Guia da Semana

A bluma

Nada mais aterrador do que andar por um lugar desconhecido, escuro e ainda ser surpreendido por uma pessoa misteriosa

Foto: Getty Images


Isis caminhava por ruas tortas e estreitas, sua cabeça girava, os olhos voavam em todas as direções da rua, procurando um ponto de referência conhecido, alguém conhecido.
Compreender.

Compreensão era o que ela precisava naquele instante. Estava perdida, sem direção, desnorteada. Nunca havia visto aquele chão formado por pedras irregulares, cinzentas e manchadas, e de algum material viscoso preto. O céu estava nublado, completamente.

Nem um raio de sol parecia se esforçar a atravessar o espesso bloco de concreto que cobria a cidade cinzenta. Olhando em volta, nenhum sinal de vida humana, a cidade era desértica. Dos lados, os edifícios e casas pareciam ameaçadores ao quererem deixá-la abafada, sufocada. Era como se os prédios parecessem querer tombar para cima de si a cada passo, a cada busca cansativa por simples oxigênio que cada vez mais parecia difícil de achar naquela situação.

Fechou os olhos e abraçou os próprios braços descobertos, estava gelada, sua boca tremia ao tentar respirar. Precisava entrar em algum lugar, esconder-se, foi o que lhe veio como um baque na cabeça. Tentou com todas as forças correr até os edifícios e tentar entrar neles, bateu nas portas e tentou forçar sua entrada, porém era inútil, tudo estava trancado. A cada passo, parecia que suas pernas ficavam mais e mais cansadas.

Parou no meio de uma rua, exausta, apoiando as mãos nos joelhos cansados e arfando. Foi quando levantou a cabeça e se deparou com uma mulher, olhando-a diretamente nos olhos, a menos de dois dedos de distância dela. Isis, assustada, por intuição, deu alguns passos para trás, o coração tamborilando rapidamente no peito, parecia querer quebrar sua caixa torácica.

- Com medo, Isis? - Perguntou a mulher pálida de cabelos longos e brancos esvoaçantes, embora ali não tivesse sinal nenhum de vento.

- Quem é você? - Indagou Isis na defensiva.

- Será que importa realmente quem eu sou? - Devolveu a mulher a pergunta, que não obteve resposta qualquer.

Sempre que alguém a intimidava, Isis agia assim, na defensiva. Não falava nada. Os braços cruzados em frente ao peito e os calcanhares cruzados já diziam tudo.

- De que adiantaria fugir, Isis?, perguntou a mulher de forma intimidadora, parecendo perfurá-la com aqueles olhos verde-escuros. - Olhe em volta, é uma cidade desértica, não há mais ninguém aqui, apenas você.

Apenas eu e você, Isis pensou em dizer.

Quem é a colunista: Adolescente, estudante, autora do livro as Bruxas de Westfield e bookaholic assumida.

O que faz: Escrevo contos e livros quando não estou estudando para as provas do terceiro colegial.

Pecado gastronômico: Chocolate, de preferência, meio amargo.

Melhor lugar do mundo: Praia.

O que está ouvindo no carro, rádio, mp3: Switchfoot, Katy Perry, The Kooks, Oasis e Capital Inicial.

Fale com ela: contato@gabrieladiehl.com.br, ou siga seu Twitter, site e Facebook.
 

 


 

 

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte