Guia da Semana

Os 300 de Miller

Saiba mais sobre Frank Miller e seus 300 de Esparta

Divulgação
Set de filmagem de 300: fundo azul para cenários digitais

Tido como um dos grandes criadores da indústria de quadrinhos na atualidade, Frank Miller (foto abaixo) é reconhecido pela grande inventividade de sua obra. No currículo, destacam-se as graphic novels recentemente adaptadas para o cinema, como Sin City - A Cidade do Pecado, que tem uma seqüência programada para este ano e o novíssimo 300, baseado em sua obra 300 de Esparta.

Em 1979, sua carreira começou a deslanchar, quando foi convidado para desenhar O Demolidor, na Marvel Comics. Posteriormente veio Elektra, um de seus personagens mais importantes e pelo qual seu trabalho foi lembrado e reconhecido ao longo dos anos. Desenhou também aventuras para Wolverine, Batman, Robocop e outros personagens, tanto para a Marvel quanto para a DC Comics.

A estréia como diretor de cinema ocorreu em 2005, quando dirigiu ao lado de Robert Rodriguez a adaptação de sua obra Sin City - A Cidade do Pecado. Com uma estética noir, o filme, marcado pela luz sépia e sombras, tira dos quadrinhos os personagens que vivem num mundo marcado pelo ódio, crimes, drogas e prostituição. As boas bilheterias fizeram que duas continuações para o filme fossem engatilhadas: uma chega às telas ainda em 2007 e a próxima provavelmente ficará para 2008. E ele já anunciou: a partir de agora vai assumir sozinho a direção das próximas adaptações.

A parceria entre Miller e sua mulher Lynn Varley rendeu também Os 300 de Esparta. Adaptado para os cinemas, tem direção assinada por Zack Snyder. Na história, uma descrição da Batalha de Termópilas, na qual 300 soldados espartanos lutaram bravamente contra uma legião de persas, que avançavam sobre o território grego. A inspiração para criar a história veio do filme de 1961 The 300 Spartans, que o desenhista assistiu na infância. Segundo ele, concepção de herói mudou ao ver soldados espartanos caminharem para o próprio sacrifício.

A graphic novel, lançada em 1998, ganhou no Brasil formato widescreen (horizontal) e chegou às lojas recentemente reeditada pela Editora Devir. Nos Estados Unidos, é editada pela Dark Horse. Para criar o clima de graphic novel nos cinemas, os atores foram colocados em fundos verdes e azuis e os cenários foram criados por computador. As filmagens, que foram concluídas em 60 dias, contam com tons escuros e um clima dramático para criar a atmosfera da lendária batalha.

Todo o processo de efeitos visuais está presente em cerca de 1300 dos 1500 cortes do filme. Apenas uma cena foi feita num local aberto, quando os cavalos se aproximam de Esparta. Todo o restante foi rodado num estúdio em Montreal, no Canadá, e em Los Angeles, nos Estados Unidos.

O minucioso trabalho de pós-produção do longa foi o mais extenso: demorou cerca de um ano até ser concluído. A perfeição de cenas e efeitos visuais buscada exaustivamente pela equipe técnica pode ser conferida nas telas a partir de 30 de março.

Fotos: Divulgação/Warner Bros

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Veja os melhores cosplays da Comic Con Experience 2016 (CCXP)

Evento acontece no São Paulo Expo entre 1 e 4 de dezembro

CCXP 2016 surpreende com vídeos exclusivos no segundo dia de evento

Cena de novo “Homem-Aranha” e trailer de “Planeta dos Macacos: A Guerra” foram destaques na sexta-feira

"Jumanji" tem estreia no Brasil adiada para 2018

Anúncio foi feito pela Sony durante a CCXP

Assista à entrevista exclusiva com Fiuk e Sandy sobre a animação "Sing - Quem Canta Seus Males Espanta"

Filme estreia no dia 22 de dezembro nos cinemas

"A Múmia": Remake com Tom Cruise ganha teaser e pôster

Estreia está agendada para junho de 2017

Cahiers du Cinéma elege os melhores filmes de 2016

O brasileiro "Aquarius" aparece em quarto lugar na lista