Guia da Semana

Roland Emmerich - diretor, produtor e roteirista

Roland Emmerich fala sobre sua carreira, estilo visual e trabalhos realizados no cinema

Los Angeles


Roland Emmerich gosta de contar histórias que vão de alienígenas à independência norte-americana. Entenda um pouco melhor como funciona a mente de um dos maiores nomes do "cinema pipoca", em uma entrevista exclusiva ao correspondente do Guia da Semana, onde o simpático diretor alemão fala sobre trabalhos como Stargate e 10.000 a.C., explicando como gosta de fazer seus filmes.

Você gosta de discutir seus filmes com jornalistas e amigos?
Roland Emmerich:
Para ser honesto, não sou uma pessoa muito pública e não gosto de falar sobre meus filmes. Adoro fazê-los, mas ficar falando é horrível. Ficaria horas falando sobre cinema, contanto que de filmes dos outros. (risos).

Seus filmes são sempre grandiosos, não há simplicidade. Por quê?
Roland Emmerich:
Acabou se tornando meu estilo, é como gosto de pensar. Toda vez que penso num filme, surgem imagens grandiosas e fantásticas. É bem automático. Prefiro visualizar uma espaçonave gigante pairando sobre a cidade e, daí para frente, trabalhar no roteiro que conta como as pessoas vão reagir a isso. Faço o que gosto e, às vezes, preciso me convencer. O que é bem divertido.

E para convencer os outros? Especialmente roteiristas e atores...
Roland Emmerich:
É muito difícil convencer as pessoas de uma idéia até que elas vejam o que vislumbrei. Sou muito visual e muita gente acha que isso só significa gostar de imagens complexas. Na verdade, é como se eu imaginasse tudo em desenhos, em vez de roteiros ou linhas de diálogo. Às vezes, vejo alguns filmes inteiros na minha mente antes de conversar com alguém a respeito.

De onde vem essa fixação pelo Egito?
Roland Emmerich:
Usei elementos de Stargate em 10.000 a.C.. Não tinha dinheiro naquela época e precisei improvisar demais. Mas quando fiz 10.000 a.C., tudo estava diferente e pude ousar mais visualmente. Ter dinheiro nessa hora ajuda muito.

Outro tema bastante recorrente são os heróis e ações capazes de derrubar deuses e inimigos virtualmente invulneráveis. Qual a raiz dessa idéia?
Roland Emmerich:
É um tema que faz parte da minha vida, mas não há uma agenda pessoal ou coisa do tipo. São conceitos em que acredito e que migram para os filmes. Hitchcock gostava de loiras. Eu gosto de brincar com essa idéia. Gosto de pensar em heróis que promovem a unidade das pessoas. Infelizmente, nosso mundo tem pouquíssimas pessoas capazes de fazer isso de forma positiva.

Sua predileção por piadas segue a mesma linha?
Roland Emmerich:
Gosto de ver meus personagens se divertirem. Para gostar realmente de um personagem, o público precisa rir com ele em algum momento. Sem forçar a barra. Isso gera identificação e é algo que sempre procuro inserir.

Leia as matérias anteriores do nosso correspondente:

  • Mark Wahlberg: múltiplos talentos

  • John Moore: desbocado e comprometido com o entretenimento.

  • Corey Feldman: direto dos filmes dos anos 80, ator volta em Garotos Perdidos 2


    Quem é o colunista: Fábio M. Barreto adora escrever, não dispensa uma noitada na frente do vídeo game e é apaixonado pela filha, Ariel. Entre suas esquisitices prediletas está o fanatismo por Guerra nas Estrelas e uma medalha de ouro como Campeão Paulista Universitário de Arco e Flecha.

    O que faz: Jornalista profissional há 12 anos, correspondente internacional em Los Angeles, crítico de cinema e vivendo o grande sonho de cobrir o mundo do entretenimento em Hollywood.

    Pecado gastronômico: Morango com Creme de Leite! Diretamente do Olimpo!

    Melhor lugar do Brasil: There´s no place like home. Onde quer que seja, nosso lar é sempre o melhor lugar.


  • Atualizado em 6 Set 2011.

    Compartilhe

    Comentários

    Outras notícias recomendadas

    Ator de “Power Rangers” faz homenagem à Chapecoense durante a CCXP 2016

    Elenco do filme participa da terceira edição da feira de cultura pop em São Paulo

    Veja os melhores cosplays da Comic Con Experience 2016 (CCXP)

    Evento acontece no São Paulo Expo entre 1 e 4 de dezembro

    CCXP 2016 surpreende com vídeos exclusivos no segundo dia de evento

    Cena de novo “Homem-Aranha” e trailer de “Planeta dos Macacos: A Guerra” foram destaques na sexta-feira

    "Jumanji" tem estreia no Brasil adiada para 2018

    Anúncio foi feito pela Sony durante a CCXP

    Assista à entrevista exclusiva com Fiuk e Sandy sobre a animação "Sing - Quem Canta Seus Males Espanta"

    Filme estreia no dia 22 de dezembro nos cinemas

    "A Múmia": Remake com Tom Cruise ganha teaser e pôster

    Estreia está agendada para junho de 2017