Guia da Semana

Sonhar é para os jovens?



Os Sonhadores vivem o sonho de muita gente. O sonho romântico que deve ter sido fazer parte da Paris dos anos 60, a cidade do cinema de autor, das discussões filosóficas nos cafés esfumaçados, dos estudantes nas ruas, engajados em suas causas. E, como bons franceses que são, os gêmeos Isabelle (Eva Green) e Theo (Louis Garrel) parecem não se dar conta de quão invejadas suas vidas são; ou então, como todo estereótipo de francês pinta, eles sabem que são sortudos e por isso fazem pouco caso.

O mais recente filme de Bernardo Bertolucci (lançado em 2003) recupera a mentalidade dos jovens que fizeram dos anos 60 a década das revoluções e das utopias de um mundo que parecia possível: mais igualdade, mais democracia, mais arte para todos. Hoje sabemos que essas pretensões teóricas não se concretizaram da maneira como aqueles jovens gostariam; o sistema capitalista tomou conta de nossas vidas de maneira esmagadora, e quem não prioriza o trabalho e o dinheiro no nosso século XXI sabe que as coisas não serão fáceis. Mas, há 40 anos, essa realidade extremamente competitiva e "globalizada" não importava, porque não era considerada.

É através dos olhos de um jovem norte-americano, Matthew (Michael Pitt), que adentramos a casa e as mentes dos gêmeos franceses. Bertolucci dá um exemplo digno de interesse ao retratar um cidadão dos Estados Unidos que não é tratado como idiota: Michael questiona as extravagâncias dos irmãos, sejam sexuais, sejam familiares, sejam políticas. Após descobrir que Isa e Theo dormem juntos na mesma cama, pelados, ou mesmo que ambos passam diversos momentos submetendo um ao outro a provas e testes sobre cinema, onde quem perde tem que pagar de forma íntima e desconcertante, Michael começa a duvidar do hipotético engajamento de Theo na tal revolução que começava a tomar as ruas. Que pessoa é essa, que fica dentro de casa bebendo vinhos caros pegos da adega do pai e discutindo cinema, que apóia universitários em passeata, enfrentando policiais, mas apenas os observa da janela de seu belo apartamento?

Enfim, os trechos de filmes de Godard e outros diretores franceses inseridos em Os Sonhadores, entre as falas dos três amigos, não deixam de ser algumas das partes mais emocionantes do filme. E temos a bela Paris, o Louvre e a Cinemateca, o apartamento de Isa e Theo, tipicamente francês (isto é, antigo, um pouco bagunçado, precisando de uma reforma, mas totalmente charmoso), os corpos nus, a trilha sonora (que passa por Jimi Hendrix, Grateful Dead, Janis Joplin, The Doors e Edith Piaf, entre outras pérolas), tudo ajuda a fazer dessa película uma grande colagem de ótimos temas, frases, canções, tomadas, mascarando uma obra não tão boa a princípio. E digo que vale a pena ver, apesar disso.

Os Sonhadores (The Dreamers - 2003, Itália/Inglaterra/França/EUA), de Bernardo Bertolucci, com Michael Pitt, Eva Green e Louis Garrel, 115 minutos.

Fotos: Divulgação/Fox Searchlight

Quem é o colunista: Fabio Rigobelo, 25 anos, vive em São Paulo há 8 anos e é consumidor ardoroso de música e cinema.

O que faz: é jornalista.

Pecado gastronômico: coxinha.

Melhor lugar do Brasil: São Paulo nos feriados.

Fale com ele: fabiorigobelo@hotmail.com

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

“Logan” e “A Bela e A Fera” são os filmes mais vistos nos cinemas em 2017; confira os números

Veja o balanço completo das bilheterias mundiais em 2017

15 Filmes que dão uma aula sobre preconceito racial

Títulos como “Moonlight” e “Estrelas Além do Tempo” têm colocado o tema no centro das atenções

Marvel Studios divulga pôsteres incríveis de "Guardiões Galáxia Vol 2"

Filme estreia nos EUA em 27 de abril

10 Filmes que você vai querer ver nos cinemas em abril

"Joaquim" e "Guardiões da Galáxia Vol. 2" estão entre os destaques do mês

Pennywise está assustador em nova foto de "It: Uma Obra-Prima do Medo"

Adaptação do livro de Stephen King estreia em setembro

Aquaman rouba a cena em novo teaser de "Liga da Justiça"; assista

Filme estreia no dia 16 de novembro