Guia da Semana

Curiosidades do Oscar 2008

Saiba mais sobre os indicados do ano

Se há uma coisa que se pode ter plena certeza no Oscar 2008 é que não existe nenhum filme que seja pleno favorito. Ao contrário da maioria dos anos, desta vez não há um campeão de indicações, são dois. Tanto o violento Onde os Fracos Não Têm Vez, quanto o tenso Sangue Negro tiveram oito indicações cada, inclusive a de Melhor Filme, Diretor e Roteiro Adaptado.

No entanto, os dois não estão assim tão tranqüilos na liderança. Logo atrás, com sete indicações, estão Conduta de Risco (foto) e Desejo e Reparação. Enquanto o primeiro conseguiu o feito de ser indicado em quase todas as principais categorias - Filme, Diretor, Roteiro Original, Ator, Ator Coadjuvante e Atriz Coadjuvante -, o segundo foi o vencedor do prêmio de Melhor Filme de Drama, no Globo de Ouro, e é cotado como favorito ao Oscar principal.

Assim como no ano passado, o Oscar 2008 tem um independente correndo por fora. Enquanto em 2007 era Pequena Miss Sunshine, que não recebeu nenhum dos quatro prêmios a que foi indicado, desta vez é Juno que teve inclusive a mesma quantidade de indicações. Entretanto, as chances de sair de mãos vazias também é grande, já que está nas principais categorias, como Melhor Filme, Roteiro Original e Atriz, para Ellen Page.

Não será tão fácil para a jovem de 20 anos faturar a estatueta, já que existem outras favoritas. Menos difícil é para Cate Blanchett, que se não receber o prêmio principal, pode ficar com o de Melhor Atriz Coadjuvante, em que ela concorre por interpretar Bob Dylan. Ela, aliás, não só recebeu duas indicações, como foi indicada pela segunda vez para o mesmo personagem. Em 1999 ela havia concorrido por Elizabeth, agora pela sua continuação, Elizabeth - A Era de Ouro (foto).

E não foi apenas Blanchett que conseguiu duas indicações no Oscar 2008 por filmes diferentes. O diretor de fotografia Roger Deakins tem duas chances de levar a estatueta da sua categoria. Ele concorre por O Assassinato de Jesse James Pelo Covarde Robert Ford e por Onde os Fracos Não Têm Vez, dos irmãos Coen. Deakins nunca recebeu o prêmio, mas já foi indicado outras cinco vezes, três delas por filmes da dupla. Além dos dois, ele ainda realizou um terceiro este ano, No Vale das Sombras, que concorre a Melhor Ator, com Tommy Lee Jones.

Ethan e Joel Coen também não podem reclamar das indicações deste ano. Os irmãos não receberam duas indicações cada, como Roger e Cate, eles foram mais longe e levaram quatro, todas pelo Onde os Fracos Não Têm Vez (foto). Eles concorrem como produtores, na categoria Melhor Filme, além de Melhor Diretor, Roteiro Adaptado e Edição. Curiosamente, as quatro indicações que cada um dos dois recebeu em 2008 é exatamente o mesmo número que eles somavam anteriormente, em mais de 20 anos de carreira.

Mas isto não é nada comparando com o que teve que esperar a atriz Ruby Dee, de O Gângster, para sua primeira indicação. Com 84 anos, ela se torna uma das mais velhas atrizes coadjuvantes a figurar na lista dos cinco melhores do ano para a Academia. Concorrendo com ela, Saoirse Ronan teve que esperar sete décadas menos que a veterana para entrar na festa do Oscar. Aos 13 anos, ela colhe os frutos de seu belo trabalho em Desejo e Reparação.

Para uma atriz iniciante como Saoirse (foto), o Oscar é uma grande vitrine, assim como para os indicados anualmente aos prêmios de Melhor Curta-Metragem. Curiosamente, dos dez indicados deste ano para ficção - cinco para animação e cinco de filme com atores -, apenas um candidato é americano. Sinal de que Hollywood está buscando novos talentos no resto do mundo.

Enquanto estrangeiros ganham destaque em Hollywood, diretores estadunidenses tentam a sorte fora de sua terra. É o caso de Joseph Cedar, que apesar de nascido nos EUA recebeu uma indicação de Melhor Filme Estrangeiro, por Beaufort, de Israel. Concorre com ele o veterano diretor polonês Andrzej Wajda, que levou o Oscar Honorário de 2000. Além deles, dois russos. Nikita Mikhalkov, defendendo seu país, e Sergei Bodrov pelo Cazaquistão.

Como não poderia deixar de ser político, o Oscar deste ano continua sua crítica ao governo através do prêmio de documentário. Além de Michael Moore (foto), histórico rival de George Bush, que concorre com seu filme contra o sistema de saúde do país, estão mais três filmes anti-Guerra, seja do Iraque ou do Afeganistão. Apenas um tenta sair um pouco do tema. War Dance mostra crianças da Uganda que dançam em um campeonato, apesar da Guerra Civil no país.

Certeza de que vai sair com o prêmio da festa, apenas um tem: o diretor de arte Robert Boyle, que receberá o Oscar Honorário, aos 98 anos. Para os outros, resta esperar os mais de seis mil membros da Academia votarem. As cédulas serão entregues no dia 30 de janeiro e eles terão até 19 de fevereiro para escolher seus favoritos. Para quem não faz parte deste grupo, resta fazer as apostas e aguardar a noite do dia 24 de fevereiro.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Veja os melhores cosplays da Comic Con Experience 2016 (CCXP)

Evento acontece no São Paulo Expo entre 1 e 4 de dezembro

CCXP 2016 surpreende com vídeos exclusivos no segundo dia de evento

Cena de novo “Homem-Aranha” e trailer de “Planeta dos Macacos: A Guerra” foram destaques na sexta-feira

"Jumanji" tem estreia no Brasil adiada para 2018

Anúncio foi feito pela Sony durante a CCXP

Assista à entrevista exclusiva com Fiuk e Sandy sobre a animação "Sing - Quem Canta Seus Males Espanta"

Filme estreia no dia 22 de dezembro nos cinemas

"A Múmia": Remake com Tom Cruise ganha teaser e pôster

Estreia está agendada para junho de 2017

Cahiers du Cinéma elege os melhores filmes de 2016

O brasileiro "Aquarius" aparece em quarto lugar na lista