Guia da Semana

Trovão Tropical: Risadas constantes e piadas fortes ao longo do dia!

Polêmico ou não, Trovão Tropical é acerto de Ben Stiller

De Los Angeles


A primeira coisa que chamou a atenção do público para o filme Trovão Tropical (Tropic Thunder) foi a escalação de seu elenco. Ben Stiller, Jack Black e Robert Downey Jr., vivendo um personagem negro. Negro? Essa foi a pergunta que muita gente fez na vida real e também no roteiro, já que em ambos os "mundos" o ator é branco. Devidamente inserido no radar cinematográfico do ano, Ben Stiller pôde dirigir seu projeto de longa data e acabar com alguns exageros da classe artística, afinal de contas, Trovão Tropical é um filme sobre atores, que satirizam atores e não têm vergonha de esconder as bobagens da profissão.

Ben Stiller tem o conceito para Trovão Tropical há 20 anos. Naquela época, os filmes sobre o Vietnã estavam em alta, muita gente falava em produções de guerra e "todo ator que se preze" passava um tempo nos boot camps - onde os recrutas são treinados na vida real. Como tudo era de mentirinha e os atores se diziam tão transformados pela experiência, Stiller decidiu sacanear a coisa toda. E é aí que Trovão Tropical começa sua trajetória. Um veterano do Vietnã escreveu um livro, que será adaptado por alguns superastros do momento. Mas tudo é exageradamente falso e improvável, então, alguém tem a feliz idéia de enviar o grupo para o meio da selva. E, claro, tudo dá errado e o festival de besteiras - que já aumentava em progressão geométrica - dá um salto para a velocidade da luz.

Stiller é uma mistura de Schwarzenegger e Stallone, um herói de ação decadente e execrado pela classe depois de criar um deficiente mental em uma de suas tentativas dramáticas. Ele não faz idéia do que é uma boa atuação e não dá uma dentro. Do outro lado, porém, está Kirk Lazarus, vivido por Robert Downey Jr., um vencedor do Oscar e famoso por ser um "ator de método", que enfrenta imersão pesada e qualquer outra necessidade apresentada por seus personagens. Uma espécie de Daniel Day-Lewis às avessas. Desta vez, ele decide pigmentar sua pele para ficar negro. Jack Black está ali, mas é descartável, não embala nas piadas e, assim como seu personagem - um tipo de Eddie Murphy extremamente decadente -, precisa de direcionamento, que não encontra.

Conceitualmente, Trovão Tropical é uma reedição de Os Três Amigos, clássico com Steve Martin, Martin Short e Chevy Chase. Atores confrontam situações reais e descobrem que algumas de suas habilidades são úteis no mundo cão, porém, não deixam de ser atores. No caso do novo filme, existe uma crítica cáustica à classe artística. Ninguém escapa. O agente disposto a tudo pelo seu cliente, o ator-estrela que pára o filme na hora que bem entende para deliberar sobre sua interpretação e, claro, o executivo inescrupuloso e nojento do estúdio. Este último, aliás, ficou a cargo de Tom Cruise, que surge como a maior surpresa do filme.

Doido, gordo, insano, peludo e completamente imprevisível, o personagem de Cruise serve até mesmo como autocrítica a seus repentes de maluquice em talk shows norte-americanos. Toda a idéia foi dele, desde o visual até a obstinação do sujeito por energéticos e danças esquisitas. É um pequeno show à parte dentro da seqüência de esquetes dirigidos por Ben Stiller.

Fazendo literalmente o que bem entende em 2008, Robert Downey Jr. atrai todas as atenções. Além de estar negro, ele incorporou as gírias e a pronúncia exagerada digna de um morador do centro de Los Angeles de maneira tão ostensiva, que pouco sobrou da imagem de ex-drogado ou do sujeito que deu vida a Tony Stark, em Homem de Ferro. A presença de um ator genuinamente negro no elenco, Brandon T. Jackson, faz com que a crítica fuja à mera questão racial, pois, efetivamente, Trovão Tropical aponta o dedo na cara das posturas radicais e, como comédia de ofício, tira sarro de exageros e estereótipos. Claro que a polêmica aconteceu mesmo assim.

O que ninguém esperava, porém, é que grupos ligados a deficientes mentais também se mobilizassem contra o filme. Um dos personagens de Tugg Speedman (Stiller) é um deficiente aos moldes de Leonardo DiCaprio em Gilbert Grape - Aprendiz de Sonhador e Sean Penn em Uma Lição de Amor. É estereótipo para dar e vender, mas, é preciso sair em defesa do longa, que foca em seus realizadores não nos grupos em questão.

Trovão Tropical estreou em primeiro lugar nas bilheterias norte-americanas e teve uma ótima segunda semana, o que prova que o pedido de boicote saiu pela culatra e todo mundo quer saber que diabos acontece com esse bando de estrelas metidos na selva, cercados por traficantes de drogas e, de quebra, ainda foram abandonados por seu estúdio. É uma bobagem divertida, tem ótimos momentos e mostrou grande química entre Stiller e Downey Jr. A direção de Stiller agrada e conseguiu captar a essência do que precisava ser escrachado. Só não é melhor por conta de Jack Black, que não disse a que veio e falhou solenemente num gênero em que deveria dar um nó nos "sérios" Stiller e Downey Jr. Feel the Thunder!


Quem é o colunista: Fábio M. Barreto adora escrever, não dispensa uma noitada na frente do vídeo game e é apaixonado pela filha, Ariel. Entre suas esquisitices prediletas está o fanatismo por Guerra nas Estrelas e uma medalha de ouro como Campeão Paulista Universitário de Arco e Flecha.

O que faz: Jornalista profissional há 12 anos, correspondente internacional em Los Angeles, crítico de cinema e vivendo o grande sonho de cobrir o mundo do entretenimento em Hollywood.

Pecado gastronômico: Morango com Creme de Leite! Diretamente do Olimpo!

Melhor lugar do Brasil: There´s no place like home. Onde quer que seja, nosso lar é sempre o melhor lugar.

Atualizado em 10 Abr 2012.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

17 filmes para assistir no NOW durante o feriado de Carnaval

De terror a animação, confira filmes que vão te entreter nesse feriado

Logan: "filme definitivo" do Wolverine chega aos cinemas

Longa marca a despedida de Hugh Jackman do personagem que viveu por 17 anos

Um Limite Entre Nós: filme indicado ao Oscar chega ao Brasil em cima da hora

Longa traz Denzel Washington e Viola Davis em atuações singulares

13 filmes indicados ao Oscar que você pode assistir em casa agora mesmo

Do premiado “A Chegada” ao emocionante “Fogo no Mar”, veja quais são os filmes do Oscar para assistir no NOW

Confira os melhores momentos da passagem de Hugh Jackman pelo Brasil

“Silêncio”: 3 motivos para ver o novo filme de Scorsese (e 3 para pensar duas vezes)

Longa traz Andrew Garfield e Adam Driver como padres jesuítas