Guia da Semana

Deus me livre!

Época de mudanças no corpo e na mente das pré-adolescentes

Foto: Sxc.Hu

Essa é uma das reações mais comuns que eu escuto no consultório quando pergunto para as minhas pacientes pediátricas quase adolescentes a respeito da menstruação.


Século XXI e ainda percebo, no consultório, um despreparo das adolescentes em relação à sua primeira menstruação (e também em relação a todas as outras que virão) e dos pais dessas meninas, em termos de orientação.

Muitas vezes eu, que tive dois filhos do sexo masculino, ensino durante as consultas a importância do controle do intervalo e duração dos ciclos menstruais.

Muitas agendas dessas meninas voltam para mim pintadas com círculos (para anotar o primeiro dia do ciclo) e X (para determinar a duração desses ciclos).

Esse mês, vou passar alguns dados sobre essa fase (pré-menstrual). Mês que vem tem mais (e talvez sobre para o outro mais um pouquinho de informação).

O corpo da criança indica que a menstruação está próxima?

A natureza é sábia e, dificilmente, os sinais se escondem do olhar atento das mães, de alguns pais e do médico que acompanha essa "quase ex-criança".

Existem características de desenvolvimento sexual mais importantes e marcantes (primários) do que outros (secundários).

Grande estirão (crescimento), mudança na transpiração axilar (quantidade e cheiro), aparecimento de penugem em axilas e região pubiana (pubarca), alteração de humor são alguns dos sinais sugestivos dessa fase. Outros mais visíveis, como o aparecimento de broto mamário (telarca), muitas vezes de um lado só e com pouca dor, costumam assustar e preocupar mães e filhas.

Basta uma conversa e uma avaliação com o médico para que essas dúvidas possam ser esclarecidas.

Qual a idade natural para a primeira menstruação?

É interessante que possamos pensar em dois tipos de idade. Uma delas é a idade cronológica, contada pela nossa data de nascimento. Outra forma de contar é a nossa idade hormonal, ou seja, aquela que é comandada por nosso organismo por características familiares e genéticas e pelos hormônios.

Situações comuns são aquelas de meninas na mesma classe, com a mesma idade, com fases de desenvolvimento distintas. É sabido que a velocidade de crescimento da estatura é maior até a menstruação e que, depois disso, ela diminui.

Há meninas que menstruam muito mais cedo. Nesses casos, elas apresentam uma velocidade de crescimento muito grande até a menstruação, mas, pelo aparecimento precoce da menarca, quando as encontramos mais tarde, elas cresceram pouco. Outras ficam sempre sendo as mais "baixinhas" da turma, mas demoram para menstruar. Isso permite que elas cresçam depois. Qual não é nossa surpresa quando, ao reencontrarmos essa mesma "baixinha", após alguns anos, observamos uma estatura final muito maior do que algumas que menstruaram muito cedo.

Nos tempos de nossas avós, a menstruação ocorria por volta dos 14 aos 16 anos de idade cronológica. Até há algum tempo, 12 anos era uma idade aceitável. Hoje, já podemos considerar como normal, uma idade de dez anos para a primeira menstruação (menarca).

Mesmo assim, a idade limite aceitável para o desenvolvimento puberal normal, atualmente, é de dez anos nos meninos e nove anos nas meninas. Alguns sinais puberais isolados podem aparecer entre os seis e os oito anos, sem representar problemas, mas merecendo acompanhamento rigoroso.

O corpo muda

As transformações do corpo da menina (que nos tempos de nossos avós era conhecida como menina-moça e foi tema até de músicas) vão, normalmente, ocorrendo aos poucos.

A pré-adolescente cresce muito durante um ou dois anos (cerca de 10 a 15 centímetros por ano para uma média de cinco centímetros ao ano), a cintura começa a afinar e a se delinear, a pele começa a sofrer a ação hormonal, podendo aparecer acne, especialmente na face (um dos pesadelos dessas pré-adolescentes).

Além disso, ao exame clínico, o aparecimento de pelos (pubarca) nas regiões axilar e pubiana pode demonstrar, também, o início dessa fase. Isso sem contar aquele humor típico e característico dos adolescentes, mas, em muito, lembrando a famosa TPM com ataques de choro incontroláveis e sem justificativa, passando, sem que a gente possa perceber, para momentos (que parecem horas) de profunda irritação.

Cada adolescente passa por essas fases no seu ritmo. Quem poderá dizer se esse é o ritmo adequado para cada uma delas é somente o médico experiente que acompanha e orienta essa família.

Quem é o colunista: Dr. Yechiel Moises Chencinski

O que faz: Médico pediatra e homeopata

Pecado gastronômico: Brownie da padaria Bella Paulista quente com sorvete de creme

Melhor lugar de São Paulo: Qualquer lugar num feriado prolongado (Avenida Paulista, por exemplo)

Fale com o colunista: fale_comigo@doutormoises.com.br ou acesse seu site .

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte