Guia da Semana

Apelido, todo mundo tem um

Independente de gostar ou não, a maioria das pessoas ganha um ou outro apelido. Alguns adoram e até adotam como "nome". Já outros se sentem pra lá de ofendidos

Foto: Getty Images

Apelido é uma das coisas que nunca sai de moda. Seja para simplificar os nomes mais complicados, homenagear alguém ou ressaltar alguma característica física dos amigos, são adorados e frequentemente usados, principalmente pelos adolescentes.

Gordinhos, baixinhos, altos e magros demais são alguns dos principais alvos dos codinomes, mas a verdade é que quase ninguém escapa. No entanto, na hora de exercitar a criatividade e inventar apelidos para os outros, é preciso ter certeza de que eles não se sentirão ofendidos.

Já pensou se seus amigos resolvessem te chamar de ´boi´, por exemplo? O auxiliar de inspeção de qualidade Thiago Favarin, 21, sabe bem como é essa situação. Afinal, há oito anos ele ganhou o apelido de ´boi´, que até hoje é usado pelos conhecidos.

Thiago conta que na época que fazia capoeira, era mais gordinho que os outros, por isso não conseguia fazer alguns movimentos, como virar mortais. "Um dia, um menino veio curtir com a minha cara e disse que eu era ´pesado que nem um boi´. Depois disso, o apelido pegou e foi se espalhando", diz.

O auxiliar de inspeção diz não gostar muito de ser chamado pelo apelido, porque as pessoas sempre se lembram de outros, como o já conhecido ´chifrudo´. "Sempre vem uma ou outra piadinha depois", conta. Apesar disso, Thiago garante que não tem muitos problemas com o codinome. "Sou espontâneo e divertido, por isso sei lidar com a situação. Mas antes, eu ficava bem bravo", diz.

Foto: Arquivo Pessoal
Thiago não se importa muito com o apelido
Prova de que Thiago realmente não tem problemas com os apelidos constrangedores é que ele também gosta de espalhar alguns por aí. "Apelidei uma menina de ´fiozinho´ porque ela usava umas calcinhas bem pequenas", revela. Thiago conta que a ´fiozinho´ não ficou muito feliz, mas o apelido acabou pegando.

Diferente de Thiago, a estudante de economia Marília Soares, 21, nunca deu apelido para ninguém e costuma chamar as pessoas pelo nome. Mesmo assim, ganhou um codinome pra lá de desagradável. Um colega de turma começou a chamá-la de ´trakinas´ em 2000. "Quando viu o comercial da bolacha Trakinas, que na época todo mundo adorava, ele deve ter me achado parecida", ironiza.

Marília nunca gostou de ser chamada pelo apelido e o "inventor" sabia muito bem. Mesmo assim, ele fez questão de espalhá-lo, gritando ´trakinas´ em todos os cantos possíveis: na escola, pelas ruas e até mesmo na sala de aula. "Quanto mais eu achava ruim, mais era chamada assim. Meu incômodo com o formato do meu rosto já é o bastante, não preciso de um apelido pejorativo para me lembrar dele", diz.

A psicóloga Cristina Godoy diz que a melhor forma de se livrar dos apelidos é tentar ignorá-los. "Os codinomes só têm graça se causam constrangimento. Se o apelidado conseguir se manter indiferente, a ´brincadeira´ deixa de causar o efeito esperado e o apelido pode cair no esquecimento".

No entanto, os apelidos podem deixar de ser brincadeiras inocentes e se tornar um problema mais sério. Segundo a psicóloga, para os mais tímidos e inseguros, situações constrangedoras como essas podem ser traumáticas. "Esse tipo de coisa pode fazer com que o adolescente se retraia, se isole do grupo", explica. Marília, por exemplo, admite que o apelido ´trakinas´ gerou uma certa insegurança. Já Thiago diz que o que realmente incomoda é ficar explicando os porquês do apelido.

Meu apelido, meu nome
Enquanto alguns odeiam ser chamados pelo apelido, outros até preferem que amigos, familiares e conhecidos usem os codinomes. É o caso de Marcelo Ramos, 21. Mais conhecido como Lelo, o estudante de jornalismo ganhou o apelido de uma amiga de sua mãe, assim que nasceu. "Quando ela foi me conhecer, me chamou de Lelo na hora. Depois disso, era só Lelo pra cá, Lelo pra lá", conta.

Foto: Arquivo Pessoal
Lelo gosta de ser chamado pelo apelido
O apelido pegou, tanto é que hoje em dia, para falar do futuro jornalista é melhor esquecer do "Marcelo" e usar o "Lelo" logo de cara. "Se ligar em casa é melhor perguntar por Lelo primeiro. Talvez, eles digam que não tem nenhum Marcelo morando lá", brinca.

Os famosos e os apelidos
Nem todo mundo gosta de apelido, mas mesmo assim, a maioria não escapa ilesa e acaba acumulando um outro codinome. E com as celebridades não é diferente. Confira apelidos e pseudônimos usados por algumas estrelas:

? A família e os amigos mais próximos de Britney Spears chamam a cantora de Brit ou Brit-Brit.

? Durante a adolescência a modelo e apresentadora Fabiana Saba cresceu repentinamente e ganhou o apelido de ´hino nacional´, que é comprido, chato e ninguém canta.

? A cantora do hit Umbrella é conhecida apenas como Rihanna, mas seu verdadeiro nome é Robyn Rihanna Fenty.

? O astro pop Justin Timberlake costuma ser chamado de Shot, Curly (por causa dos cabelos) ou Mr. Smooth

? O nome verdadeiro do galã do High School Musical é Zachary David Alexander Efron, mas, além de Zac Efron, ele atende também pelo apelido Hollywood. Por que será?



Fonte:
Cristina Godoy
Psicóloga
Telefone: (11) 8133 9103

Atualizado em 10 Abr 2012.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte