Guia da Semana

Realidade nas câmeras

Considerada um dos principais festivais de documentários do mundo, a mostra É Tudo Verdade agita São Paulo e Rio, de 31 de março a 10 de abril

Foto: Divulgação

Carne, Osso, de Caio Cavechini e Carlos Juliano Barros, denuncia as condições precárias que os trabalhadores dos frigoríficos brasileiros passam

"De fato, havia necessidade de se ter uma janela exclusiva para o documentário e isso tem ajudado o mercado do gênero brasileiro a ampliar sua produção concreta". É com essa afirmação que o diretor do festival de documentários É Tudo Verdade, Amir Labaki, enxerga a relevância do evento que chega a sua 16ª edição, com 92 produções vindas de 29 países, além de 18 documentários brasileiros inéditos, de curta, média e longa-metragens.

Pluralidade é a marca que o festival carrega consigo, transitando entre as diversas formas de arte e dialogando com outras áreas, como música, literatura e artes plásticas. Em São Paulo, essa interação inicia em 31/3, com o longa Black Power Mixtape, de Göran Hugo Olsson, que retrata o movimento negro nos EUA na década de 70. Já no Rio, a programação estreia no dia seguinte, com o curta Imagens do Playground e o longa ... Mas o Cinema é Minha Amante, os dois do sueco Stig Björkman, sobre a vida e obra do cineasta Ingmar Bergman.

Competição

Para valorizar a produção nacional, os organizadores investiram na premiação deste ano. Em sua quinta edição, sete longas entram na Mostra Competitiva Brasileira de Longas e Médias-Metragens disputando o prêmio de R$ 110 mil - um aumento de 10% em relação a 2010. A Competição de Curtas recebe nove indicações, sendo que um deles leva para casa R$ 10 mil, um acréscimo de 67% em comparação ao ano passado. É a maior premiação já realizada para documentários nacionais. Na competição internacional de longas e médias-metragens, 12 documentários dão o tom ao evento, entre eles, títulos premiados em Amsterdã, Berlim, Leipzig, Lisboa e Veneza.


O Gosto Amargo da Liberdade é um íntimo retrato da jornalista russa que cobriu os massacres da Chechênia

Além dos festivais competitivos, a mostra está recheada com uma grade especial. A Retrospectiva Internacional exibe nove filmes da russa Marina Goldovskaya na celebração do seu 70º aniversário. Junto também acontece a pré-estreia mundial de sua mais recente obra, O Gosto Amargo da Liberdade, um retrato intimista da jornalista Anna Politkovskaya, que cobriu o massacre da Chechênia no começo da década de 90. Anna foi misteriosamente assassinada em 2006.

A Retrospectiva Brasileira deste ano leva o título Poesia É Verdade e conta com quinze documentários filmados entre 1948 e 2007, cujo objetivo é examinar como o país celebra a vida e obra de grandes poetas brasileiros. "Acho muito importante esse trabalho que vai além de mostrar as novas safras brasileira e internacional. As retrospectivas e os debates cumprem um papel de formação de público e ampliar os horizontes do espectador brasileiros", aponta Amir Labaki.

Panorama Brasileiro

Já nos Programas Especiais, entre os nove filmes, três brasileiros dão o tom: o inédito Os Cavalos de Goethe, de Arthur Omar, além da pré-estreia do curta inédito Santoscópio = Dumontagem e do longa Santos Dumont: Pré-Cineasta?, de Carlos Adriano. Argentina, Chile, Colômbia, Equador, México e Uruguai sãos os países representados neste ano no Foco Latino-Americano, que reúne cinco produções.


Os Cavalos de Goethe é um documentário experimental filmado no Afeganistão que registra e reelabora imagens de homens e cavalos envolvidos numa espécie de jogo de guerra

Na seção informativa O Estado das Coisas, quatro produções brasileiras inéditas figuram a lista de dez títulos: As Batidas do Samba, de Bebeto Abrantes (RJ); Futebol de Várzea, do estreante Marc Dourdin (SP); São Miguel do Gostoso, de Eugênio Puppo (SP); e Seu Cavaco, Dom Bandolim e o Choro de Mestre Duduta na Rainha da Borborema, de Riccardo Migliore e Thaise Carvalho (PB).

Além do festival, a organização do festival promove em São Paulo a 11ª Conferência Internacional do Documentário, com o tema A Entrevista no Documentário. No evento, pesquisadores e cineastas do mundo inteiro estarão reunidos entre 7 e 9 de abril, na Cinemateca Brasileira, para avaliar os usos dessa ferramenta ao cinema não-ficcional. A programação completa do evento está disponível no site oficial.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Confira os melhores momentos da passagem de Hugh Jackman pelo Brasil

“Silêncio”: 3 motivos para ver o novo filme de Scorsese (e 3 para pensar duas vezes)

Longa traz Andrew Garfield e Adam Driver como padres jesuítas

Playarte Splendor inaugura novo cardápio para ser degustado no cinema

Praticidade é o foco dos novos petiscos da Sala Vip

Cinema nacional tem crescimento expressivo em 2016

Filmes brasileiros atraíram 30,4 milhões de espectadores no último ano

"La La Land" ganha vídeo em versão 8-Bit e você precisa assistir!

Com 14 indicações, musical é a grande apostar do Oscar 2017

Filmes com mulheres protagonistas em Hollywood bate recorde em 2016

Estudo mostra que 29% dos filmes com maiores bilheterias foram estrelados por mulheres