Guia da Semana

Sem limite de idade

Em alta no mercado cinematográfico, as animações conquistam atualmente uma grande parcela de adultos e adapta seus roteiros com histórias intrigantes e divertidas

Fotos: Imdb.com

Up venceu duas das quatro indicações que teve no Oscar desse ano

Ir ao cinema pode ser um evento isolado em meio a uma rotina agitada ou até um programa para entreter a família no fim de semana. Independente da finalidade do programa, a vasta opção de escolha nas telonas faz você ficar em dúvida na hora de escolher a qual longa irá dedicar algumas horas de sua atenção. E nos últimos anos, um gênero vem ganhando destaque entre os adultos: as animações. Presente em muitas salas espalhadas pelo mundo, às películas animadas, em muitos casos dedicadas às crianças, têm ganhado um público de marmanjos cada vez mais cativo.

Para se ter uma proporção do sucesso que o gênero conquistou, Up - Altas Aventuras produzido pelo estúdios Pixar, figurou entre os dez melhores filmes concorrentes ao Oscar e marcou território em mais três categorias: Melhor roteiro original e - as que faturou - animação e trilha sonora. Agora com a onda do 3-D, alguns títulos antigos, como é o caso de Toy Story 1 e 2, voltam às salas antecedendo o lançamento do terceiro episódio que chega junto com outra coqueluche, Shrek para Sempre. Ambos previstos para julho.

Como surgiu

A história do filme de animação começa com os primeiros momentos do cinema mudo e continua até os dias de hoje. Registros apontam que o pioneiro do gênero foi realizado pelo francês Émile Reynaud, que criou o praxinoscópio - sistema de animação de doze imagens e filmes de aproximadamente 500 a 600 figuras, projetado em um sistema próximo ao que é hoje o projetor de filme, isso em meados de 1892. Já o primeiro desenho animado exibido em um projetor de filmes moderno foi Fantasmagorie, feito pelo diretor francês Émile Courtet. Projetado pela primeira vez em Paris no ano de 1908, levou Courtet em 1912 para Fort Lee, em Nova York, onde trabalhou para o estúdio francês Éclair e espalhou sua técnica pelos Estados Unidos.

Trabalho em equipe
 
Quando um espectador senta diante das telonas, muitas vezes, nem imagina o trabalho por trás daquela história. A construção do filme é um trabalho intensivo para os produtores. Refere-se ao processo segundo o qual cada fotograma de um filme é produzido individualmente. Elas podem ser geradas em forma de computação gráfica, fotografando uma imagem desenhada repetidamente. Assim, são feitas pequenas mudanças a um modelo e fotografa-se o resultado final. Quando ligados entre si, os fotogramas e o filme resultantes são vistos a uma velocidade de 16 ou mais imagens por segundo. Isso gera uma ilusão de movimento contínuo e finalmente vê-se a imagem final na telona. 


A Era do Gelo é uma das animações mais vistas em todo o mundo

Mercado promissor

É possível notar que por trás das animações, na maioria das vencedoras da estatueta, além dos efeitos visuais há um apelo no enredo. As histórias trazem cada vez mais temas complexos e isso é um dos fatores que faz com que não somente os pequenos, mas também muitos marmanjos se afeiçoem aos personagens. "A grande popularidade destes filmes, tanto em adultos como em crianças, está mais no roteiro do que propriamente no visual. Os estúdios dão uma atenção e cuidado ao roteiro tanto quanto a estética do longa. Em alguns casos, o enredo é tão rico que geralmente possuem duas histórias simultâneas. Uma que pode ser entendida pelo adulto por conter conflitos e diálogos mais elaborados e aquela mais simples e lúdica para a criança", afirma Bruno Nunes, músico e designer fanático por animações.

Grande parte das animações de grande repercussão em Hollywood são da Pixar, seguidas da Dreamworks e Blue Sky Studios, responsável por títulos como a trilogia de A Era do Gelo, onde o brasileiro Carlos Saldanha é um dos diretores. Segundo o crítico de cinema Christian Petermann, as animações, em geral em computação gráfica, se esforçam de forma exemplar para agradar com boas tramas, diálogos e humor, em imagens multicoloridas e ritmo ágil. "Títulos da Pixar, em especial Wall-E, Procurando Nemo e Ratatouille são obras excelentes. Fazendo muitas referências pop, se comunicam com o espectador mais velho e informado, sem entendiar os mais novos e leigos".

Lúdico

Algumas obras seguem um estilo diferenciado das demais que bombam nas telonas. Um exemplo é o longa Onde Vivem os Montros, lançado esse ano. O longa não se trata de uma animação, mas reflete bem o cenário atual que as histórias infantis vêm passando. A obra literária que o filme se inspira é infanto-juvenil. Sua censura é livre e pode ser visto por crianças acima de 10 anos, mas o diretor Spike Jonze realizou um filme para a criança que sobrevive nos adultos. "O filme tem um ritmo, uma densidade e uma personalidade audiovisual que não seduzem muito os pequenos, mas sim os grandes com alma juvenil", comenta Christian Petermann.


Onde Vivem os Monstros junta o lúdico com uma história intrigante

Tendência ou não, as animações e filmes com temática infantil lotam as salas de cinema e torna-se um mercado cada vez mais atraente aos olhos das grandes produtoras. Seja entre os adultos ou crianças, os personagens não somente fazem sucesso nas telonas, como também com produtos e acessórios que saltam aos olhos de espectadores. "Não acredito que seja uma tendência. O que poderia ser apontado como tendência são os "crossovers" que existem hoje no cinema: comédias que também são dramas, "dramédias", documentários com elementos de ficção, "docudramas", obras infantis com alcance adulto e vice versa", afirma Christian Petermann.

Já o designer Bruno Nunes, acredita que o gênero é uma forte tendência para os próximos anos. "Quem imaginaria que um longa de animação que buscou referências em filmes mudos para montar o seu roteiro, como foi em Wall-E, e quase não possui falas, poderia ser sucesso de bilheteria? O mercado americano "consome" muito mais deste tipo de cinema. A quantidade de lançamentos de filmes de animação nas salas de lá chegam a ser cinco vezes maior que no Brasil", enumera.

 Animações que levaram o Oscar
2002 - Shrek - DreamWorks
2003 - A Viagem de Chihiro - Studio Ghibli
2004 - Procurando Nemo - Disney - Pixar
2005 - Os Incríveis - Disney - Pixar
2006 - Wallace & Gromit: A Batalha dos Vegetais - Aardman Animations & DreamWorks
2007 - Happy Feet: O Pingüim - Village Roadshow Pictures & Warner Bros. Pictures
2008 - Ratatouille - Disney - Pixar
2009 - Wall-E - Disney - Pixar
2010 - Up - Disney - Pixar

Atualizado em 10 Abr 2012.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Ator de “Power Rangers” faz homenagem à Chapecoense durante a CCXP 2016

Elenco do filme participa da terceira edição da feira de cultura pop em São Paulo

Veja os melhores cosplays da Comic Con Experience 2016 (CCXP)

Evento acontece no São Paulo Expo entre 1 e 4 de dezembro

CCXP 2016 surpreende com vídeos exclusivos no segundo dia de evento

Cena de novo “Homem-Aranha” e trailer de “Planeta dos Macacos: A Guerra” foram destaques na sexta-feira

"Jumanji" tem estreia no Brasil adiada para 2018

Anúncio foi feito pela Sony durante a CCXP

Assista à entrevista exclusiva com Fiuk e Sandy sobre a animação "Sing - Quem Canta Seus Males Espanta"

Filme estreia no dia 22 de dezembro nos cinemas

"A Múmia": Remake com Tom Cruise ganha teaser e pôster

Estreia está agendada para junho de 2017