Guia da Semana

Água para brincar

No verão, atividades aquáticas refrescam, entretêm e ensinam. Saiba como elas podem ajudar no desenvolvimento do seu filho

Fotos: Getty Images


"Banhinho é bom, banhinho é bom, banhinho é muito bom". A famosa música do Castelo Rá-Tim-Bum estimula e ensina as crianças a tomar banho e ajuda a tornar o momento mais divertido. E faz bem: essa hora não é só obrigação e uma questão de higiene diária, é também momento de aprendizado e entretenimento.

Enquanto os pais driblam os pequenos com brinquedos, mordedores e músicas divertidas, os bebês e as crianças aprendem - e muito - com tudo o que lhes é apresentado. E todos os sentidos participam da brincadeira, principalmente a visão e o tato.

Por isso, nada melhor do que aproveitar o verão para esticar o tempo na banheira e levar os pimpolhos à praia e à piscina. Valem também banho de mangueira e com pequenas bacias com água.

"O aprendizado está em todos os lugares. Na água, é possível desenvolver todos os sentidos, até mesmo o paladar, já que não é preciso engolir água para perceber a diferença entre a salgada, a doce e a com sabão. E é nessa hora que os pais devem explicar essas diferenças", diz Katia Silvestre Mastrangelo, pedagoga, psicopedagoga e voluntária do Nani (Núcleo de Atendimento Neuropsicológico Infantil) da Unifesp.


Para todas as idades






Para Luciene Paulino Tognetta, doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano e pesquisadora do Gepem (Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Moral - Unicamp/ Unesp), a água é uma oportunidade de desenvolver a inteligência a partir de novas sensações e da criatividade, que devem ser exploradas conforme a faixa etária.


"De zero a três anos, a aprendizagem é sensório-motora e os pais devem movimentar a criança e os objetos na água e explorar a temperatura, os sons da água, o seco e o molhado. É a fase de mostrar para a criança que a ação dela provoca uma reação, seja de espirrar água, de fazer barulho ou de movimento", explica.


Já para a fase seguinte, a partir dos três anos, é hora de usar e abusar da criatividade e da imaginação dos pequenos. "Nessa faixa, além da parte sensorial, a criança desenvolve o pensamento e a consequente capacidade de encontrar respostas. É momento de representar e associar. Os movimentos da água viram as ondas do mar, a criança vira pirata e o copo com água pode virar uma cachoeira", completa Luciene.

Para fazer da água uma verdadeira aula, não é preciso gastar muito nem comprar brinquedos novos. "Bexigas são ótimas aliadas. A criança pode enchê-las com água e, com isso, perceber que água tem peso e que ocupa lugar. Outra opção é usar rolos e pincéis grandes para pintar muros com água, usando a criatividade e observando o processo de secagem".

Outras boas opções são os livros de plástico - feitos especialmente para a hora do banho - e brinquedos de borracha ou plástico. "Os livros ajudam a trabalhar a imaginação da criança ao ouvir histórias, e os brinquedos podem representar os personagens", completa Katia Mastrangelo.

A pedagoga recomenda ainda os adesivos decorativos para boxes e banheiros, que estimulam a imaginação e tornam o banho ainda mais agradável. "Com eles, a criança pode criar histórias, dar nome a personagens e criar cenários. Já para a praia e a piscina, devem ser estimuladas as brincadeiras em grupos, com bolas, por exemplo".



Benefícios da Água



Vídeo: TV Cultura


Mas, afinal, por que a água atrai tanto os pequenos - e os nem tão pequenos assim? De acordo com Alfredo José Ferreira Neto, fisioterapeuta e especialista em hidroterapia, além de refrescar, a água estimula a liberação de catecolaminas pelo organismo, substâncias responsáveis pela alteração de humor.

"Quando colocamos a criança na água morna, por exemplo, a reação de satisfação é instantânea e podemos notar facilmente o sorriso dela. Na água, há maior liberdade de movimentos, e o corpo todo é trabalhado: coordenação motora, equilíbrio, motricidade global e motricidade fina", explica.

As catecolaminas, que englobam hormônios como a adrenalina, possuem efeitos excitatórios e proporcionam o aumento da atividade psicomotora - tão trabalhada no mundo aquático.

Por todas essas propriedades, as brincadeiras na água estão entre as preferidas pelas crianças. E, se há uma aula da qual elas não costumam fugir, é justamente a de natação. "Durante as aulas, também desenvolvemos a propulsão, que é o deslocamento da criança na água. Percebemos que as que participam das aulas são mais ativas, comunicativas e extrovertidas e compreendem melhor o lúdico", diz Thiago Lopes, professor do Departamento de Natação da academia Competition.

Para você curtir ainda mais as férias de verão com as crianças, o Guia da Semana selecionou 12 brinquedos aquáticos e algumas dicas para garantir a segurança das brincadeiras. Não esqueça de usar a água com consciência e bom divertimento!







Atualizado em 10 Abr 2012.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte