Guia da Semana

Kung Fu Panda

Jack Black fala sobre a experiência de dublar o personagem para a tela grande

De Los Angeles


As animações da DreamWorks sempre dão o que falar desde que a companhia surgiu no mercado com Fuga das Galinhas e Shrek. Não foi surpresa descobrir que Kung Fu Panda vale cada segundo sentado na cadeira. Partindo de um sonho animado no estilo clássico a lá Samurai Jack e mergulhando na moderna técnica de 3D - não tão pesada dessa vez -, conhecemos Po, um panda que ganha a vida ajudando o pai na barraca de macarrão, mas, secretamente, quer ser o maior lutador de kung fu do mundo.

Claro que ele é todo trapalhão e a alcançar seu sonho é coisa quase impossível. A história de Po (voz de Jack Black) nos leva a outros personagens, como Furious 5 (Cinco Furiosos), os maiores lutadores do mundo, e seu mestre, Shifu (Dustin Hoffman). Claro, precisamos de um vilão, e ele é Tai Lung (Ian McShane), um lutador imbatível. O elenco de vozes conta ainda com Angelina Jolie, Jackie Chan e Lucy Liu. O mote da história é descobrir quem é o Guerreiro Dragão, único capaz de derrotar Tai Lung e salvar o mundo de um possível tirano. Alguma dúvida de quem será escolhido como o salvador da pátria?

Leia uma entrevista exclusiva com Jack Black, que empresta a voz ao personagem Po na animação. Confira

Fábio Barreto: Qual é a melhor parte de se trabalhar numa animação?
Jack Black:
É uma delícia. Você vai até o estúdio vez por mês, trabalha três ou quatro horas. Nada de maquiagem. Chega ao meio dia (cara muito feliz). Faz a dublagem. E está tudo o script, mas dá para improvisar um pouco. É divertido.

O que você sente ao ver aquele panda como sua representação na tela?
Jack Black:
Raiva. É como se ele tivesse roubado minha alma! Hahaha!

Toda aquela preparação das lutas de Nacho Libre ajudou a criar alguma coisa desse estilo único do Panga Fu?
Jack Black:
Pode ser. Um pouco sim... quer saber? Não, nada a ver esse negócio de preparação mental. O Po só gosta de comer e por isso ele fica bom no kung fu. A grande verdade é que eu praticava artes marciais quando era garoto, mas fazia caratê e judô. Então eu tinha todas as habilidades para bater em todo mundo!

Você gosta de cantar e sua voz é animal. Po sabe cantar também?
Jack Black:
Obrigado! Mas Po não canta, ele luta! (risos) Fiz alguns vocais para a canção tema, mas só isso.

Po não quer fazer macarrão como o pai. Você não quis ser cientista como o seu. Como ele reagiu?
Jack Black:
Ele não ligou muito. Ele só queria que eu fizesse faculdade e tivesse educação. Mas eu não terminei a faculdade. Aí ele ficou desapontado.

Você sempre esta de bom humor... como é Jack Black de mau humor?
Jack Black:
Eu sou meio temperamental. Nunca quebro coisas e tal, mas aí começa a sair vapor sai pelas orelhas e eu fico ultra-raivoso. De vez em quando, estou muito bravo dentro do meu carro, eu só grito. E sei que deve parecer ridículo para quem vê de fora.

Quem é o Po? O que você tem a ver com ele?
Jack Black:
Ele é um sonhador. Inocente e infantil, mesmo sendo um Panda adulto. Ele tem esses sonhos fantásticos de ser o herói magnífico que todo mundo adora, idolatra e teme. Mas ele também é muito inseguro, porque ele não tem a habilidade para transformar tudo isso em realidade. (risada maléfica e careta embutida). E eu também conquistei tudo que queria. Sem dúvida.

Falei com Nick Nolte e ele comentou Thunder Tropic. E ele disse que é muito especial, pois ninguém falou do Vietnã desse jeito.
Jack Black:
É um filme muito original. Aborda muitos assuntos delicados como racismo, vício em drogas e a própria guerra. Nunca vemos muitas comédias a esse respeito. É isso que faz com que o filme seja legal. Por isso gostamos muito de fazer. Interpretamos atores que vão fazer um filme sobre o Vietnã. Meu personagem é um comediante que sempre exagera. Meio que nem eu, mas sem a heroína, devo acrescentar. Ele tem que largar a heroína no meio do filme, pois eles estão no meio da selva, o que nos leva a novas situações cômicas.

O estilo do sonho de Po lembra muito Samurai Jack, de Gendy Tartakovsky. Você gosta?
Jack Black:
Sim... opa. Não conheço esse! Samurai Jack? Parece legal. Soa como se tivesse sido feito para mim. Com esse nome!

Fotos: Divulgação

Leia as entrevistas anteriores do nosso correspondente:

  • J.K. Simmons: Ator que interpreta o pai de Juno fala sobre o longa independe
  • Jim Carrey: Astro conversa com a imprensa no set de filmagem de Yes Man

  • Matt Reeves: Diretor de Cloverfield - Monstro fala sobre o longa


    Quem é o colunista: Fábio M. Barreto adora escrever, não dispensa uma noitada na frente do vídeo game e é apaixonado pela filha, Ariel. Entre suas esquisitices prediletas está o fanatismo por Guerra nas Estrelas e uma medalha de ouro como Campeão Paulista Universitário de Arco e Flecha.

    O que faz: Jornalista profissional há 12 anos, correspondente internacional em Los Angeles, crítico de cinema e vivendo o grande sonho de cobrir o mundo do entretenimento em Hollywood.

    Pecado gastronômico: Morango com Creme de Leite! Diretamente do Olimpo!

    Melhor lugar do Brasil: There´s no place like home. Onde quer que seja, nosso lar é sempre o melhor lugar.

  • Atualizado em 6 Set 2011.

    Compartilhe

    Comentários

    Outras notícias recomendadas

    Ator de “Power Rangers” faz homenagem à Chapecoense durante a CCXP 2016

    Elenco do filme participa da terceira edição da feira de cultura pop em São Paulo

    Veja os melhores cosplays da Comic Con Experience 2016 (CCXP)

    Evento acontece no São Paulo Expo entre 1 e 4 de dezembro

    CCXP 2016 surpreende com vídeos exclusivos no segundo dia de evento

    Cena de novo “Homem-Aranha” e trailer de “Planeta dos Macacos: A Guerra” foram destaques na sexta-feira

    "Jumanji" tem estreia no Brasil adiada para 2018

    Anúncio foi feito pela Sony durante a CCXP

    Assista à entrevista exclusiva com Fiuk e Sandy sobre a animação "Sing - Quem Canta Seus Males Espanta"

    Filme estreia no dia 22 de dezembro nos cinemas

    "A Múmia": Remake com Tom Cruise ganha teaser e pôster

    Estreia está agendada para junho de 2017