Guia da Semana

Desabafo

Somos responsáveis pelos nossos atos

Foto: Sxc.Hu


Não é possível que alguém que leia um jornal ainda não tenha se conscientizado com a situação em que se encontra o mundo. Não vou detalhar aquecimento global e pobreza, pois não é preciso, todos escutam e sabem muito bem sobre esses assuntos. Vou falar sobre acordar para o fato que esses problemas não são do planeta. São meus, seus e de cada ser humano. Vamos esperar até quando? O momento de decisão é agora! A situação é grave de verdade.

A teoria que julga os homens inteligentes e os animais seres irracionais parece estar errada. Se não existíssimos no mundo, estaria tudo maravilhoso, intacto e perfeito. Destruímos nosso meio de sobrevivência, a fonte de tudo. Isso é inteligência? Não ao meu ver... Para gerações passadas, é ate compreensível. Não tinham informação do mal que estavam causando, mas hoje? Não dá mais! A facilidade de ter tudo industrializado fez a humanidade esquecer que tudo, mas TUDO que consumimos vem da natureza.


E como se não bastasse a falta de conscientização ambiental, ainda existe o desrespeito aos próprios seres humanos. Como uma pessoa pode viver em paz e feliz em sua linda e perfeita casa, com tudo de bom e do melhor, dirigir seu carro de luxo e ignorar a dificuldade em que a grande maioria da população vive? Sabendo que poderia fazer algo para mudar. Como dorme um ser humano sabendo que tem potencial para salvar outro e não salva?


Precisamos construir uma sociedade que sobreviva sem destruir nossas reservas naturais e a nós mesmos. Não estou dizendo para vivermos todos na pobreza. Uma pessoa pode ajudar a outra, sem esforço, dentro do próprio dia-a-dia. Basta querer e saber olhar para o lado. O despertador está tocando e a gente insiste em dormir mais um pouquinho sabendo que o tempo passa depressa. Quando resolvermos levantar, não vai mais adiantar.


Me pergunto diariamente porque diabos os fumantes acham que bitucas de cigarros não são lixo. Eles as jogam no chão, da janela do carro, na praia, da janela do prédio e tudo bem. Para eles é normal, e pior... Para quem vê também e normal. Não é normal!!! Destrói o planeta, polui, é falta de educação. Como alguém pode comprar adereços que utilizem produtos de origem animal como peles? Como alguém pode deixar a torneira corrente enquanto escova os dentes? Vocês acham champanhe caro? Aguardem o preço da água potável num futuro não tão distante assim...


Reciclar nosso lixo também ajuda. Faça!


Sabe o rio Tietê, que a gente lamenta que era azul e hoje é essa nojeira? É exatamente o que estamos fazendo com os nossos oceanos. Igualzinho... Chegamos ao limite da irresponsabilidade. A grande dificuldade é que para consertar o mundo, é preciso antes consertar o ser humano. E isso só será possível se todos nós dermos as mãos... Dermos oportunidades aos que não as tem. Juntar a todos para o bem comum. Eu já comecei a fazer isso. E você?


*Escrevo em meu nome, e em nome da minha maior fonte de inspiração para tudo isso. Meu grande amor e parceiro, Sergio Morisson

Quem é a colunista: Fernanda Suplicy, uma pessoa com paixão por projetos e trabalho social.

O que faz: Empreendora, cria diversos projetos. Tem a FSUPLICY, o site www.yeswedding.com.br, é colaboradora da revista Vogue Noivas, e a SOCIAL WAY, agência de marketing social (Terceiro Setor).

Pecado gastronômico: Bolinho de arroz do Ritz

Melhor lugar do Brasil: Fernando de Noronha

Fale com ela: fernanda.suplicy@socialway.com.br

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

“Gostosas, Lindas e Sexies” – Sex and the City à brasileira chega aos cinemas com elenco plus-size

Filme estreia nesta quinta, 20 de abril

Será? Will Smith pode ser o Gênio no live-action de "Aladdin"

Segundo o Deadline, ator está em negociações com a Disney

“Paixão Obsessiva”: suspense trash com Katherine Heigl estreia nesta quinta

Heigl interpreta uma ex-mulher determinada a eliminar a atual

“Paterson” - Adam Driver é um poeta do cotidiano em novo filme de Jim Jarmusch

Filme conta a história de um motorista de ônibus que escreve poemas nas horas vagas

Cinemark exibe “...E O Vento Levou” na próxima terça-feira

“2001: Uma Odisseia no Espaço” e “O Mágico de Oz” serão os próximos clássicos na programação

Serviço permite ir ao cinema todos os dias por mensalidade fixa

Assinaturas do Primepass variam de R$ 39,90 a R$ 139,90