai querer ver nos cinemas em abril

"Joaquim" e "Guardiões da Galáxia Vol. 2" estão entre os destaques do mês

Pennywise está assustador em nova foto de "It: Uma Obra-Prima do Medo"

Adaptação do livro de Stephen King estreia em setembro

Aquaman rouba a cena em novo teaser de "Liga da Justiça"; assista

Filme estreia no dia 16 de novembro