Guia da Semana

Alimentação adequada

Colunista tira dúvidas da alimentação das crianças durante as férias

Foto: Sxc.Hu

Entre as entrevistas que respondi em 2008, algumas são utilizadas na íntegra e outras são aproveitadas para compor uma matéria. Mas as perguntas que me enviam costumam ser ótimas e me permitem passar algumas explicações úteis e simplificadas a respeito do assunto.

Como estamos no período de férias, vou aproveitar para falar um pouco mais sobre a alimentação de nossas crianças. Acompanhem a primeira parte agora., Em fevereiro, publico a segunda.

Com a variedade de comidas prontas, você acredita que fica mais difícil incentivar a criança a fazer uma alimentação saudável?

Dependendo da idade da criança, ela não deve receber comidas prontas como opção na sua alimentação. A criança come o que lhe é oferecido.É importante estabelecer uma rotina alimentar desde cedo, iniciando pelo o aleitamento materno exclusivo até o 6º mês de vida. A partir daí, a introdução de outros tipos de alimento devem seguir uma orientação pediátrica adequada durante as consultas periódicas de puericultura.

Mesmo sendo submetida às tentações alimentares do mundo moderno e apesar de a criança gostar de experimentar, a alimentação saudável segue a rotina da casa, da família e da vida dessa criança.Pode ser difícil, mas é muito necessário. Aqui no Brasil já atingimos índices alarmantes de crianças com doenças de adultos (obesidade, alterações de colesterol, diabetes e hipertensão arterial).Esses alimentos prontos, só para citar um exemplo menos flagrante do que as calorias, possuem um nível elevado de sódio, que é um dos fatores que favorecem o aumento da pressão arterial. Nós adoecemos pela boca e nos curamos pela boca. Simples assim.

Como os pais devem administrar a alimentação dos filhos? Há espaço para uma conversa ou isso deve ser imposto? Por quê?

As individualidades não devem ser agredidas, não se deve forçar a criança a nada. A alimentação deve ser uma rotina tão simples quanto ir ao banheiro, dormir e brincar. Alguns hábitos são fundamentais para uma alimentação saudável, sem relação com o alimento propriamente dito são fazer a refeição à mesa, não comer na frente da TV, não brincar, não enganar e alorizar o momento da refeição.

Outro grande problemas no quesito alimentação é a expectativa dos pais, especialmente na comparação com outras crianças de uma mesma faixa etária. Ainda existe o conceito de que uma criança saudável tem que comer muito, um pouco de tudo e ser mais gordinha. Cuidando da alimentação desde cedo e participando da decisão do cardápio de uma criança, não haverá necessidade de conversar ou impor um cardápio. Ou algum pai impõe a hora e a "obrigatoriedade" de uma criança de evacuar? A questão está em quem supre a casa de alimentos.

Uma criança pode comer de tudo, desde que sejam respeitados horários, quantidades, variedades e capacidade digestiva e de mastigação de cada fase da vida. O importante é o acompanhamento dos pais e do pediatra, analisando, orientando. Experimentar. Esse é um hábito importante a se estimular na criança. "Não experimentei e não gostei?". Muito difícil de aceitar, não é? Conversando, impondo ou apenas comendo. A alimentação dos filhos é responsabilidade de seus pais. Sempre.

Se os pais não se alimentam bem, podem exigir que os filhos se alimentem de maneira correta? Por quê?

Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço. Isso já foi muito usado e é uma ótima "desculpa", mas uma péssima justificativa para os pais. As crianças buscam ser o reflexo de seus pais, imitar seus hábitos, seguir suas manias. Sem a menor sombra de dúvida, é muito mais fácil adequar a alimentação de uma criança se os pais se alimentam de uma forma saudável.

Eu não digo isso para o "saudável chato". É importante que a criança conheça os alimentos e, sempre que possível, que eles sejam apresentados a ela pelos seus pais. Quando encontramos uma criança com sobrepeso, observamos que o seu tratamento é muito mais difícil se a casa e a família não colaborarem. É fundamental que "a casa emagreça". Assim, com todo o grupo trabalhando em conjunto, as chances de sucesso na adequação alimentar dessa criança serão muito maiores.

Leia as colunas anteriores do Dr. Moises Chencinski:

? Do berço para a Cama


? Quem quer brincar põe o dedo aqui


? Como nasceu o Dia das Crianças


Quem é o colunista:Dr. Yechiel Moises Chencinski

O que faz: Médico pediatra e homeopata

Pecado gastronômico: Brownie da padaria Bella Paulista quente com sorvete de creme

Melhor lugar de São Paulo: Qualquer lugar num feriado prolongado (Avenida Paulista, por exemplo)

Fale com o colunista: fale_comigo@doutormoises.com.br

Site: www.doutormoises.com.br


Atualizado em 10 Abr 2012.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte