Guia da Semana

Área de lazer

Refúgios lúdicos para as crianças, as brinquedotecas podem exercer um importante papel na educação infantil

Foto: Sxc.hu

Em meio a celulares, iPods, e videogames, as brinquedotecas ainda resistem, oferecendo um espaço para as crianças, reservado para estimular a imaginação e a criatividade, entre diversos tipos de atividades lúdicas e brinquedos tradicionais. Desconhecidos por muitos, estes lugares possibilitam avaliar o desenvolvimento dos pequenos, através de um acompanhamento em sua própria linguagem, sendo acessíveis aos mais diferentes perfis de famílias.

Como funciona

Um mundo de brinquedos e lazer é a primeira imagem que surge quando se pensa uma brinquedoteca. Isso não deixa de ser verdade, mas é importante ressaltar que o intuito principal delas é desenvolver o aprendizado pedagógico, social e comunitário. Pode-se dizer que é uma oficina de criação lúdica, onde crianças e jovens experimentam, interagem, exercem a criatividade e aprendem a tomar pequenas decisões.

"A ideia não é impor nenhuma brincadeira, mas sim, deixar os brinquedos à disposição das crianças. Mas preferimos sempre jogos que promovam a interação em grupo, como um teatro de fantoches, por exemplo. Além disso, também existem outra fórmulas de estímulo, como a confecção de brinquedos próprios, em oficinas de artes plásticas ", afirma a vice-presidente da Associação Brasileira de Brinquedotecas, Nylse Cunha.

Foto: Bito Caraciolo/Talk Images

Um bom exemplo é a Brinquedoteca Bumerangue, localizada em Campinas, São Paulo, onde as atividades são divididas entre salas temáticas, lúdicas, jogos de tabuleiro, cinema, oficinas culturais e atividades de música e dança. Lá, os pais podem deixar os filhos sob os cuidados de brinqueditas (profissionais especializado em atividades pedagógicas), durante o tempo que desejarem. Os serviços de permanência e os cuidados necessários são cobrados por tempo e custam a partir R$ 10 a hora.

Hora de brincar

Para estimular ou a criatividade, nada de videogames ou outras novidades high-tech. Nas brinquedotecas, as opções disponíveis são manuais, entre novidades e antiguidades (algumas delas velhas conhecidas dos pais), desde o trenzinho lúdico de madeira até o carrinho mais moderno de controle remoto. A ideia é realizar sonhos e desmistificar fantasias, como explica a psicóloga infantil Beatriz Otero. "O brincar é o modo principal pelo qual as crianças experimentam o mundo. O ambiente é que vai garantir a formação e a qualidade de vida social, moral, psicológica e cultural da criança. Através deste faz-de-conta, onde tudo é possível, que os conflitos podem ser representados e trabalhados".

Brincadeira social

Além do aspecto lúdico, algumas brinquedotecas dedicam-se ao auxílio de comunidades carentes, adotando uma função social mais ativa. É o caso da Arrastão Movimento de Promoção Humana, no Campo Limpo, em São Paulo. Equipada com recursos audiovisuais, o local abriga um acervo com cerca de 11 mil brinquedos para o uso da comunidade, disponíveis sem nenhum custo para os frequentadores.

O caráter consciente também pode ser observado no projeto BrinquedOPA, que vem desenvolvendo um acervo de brinquedos comunitários no Norte-Nordeste brasileiro, para crianças em situação de risco. O espaço funciona através da mobilização de um grupo de voluntários, que além de auxiliar na arrecadação de brinquedos, promovem oficinas de sucatas e outras atividades recreativas. "É muito gratificante ver as crianças desabrochando, com sua capacidade de transformar um espaço à sua volta. Levamos um pouco de alegria e esperança para elas", diz Vanessa Cunha, participante do projeto.

Foto: Bito Caraciolo/Talk Images

Pais

Na hora de estimular as crianças a deixarem a televisão e o computador de lado, o incentivo dos pais é fundamental. É por essa razão que algumas brinquedotecas, como a do Projeto Arrastão passaram a abrir aos sábados, oferecendo dinâmicas para crianças e adultos, em um parque construído em volta do espaço. "É comum o filho pedir brinquedos com controle remoto, celulares, vídeo games. Não tem como negar essas novas tecnologias. Mas, é de extrema importância que a criança também brinque de amarelinha, faça desenhos, use argila e outras atividades encontradas nas brinquedotecas", conclui Beatriz.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte