Guia da Semana

Retratos da vida

Selton Mello interpreta o brasileiro Jean Charles, morto ao ser confundido com um terrorista no metrô de Londres

Foto: Divulgação/ Imagem Filmes

Selton Mello vive o brasileiro Jean Charles de Menezes, morto em 2005 no metrô de Londres

Depois de uma série de atentados que assolaram Londres em 2005, a polícia se encontrava com os nervos à flor da pele, pronta para atirar no primeiro suspeito que aparecesse no meio do caminho. E foi isso o que aconteceu. No dia 22 de julho, o brasileiro Jean Charles de Menezes, natural de Gonzaga (MG), foi assassinado por agentes do serviço secreto de Londres na estação do metrô de Stockwell, ao ser confundido com um terrorista. A história que rodou o mundo e chamou a atenção de milhares de pessoas, atraiu uma em especial, o diretor de cinema Henrique Goldman.

O projeto

Henrique Goldman, radicado na Inglaterra desde 1991, ficou motivado a mostrar a vida desse brasileiro, um entre os mais de 200 mil no Reino Unido que buscam novas oportunidades. "O filme é baseado em fatos reais, porém é muito ficcionalizado. Nesse espírito, espero mostrar quem era Jean Charles, onde ele viveu. Eu acho nosso filme 100% real. Para contar a realidade, no seu jeito mais conciso e poderoso, nós tivemos que reinventá-la", explica o diretor, que completa: "Espero que esse filme ajude a fazer com que os policiais envolvidos paguem pelo que aconteceu."

Foto: Divulgação/ Imagem Filmes

Selton Mello com os atores Vanessa Giacomo, Luis Miranda e Patricia Armani, prima de Jean

Um mês depois da morte de Jean, Henrique apresentou às TVs britânicas o projeto de um documentário sobre o brasileiro, mas não houve interesse. Oito meses depois, recebeu um e-mail do cineasta Fernando Meirelles, onde ele dizia que tinha sido convidado pela BBC para dirigir um filme sobre Jean. Impossibilitado de participar do projeto, Fernando recomendou-o para o cargo.

As idéias, porém, eram incompatíveis. Para a BBC interessava mais o lado policial do caso, enquanto para Henrique importava mostrar o lado de Jean Charles e da comunidade brasileira em Londres. Por conta disso, o projeto foi engavetado e o diretor seguiu em busca de outros parceiros. Foi quando conseguiu o apoio da Mango Films, fazendo, assim, a primeira co-produção cinematográfica Brasil e Inglaterra.

Um entre tantos...

Foto: Divulgação/ Imagem Filmes

Jean Charles trabalhava como eletricista na capital inglesa

O filme, que acaba de estrear nos cinemas de todo o Brasil, mostra os últimos meses da vida de Jean Charles, desde a chegada a Londres de sua prima Vivian (Vanessa Giacomo), que vai morar com ele e os primos na capital Inglesa. No papel do protagonista, um dos melhores atores da atualidade no país: Selton Mello. "Eu sabia o que todo mundo sabe sobre o Jean, que era um cara que entrou no metrô e tomou sete ou oito tiros na nuca. E ele não era o cara que as pessoas estavam esperando que ele fosse. Mataram o cara errado. A forma como Henrique queria contar a história foi o que eu achei interessante e fiquei curioso de saber como ele era realmente. Como ele vivia? Quem eram seus amigos? Sua família? E é isso que o filme vai responder", diz o ator.

Para compor o personagem, Selton contou com a ajuda dos primos que moravam com Jean em Londres. "Não tive acesso a imagens dele em movimento. Só pude ver fotos e ouvir histórias. Mas, para mim, foi como um retorno. Nasci em Passos, Minas Gerais, cresci em São Paulo. E a maneira como ele se admira com Londres me é familiar. Tem algum caipirismo em comum entre intérprete e personagem", destaca.

A família de Jean teve participação fundamental na produção, e estavam dispostos a dar informações e conversar com a equipe do longa. Alguns, inclusive, participaram das filmagens, como Patrícia que vive ela mesma no filme.

Lágrimas e sorrisos

Apesar do roteiro tratar de um drama, existem muito pontos cômicos durante os 90 minutos de exibição do filme. Grande parte fica por conta de Luís Miranda, que interpreta Alex, primo de Jean. "O Alex é um cara único, divertido, brincalhão e moleque. E que briga, luta muito para que o que aconteceu com Jean não aconteça com outras pessoas. Um cara que briga por justiça e pelos direitos sociais", conta Luís.

Selton também tem uma explicação para a parte cômica da película. "O Jean também era um cara muito brincalhão, assim como o seu primo. Era para cima, a força principal da casa em que morava com os primos. Estamos aqui para mostrar a vida e não a morte. É um filme de brasileiros que sonham, erram, batem cabeça e, acima de tudo, têm saudades", finaliza emocionado.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Ator de “Power Rangers” faz homenagem à Chapecoense durante a CCXP 2016

Elenco do filme participa da terceira edição da feira de cultura pop em São Paulo

Veja os melhores cosplays da Comic Con Experience 2016 (CCXP)

Evento acontece no São Paulo Expo entre 1 e 4 de dezembro

CCXP 2016 surpreende com vídeos exclusivos no segundo dia de evento

Cena de novo “Homem-Aranha” e trailer de “Planeta dos Macacos: A Guerra” foram destaques na sexta-feira

"Jumanji" tem estreia no Brasil adiada para 2018

Anúncio foi feito pela Sony durante a CCXP

Assista à entrevista exclusiva com Fiuk e Sandy sobre a animação "Sing - Quem Canta Seus Males Espanta"

Filme estreia no dia 22 de dezembro nos cinemas

"A Múmia": Remake com Tom Cruise ganha teaser e pôster

Estreia está agendada para junho de 2017