Guia da Semana

Musas das bilheterias

Estreia nessa sexta-feira, 1º de julho, o terceiro episódio da cinesérie Transfomers. E sem Megan Fox. O Guia da Semana lista de outras musas, encrenqueiras ou não, que fizeram história.

Fotos: Imdb
 
Megan Fox falou sem parar e perdeu o emprego.

Linda, sexy e com o corpo de Angelina Jolie. Tantos atributos não foram suficientes para manter o emprego de Megan Fox nos filmes da franquia Transformers. Tudo porque a ex-modelo, lançada ao estrelato mundial devido à série, não segurou a língua e soltou algumas declarações polêmicas sobre a produção. Foi o que bastou para que sua participação fosse vetada no terceiro filme, Transformers 3: O Lado Oculto da Lua - que estreia no Brasil dia 1º de julho. Na história, a atriz foi substituída à altura pela modelo inglesa Rosie Huntington-Whiteley, que é igualmente linda e também corre e grita com afinco ao lado do herói, Sam (Shia Labeouf).

Garota encrenqueira

Os problemas com Megan começaram ainda durante as entrevistas de lançamento do segundo filme da saga, chamado Transformers: A Vingança dos Derrotados. Na época, ela foi questionada por um repórter da revista Wonderland sobre os prós e contras de trabalhar com o diretor Michael Bay. Na resposta, Megan atacou o chefe. "Ele quer ser como um Hitler no set e consegue. É um pesadelo trabalhar com ele, mas quando você consegue tirá-lo do set, e ele não está no 'modo diretor', eu meio que gosto de sua personalidade, porque Michael é esquisito".

Depois do episódio, o cineasta e produtor executivo do filme, Steven Spielberg, exigiu que a atriz fosse demitida do terceiro filme. Uma pessoa da equipe de filmagem do longa-metragem afirmou, em carta aberta publicada no site de Michael Bay, que o diretor "encontrou essa garota tímida e inexperiente e a tirou da total escuridão, dando a ela uma grande oportunidade. Ela não é a Angelina Jolie. Angelina é uma profissional. Tivemos a tediosa experiência de trabalhar com a burra-como-uma-pedra Megan Fox em dois Transformers".

Assim como Megan Fox, muitas estrelas foram levadas ao estrelato após atuar em um filme de grande sucesso. O Guia da Semana te convida para conhecer um pouco das musas desse Olimpo cinematográfico.

Angelina Jolie

 
A heroína Lara Croft elevou Angelina Jolie a categoria de estrela.

Diversas vezes eleita uma das mulheres mais belas do mundo, Angelina Jolie começou sua carreira no cinema na metade da década de 90, participando de produções menores. Teve seu primeiro papel principal em Hackers (1995), porém, foi em Gia, Fama e Destruição (1998) que ela chamou atenção do mundo ao viver a ex-modelo Gia Carangi, tendo sua atuação aclamada pelo público e crítica.

Com a carreira em alta, após ganhar um Globo de Ouro e um Oscar - por Gia e Garota, Interrompida (1999)-, Angelina estrelou a aventura Tomb Raider (2001), em que viveu a milionária aventureira Lara Croft. O papel foi um marco em sua vida, pois foi através dele que a atriz decolou, tornando-se um dos nomes mais conhecidos e bem pagos de Hollywood. Inclusive, o gênero marcou Angelina, que virou referência feminina em filmes de ação.

Jamie Lee Curtis

 
Após o filme Halloween, a atriz ficou conhecida como a rainha do grito.

Nos filmes de terror sempre existe uma mocinha indefesa, mas com uma arma muito potente: as cordas vocais. E não tem ninguém que represente melhor essa categoria do que Jamie Lee Curtis, que chegou a ficar conhecida como The Scream Queen (A Rainha do Grito) após participar da série Halloween - A Noite do Terror (1978). Na história, conhecemos o psicopata Michael Myers que, aos seis anos de idade, matou a irmã de 17 anos e foi preso. Em 1978, aos 21, ele conseguiu fugir enquanto estava sendo levado para uma audiência no tribunal.

Sem pensar duas vezes, o maníaco volta à sua cidade natal para continuar o banho de sangue. As próximas vítimas da fúria de Myers são as adolescentes Annie e Lynda, amigas de Laurie Strode (Jamie Lee Curtis), que seria a próxima da lista. Muito bem dito: seria, pois ela consegue escapar do maníaco aos gritos - muitos gritos -, murros, pontapés e facadas. Mas sem nunca perder a formosura, claro! Criou escola, vide produções como Pânico (1900) e Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado (1900).

Natalie Portman

 
Em Closer - Perto Demais, ela viveu a stripper Alice.

Atual ganhadora do Oscar de Melhor Atriz por Cisne Negro (2010), a atriz esbanjou talento logo na sua estreia, aos 12 anos, no filme O Profissional (1994), do diretor Luc Besson. Nele, um assassino profissional (Jean Reno) acaba tendo que cuidar de uma adolescente de 12 anos (Natalie Portman), cujos pais foram mortos. Relutante no começo, ele começa a ensinar a garota seus métodos, criando uma conexão de pai e filha entre os dois.

No entanto, foi em Closer - Perto Demais (2004), que ela deixou seu bom mocismo de lado e topou encarar até as cenas de semi-nudez da sua personagem. No drama, Portman interpretou Alice, uma stripper que tinha sérios conflitos emocionais com os outros três personagens da história. Pela atuação, a atriz foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante em 2005.

Sharon Stone

 
Atuar como a escritora Catherine Tramell elevou Sharon a categoria de estrela.

Pergunte a qualquer pessoa quem é Sharon Stone. Provavelmente, todas as respostas estarão relacionadas ao papel da escritora Catherine Tramell, a loira fatal e sem calcinha que ela fez em Instinto Selvagem (1992). Após aquele trabalho, Sharon chegou até a ser indicada ao Oscar por sua atuação em Cassino (1995), mas, dificilmente, os fãs vão esquecer da cruzada fatal de pernas que a atriz dá no filme de 1992.

Dirigido por Paul Verhoeven, Instinto Selvagem foi um dos mais sensuais longa-metragens já produzidos. Nele, a atriz dá um show de interpretação, manipulando, seduzindo, matando e sempre conseguindo vender a ideia de sua inocência. Já o detetive vivido Michael Douglas come o pão que o diabo amassou, sem se dar conta de que nunca esteve no comando do jogo. Pelo papel marcante, Sharon Stone chegou a concorrer ao Globo de Ouro naquele ano.

Scarlett Johansson

 
Encontros e Desencontros foi o filme que revelou Scarlett para o mundo.

Atraente, talentosa e intelectual, Scarlett já possui mais de dez anos de carreira. Filha de uma produtora teatral, estreou nos palcos aos oito anos de idade, em uma peça estrelada por Ethan Hawke. Depois, participou de filmes como O Encantador de Cavalos (1998), de Robert Redford, O Homem que não Estava Lá (2001), dos irmãos Cohen, e Ghost World - Aprendendo a Viver (2001), entre outros. Neste último, chamou a atenção de Sofia Coppola, que convocou a atriz para o papel principal de Encontros e Desencontros (2003), que a elevou a categoria de estrela.

O segundo longa-metragem de Sofia Coppola se concentra em dois hóspedes de um mesmo hotel em Tóquio: Bob (Bill Murray), famoso ator de meia-idade que está na cidade para participar de um comercial de uísque, e Charlotte (Scarlett Johansson), a jovem esposa de um fotógrafo de moda também trabalhando na cidade. A partir de um encontro casual no bar do hotel, Bob e Charlotte passam a explorar maneiras originais e agradáveis de fugir do tédio e da solidão que os persegue. Após o filme, a atriz foi elevada a categoria de musa do diretor Woody Allen, estrelando, entre outros, Match Point (2005) e Vick Cristina Barcelona (2008).

Atualizado em 12 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

10 Motivos para ver a animação “Sing – Quem Canta Seus Males Espanta”

Filme chega aos cinemas no dia 22 de dezembro

“Pets” tem sessão gratuita para incentivar a adoção de animais

Cine Matilha exibe a animação em sessão aberta para cães e seus donos

7 Fatos sobre “Fallen” que você precisa saber antes de ir aos cinemas

Adaptação do primeiro livro da saga adolescente estreia no dia 8 de dezembro

4 Motivos para ver “A Qualquer Custo” nos cinemas

Filme com Chris Pine e Jeff Bridges chega aos cinemas em janeiro

"50 Tons Mais Escuros" ganha trailer inédito; confira

Novo vídeo do longa está mais caliente do que nunca!

Clássico de Chaplin tem sessão gratuita no Auditório Ibirapuera

Exibição encerra a programação do centenário de Paulo Emílio Sales Gomes