Guia da Semana

Atrapalhando o sono das crianças

É quando as luzes se apagam que as crianças botam as fantasias para funcionar e temem o escuro do quarto

Foto: Getty Images


"Ficar sozinha, com seus pensamentos, transforma a criança em uma verdadeira realizadora de filmes de terror, enchendo sua cabeça com imagens assustadoras". A frase é da psicóloga Selma Fisch e ilustra o que acontece com os pequenos quando chegar a hora de dormir. A criança não tem companhia e com as luzes apagadas não há distrações. Sua imaginação fica livre e diversas idéias vêm à mente.

Mas isto não acontece apenas com os pequenos. Algumas vezes, quando os pais se deitam, também afloram muitas idéias. A diferença é que são outros medos, o salário que está curto, as contas a pagar, problemas com emprego, criação dos filhos... Porém, adultos sabem diferenciar aquilo está apenas no imaginário do que acontece na realidade. A doutora Alaídes Olmos explica, "Inicialmente existe um pensamento - no escuro aparecem fantasmas, monstros, ladrões - que criam posteriormente sentimentos de insegurança, incerteza, pavor".

Dormir vendo televisão é uma técnica para não pensar demais, ocupar a mente com imagens e conseguir pegar no sono. Mas, ouvir estórias ou ver filmes de terror pode atrapalhar, aquelas personagens da ficção entram na imaginação infantil. De acordo com a doutora, "se a nossa mente é alimentada com pensamentos perturbadores que não somos capazes de dominar, eles nos dominarão".

Geralmente, o medo do escuro começa a partir de um ano e meio de idade e pode durar até a adolescência. Mas, é importante lembrar que na infância as pessoas se preparam para a maturidade. As coisas vivenciadas nesta época formam caráter e personalidade. Se o medo não for superado, pode continuar existindo e interferir no cotidiano do adulto.

Solução

Os pais podem tentar ajudar. Para isto, devem observar e conversar com a criança, falar que tudo o que existe no escuro, também existe no claro. O fundamental é descobrir a causa do medo, saber quais os monstros e fantasmas aparecem quando tudo está apagado. Às vezes, o problema não é o escuro, na verdade, a criança pode temer ser abandonada pelos pais no quarto. Neste caso, o problema pode ser angústia de separação.

Deixar um foco de luz aceso pode dar mais segurança à criança, é uma forma de acabar com o medo. Acima de tudo, é preciso ter paciência e compreensão. Caso não consigam ajudar, podem tentar um especialista. De acordo com Fisch, "nos casos em que a criança acorda aterrorizada durante a noite, sofre com seus pesadelos, e seus medos são intensos e freqüentes, é positivo que os pais procurem a ajuda de um psicólogo".

Não é só o escuro

Outros problemas também atrapalham o sono dos pequenos. É o caso do Terror Noturno, que atinge cerca de 3% das crianças e pode assustar os pais. É uma parassônia, distúrbio benigno do sono. Durante a crise, a pessoa parece estar desperta e assustada. Treme e demonstra muito medo, como se estivesse vivendo alguma situação pavorosa. Na realidade, ela está semi-acordada e não reconhece rostos. Dra. Olmos complementa, "apesar das manifestações serem muito fortes, no dia seguinte a criança não lembra do ocorrido".

O grande problema de quem sofre do Terror Noturno é não ter um sono restaurador. Normalmente, o tratamento é simples e acontece com "medidas de higiene do sono", por exemplo, ter horários fixos para dormir e acordar. Apenas em alguns casos, é necessário tomar remédios.

Mais uma parassônia complica o sono das crianças, o sonambulismo. Dormindo a criança pode realizar atividades cotidianas, como conversar, sentar na cama e tomar banho. Raramente é necessária medicação, "devem ser tomadas medidas para que a criança não se machuque ou machuque aos outros - guardar facas, fechar as janelas e portas, esconder as chaves", diz a médica. Se estes cuidados forem tomados, o sonambulismo não prejudicará em nada a criança. Saiba mais sobre sonambulismo.

Fonte:
Dra. Alaídes Fojo Olmos, neuropediatra, especialista em sono
Hospital Pequeno Príncipe - Curitiba/PR
Telefone: (41) 3310-1010.
www.HospitalPequenoPríncipe.com.br

Selma Royzen Fisch, Psicóloga Clínica
Telefones: (11) 2848-2851 / (11) 9201-6677
Clínica-Psico.com

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte