Guia da Semana

O Brasil na calçada da fama

Festival brasileiro mostra o que a indústria nacional tem a oferecer em Hollywood

Fotos: Daniel Ferreira/Revista Set
Max Fercondini, Talize Sayegh, Reynaldo Gainecchini e Rodrigo Santoro

O Brasil está bombando em Hollywood. Após quatro filmes indicados ao Oscar - O Quatrilho em 1996, O Que É Isso, Companheiro, em 1998, Central do Brasil, em 1999, Cidade de Deus, em 2004 - e o sucesso de diversos conterrâneos em telas internacionais, Los Angeles pôde conferir os maiores expoentes do cinema brasileiro, durante o Hollywood Brazilian Film Festival, evento que ocorreu na última semana, entre os dias 27 e 29 de janeiro.

Dessa vez foram os americanos que encheram os baldinhos de pipoca para assistir aos últimos lançamentos da indústria nacional. Prestigiando a abertura do festival, estavam presentes a produtora Paula Lavigne, a roteirista Laura Malin e os atores Max Fercondini e Gisele Fraga. Os astros Matthew McConaughey (ao lado da esposa, a modelo brasileira Camila Alves), Alice Braga, Rodrigo Santoro e Reynaldo Gianecchini, ajudaram a abrilhantar a noite, que aconteceu no Egyptian Theater, centro de grandes eventos de Hollywood.

O festival

Fotos: Daniel Ferreira/RevistaSete.com
Matthew McConaughey e sua esposa, a modelo brasileira Camila Alves

Com foco nas distribuidoras internacionais, o HBF contou com uma programação variada, que englobou blockbusters e produções underground. Entre os curtas, estavam presentes Tarantino´s Mind, de Bernardo Manitou, baseado na filmografia do diretor Quentin Tarantino, com Selton Mello e Seu Jorge no elenco, O Dia M, de Paulo Leierer, Blackout, de Daniel Rezende e Landau 66, de Fernando Sanches.

Para representar as grandes produções, as telonas do Egyptian Theater exibiram Romance, de Guel Arraes, protagonizado por Wagner Moura e Letícia Sabatella, Entre Lençóis, de Gustavo Nieto Roa, estrelado por Reynaldo Giannechini e Paola Oliveira, o documentário Balé de Pé no Chão, de Lilian Solá Santiago e Marianna Monteiro e, encerrando o festival, o longa Carmo, Hit the Road, de Roberto D`Àvila, uma co-produção hispânico-brasileira, selecionada para o Sundance Festival de 2009.

No dia da estréia, o ator Reynaldo Giannechini, conversou com o Guia da Semana, comentando que as pessoas estão curiosas para ver o trabalho dos brasileiros no cinema. "Por isso, o festival acaba atraindo um público bem heterogêneo, formado por quem gosta de cinema e tem a curiosidade de conhecer os trabalhos realizados no Brasil".

Sem miséria

No coração da produção cinematográfica mundial, o Hollywood Brazilian Film Festival conseguiu uma conquista importante: despertar o interesse e garantir a visibilidade internacional para produções baseadas em temas que fogem do retrato da miséria social.

Depois de filmes como Carandiru, Cidade de Deus e Tropa de Elite, a exibição de longas que tratam de histórias românticas e leves chega para provar a amplitude do cinema brasileiro, como pode ser observado no caso do sucesso atingido pelo filme Se Eu Fosse Você 2 que, em tempos de pirataria, registrou recorde de público e já soma mais de 2,3 milhões de espectadores.

"Temos que valorizar tudo o que já foi feito e mostrar o que retrata a nossa sociedade. Mas por quê não oferecer um romance, uma comédia, ou histórias que fogem da temática da pobreza e da violência? Isso também é bacana e tem que ser mostrado", completa Gianecchini.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Ryan Gosling explica risada durante gafe no Oscar 2017

Apresentadores entregaram o prêmio ao filme errado

Diretor de “Fragmentado” revela que o filme será parte de uma trilogia; confira a entrevista completa

M. Night Shyamalan veio ao Brasil divulgar o suspense que estreia no dia 23 de março

Robert Downey Jr. será "Doutor Dolittle" em novo filme do personagem

"The Voyage of Doctor Dolittle" ainda não tem data de estreia

Novo “Power Rangers” equilibra nostalgia e modernidade e foca no público adolescente

Filme aposta no desenvolvimento dos personagens e trabalha a diversidade

"A Bela e a Fera" é a maior estreia do ano - e a sétima da história dos EUA!

Filme estreou na última quinta-feira soma faturamento de US$ 350 mi ao redor do mundo

“T2 Trainspotting” – como o original, sequência também é um espelho do seu tempo

Longa se passa 20 anos depois do clássico e traz de volta o mesmo elenco