Guia da Semana

Aprecie, com moderação

A diabete não é mais uma coisa de outro mundo, em especial para os jovens. Saiba como lidar melhor com ela e não passar vontade do que você mais gosta de comer

Fotos: Getty Images

A cultura dos dias de hoje mudou muito e os diabeticos já vivem muito melhor

Ter que se obrigar a ficar sem comer um chocolate, tomar sorvete ou saborear um hambúrguer com os amigos são situações que adolescentes com diabetes, nos dias de hoje, não precisam mais viver. A doença pode, sim, se tornar uma grande inimiga, mas não precisa mais ser encarada como um bicho de sete cabeças. Em meio a fast-foods e às tentações gastronômicas que vivem os jovens, surgem cada vez mais alternativas para driblar esse mal e ajudar aos portadores dessa deficiência do organismo a levar uma vida normal - e o melhor de tudo, saudável.

Sem medo

Não é difícil entender como a diabete se desenvolve. A glicose é uma das substâncias que faz com que o corpo produza toda a energia necessária para funcionar perfeitamente. Porém, para que ela passe por todos os órgãos do corpo e faça com que eles funcionem bem, precisa da ajuda de um hormônio produzido no pâncreas: a insulina. E a falta desse transmissor é a causa da diabete. A vilã atinge hoje cerca de 246 milhões de pessoas em todo mundo e vem crescendo em média 3% ao ano entre crianças e adolescentes, segundo a Associação de Diabetes Juvenil.

Ela pode se manifestar de duas formas bem diferentes, classificadas como Tipos 1 e 2. A primeira é detectada por meio de diagnóstico, como uma doença auto-imune. Ou seja, o organismo reconhece as células que produzem o hormônio como se não fossem partes dele e começa a atacá-las, gerando a necessidade de inserção de insulina. Já o Tipo 2 é diferente, pois está relacionada ao sedentarismo, à obesidade e também à questão genética.

Ela geralmente desenvolve-se em jovens que já têm à pré-disposição para a doença, como explica a endocrinologista Denise Reis Franco: "Geralmente o Tipo 2 é fácil de prever pois, se existirem casos na família, a maioria aparece em jovens obesos. Hoje em dia, devido ao grande número de crianças e adolescentes com obesidade, é muito mais fácil identificar quem possui".


Em média, 3% das pessoas com diabete no mundo são crianças e adolescentes

Superação

Mesmo atingindo um grande número de jovens em todo mundo, de uns tempos para cá, a diabete vem sendo bem controlada pelos portadores. Exemplo disso é o ídolo teen Nick Jonas, da banda Jonas Brothers, que declarou ter diabetes Tipo 1 e encara tranquilamente a doença. Já outro caso é o piloto de kart André Salmoria de 18 anos, que afirma que a doença nunca o impediu de buscar nenhum de seu objetivos. "O esporte é fundamental na minha vida. Tenho que ter o controle da glicemia para sempre ter um rendimento 100%. Não que seja algo tão grande, é realmente mais um cuidado para eu poder me preparar melhor para a corrida e não ter tanto desgaste físico.  Durante a corrida ou treinos preciso medir o controle, mas nada fora do normal", afirma o jovem.

Nada de neura

Na adolescência, além das próprias barreiras da fase, o jovem que se depara com a diabete pode se sentir podado em determinadas ocasiões. De repente, comer no fast-food três vezes por semana e tomar refrigerante todos os dias não são mais hábitos que ele adotará no seu estilo de vida. "O plano alimentar dos diabéticos de hoje não é mais da cultura de não pode, mas sim no fracionamento da alimentação e melhorar a qualidade do que ele come. A dificuldade é melhorar o plano alimentar e aumentar a frequência de atividades físicas em casos como o Tipo 2.", esclarece Denise.

Embora surjam diversas tentações no dia a dia, como um brigadeiro de panela entre amigos ou uma pipoca com manteiga no cinema, o segredo é não abusar. Nessa hora, o ideal é utilizar o sistema de troca, aconselha a endocrinologista. "O jovem diabético pode comer um doce e fazer trocas depois. Come de tarde e à noite diminui o carboidrato para evitar aumento de peso e controle da glicemia".


A obesidade e o sedentarimso são as principais causas da diabete Tipo 2

Sabendo bem o que é passar por essas ocasiões, o piloto de kart André, que sempre praticou esporte, tira de letra as restrições alimentares e afirma que o autocontrole e a boa alimentação são fundamentais para um diabético. "Eu não tenho nenhuma restrição, só preciso ter controle do que eu for comer alguma coisa e não exagerar. Nunca fui muito de usar a alimentação como válvula de escape. Se eu sentir vontade de comer um chocolate eu vou comer, só me controlo depois", afirma o jovem.

Não se assuste
 
Muitos mitos surgem em torno da doença, porém, é importante saber que dá para se viver bem e de diferentes formas com ela. Para alguns jovens, a diabete pode ser inclusive um fator de ajuda, pois pode resultar em uma fase adulta muito mais saudável. "No fast-food, ao invés de pegar tudo que engorda, opte por um hambúrguer simples e um refrigerante diet. Depois, se perceber que exagerou, faça uma atividade física, com uma caminhada, por exemplo", aconselha a médica.

A prática de esportes é fundamental para o tratamento da diabete e contribui na questão de controle de peso, nível glicêmico e, principalmente, na qualidade de vida. Outra saída para lidar  melhor com a imunodeficiência é procurar outras pessoas que compartilhem experiências com você em comunidades no Orkut, trabalhos em grupo, blogs, bate papos. Dessa forma, é possível encontrar dicas que possam colaborar com seu dia a dia. "Sair com os amigos é a questão mais tranquila, afinal, seus verdadeiros amigos vão entender e saber o que você pode ou não. O importante é aceitar isso e procurar estar em dia com a saúde e controlar sua diabete. Com o controle da doença a aceitação vem por si só", recomenda André.

Atualizado em 10 Abr 2012.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte